domingo, 26 de julho de 2015

SANT’ANA E SÃO JOAQUIM: AVÓS DE JESUS

Hoje, homenageamos os Avós, pois a Igreja festeja Sant'Ana e São Joaquim.

Vamos saber um pouco mais sobre os Avós de Jesus?

Santa Ana ou Sant'Ana vem do latim Anna, e do hebraico Hannah, que significa "Graça". Sabe-se muito pouco sobre Santa Ana, exceto que era mãe de Maria de Nazaré, esposa de São Joaquim e Avó de Jesus. Alguns escritos falam que ela teria tido mais duas filhas, Maria Salomé e Maria de Cleofas. (No verso 25 do capítulo 19 do Evangelho de São João diz que aos pés da cruz estava a irmã de Maria). Na Irlanda, ela é conhecida também como Santa Brígida. Os dados biográficos que sabemos sobre os pais de Maria foram legados pelo Proto Evangelho de Tiago (Apócrifo), obra citada em diversos estudos dos padres da Igreja Oriental, como Epifânio e Gregório de Nissa. Sant'Ana, pertencia à família do sacerdote Aarão e seu marido, São Joaquim, pertencia à família real de Davi.

Seu marido, Joaquim (Eliaquim - Eli – Heli), homem pio fora censurado pelo sacerdote Rúben por não ter filhos, pois Sant’Ana já era idosa e estéril. Confiando no poder divino, Joaquim retirou-se ao deserto para rezar e fazer penitência. Ali um anjo do Senhor lhe apareceu, dizendo que Deus havia ouvido suas preces. Tendo voltado ao lar, algum tempo depois Sant’Ana ficou grávida. A paciência e a resignação com que sofriam a esterilidade levaram-lhes ao prêmio de ter por filha aquela que havia de ser a Mãe de Jesus.

Eram residentes em Jerusalém, ao lado da piscina de Betesda, onde hoje se ergue a Basílica de Sant’Ana, e ali, num sábado, 8 de setembro, mais ou menos no ano 20 a.C., nasceu-lhes uma filha que recebeu o nome de Miriam, que em hebraico significa "Senhora da Luz", passado para o latim como Maria. Maria foi oferecida ao templo de Jerusalém aos três anos, tendo lá permanecido até os doze anos.

Pelo texto “Caverna dos Tesouros”, atribuído a Efrém da Síria, Joaquim era irmão de Jacó, que era pai de José, desta forma, José e Maria eram primos. São João Damasceno, ao escrever sobre o Natal, deixa claro que São Joaquim e Santa Ana são os pais de Maria.

A devoção aos pais de Maria é muito antiga no Oriente, onde foram cultuados desde os primeiros séculos de nossa era, atingindo sua plenitude no século VI. Já no ocidente, o culto de Santana remonta ao século VIII, quando, no ano de 710, suas relíquias foram levadas da Terra Santa para Constantinopla, donde foram distribuídas para muitas igrejas do ocidente, estando a maior delas na igreja de Sant’Ana, em Düren, Alemanha. Seu culto foi tornando-se muito popular na Idade Média. Em 1378, o Papa urbano IV oficializou seu culto . Em 1584, o Papa gregório XIII fixou a data da festa de Sant’Ana em 26 de julho, e o Papa Leão XIII a estendeu para toda a Igreja, em 1879. Na França, o culto a Mãe de Maria teve um impulso extraordinário depois das aparições da santa em Auray em 1623.

Tendo sido São Joaquim comemorado, inicialmente, em dia diverso ao de Sant’Ana, o  Papa Paulo VI resolveu colocar num único dia, 26 de julho, a celebração dos pais de Maria, mãe de Jesus. Celebra-se então do “Dia dos Avós” nesta data.
Pode se encontrar um retrato realístico de Santa Ana no filme, The Nativity Story, "Jesus, a História do Nascimento", em português.

Fonte: Diversos arquivos - Internet.

SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO