sábado, 18 de junho de 2016

HOMILIA DO DOMINGO - 12º DOMINGO TEMPO COMUM - ANO C


"Quem quiser conservar a sua vida a perderá, mas o que perde a sua vida pela minha causa, a conservará”. (Lc 9, 24)
As palavras do Evangelho deste domingo são um verdadeiro desafio para nós. "Quem quiser conservar a sua vida, a perderá". Até poderíamos dizer que parece sem sentido. De fato, uma das tendências naturais do homem é a conservação da vida, em alguma medida, todos queremos tê-la garantida.
Evitamos as ameaças, os perigos e os sofrimentos. Lutamos para salvar a nossa parte. Somos instintivamente egoístas. E até criamos uma cultura que favorece este modo "natural" de ser: "quem pode mais, chora menos".
Falar hoje em dia de renúncia, de ceder a vez, de ser caridoso, de oferecer a uma outra pessoa o próprio lugar, de fazer um trabalho gratuitamente, de deixar a melhor parte para o próximo ainda que se tenha chegado primeiro, de estar atento às necessidades dos demais... Parece fora de moda. Ninguém mais pensa assim. É ser um bobo. Vivemos em uma sociedade que está consagrando o egoísmo.
Mas, qual é o resultado desta cultura hedonista que não conhece limites, ou um ideal de vida? O ponto máximo é crer: "eu sou o único importante!" Isto nos leva a ver os demais como um bem relativo, isto é, são importantes apenas quando me servem. Fora disto, todos são descartáveis. As humilhações, a falta de educação, o abandono, a infidelidade, os roubos, os assassinatos, as violações, a corrupção, a poluição, as guerras, o trafico de drogas... e tantas outras coisas, são as conseqüências desta cegueira que nos faz pensar somente nós mesmos, em nosso bem imediato crendo que os demais podem ser usados para minha satisfação.
Somos filhos de uma cultura que está perdendo o sentido profundo da vida. E quem de nós tem as mãos limpas para poder atirar a primeira pedra e condenar, até mesmo os piores crimes? Jesus Cristo nos alerta e nos desafia. O egoísmo, com o tempo, conduz à morte, ainda que em um primeiro momento crie uma ilusória vantagem.  "Quem quiser ganhar a sua vida a perderá”. O egoísmo é autodestrutivo, é um veneno, ainda que seja agradável ao paladar, porém, suas conseqüências não são fáceis de serem neutralizadas.
Com certeza, este desafio é apresentado ao homem de todos os tempos, mas em nossos dias é ainda mais exigente devido à sociedade de consumo. Devemos estar muito atentos e verdadeiramente decididos. Seguramente será um nadar contra a corrente. Contudo, o Senhor, com a eucaristia, com o seu perdão, será o nosso sustento.
É necessário ter a coragem de inverter o esquema: "quem perder a sua vida por causa de mim, vai tê-la assegurada".
 
O Senhor te abençoe e te guarde
O Senhor te faça brilhar o seu rosto e tenha misericordia de ti.
O Senhor volva seu olhar carinhoso e te de a PAZ.

Frei Mariosvaldo Florentino, Capuchinho.

SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO