quarta-feira, 29 de junho de 2016

ROTEIRO DE CELEBRAÇÃO CATEQUÉTICA - JUBILEU DO CATEQUISTA

Celebração Catequética realizada na Oficina de Aprendizagem Online: Formação Básica para catequistas - 2ª Turma. 

Catequistas: Fabiana Borges (Araxá - MG), Paula Chrestan (Campinas -SP), Anita Diniz da Cruz (Contagem - MG) e Tainara Silva (Rafard-SP).


CELEBRAÇÃO CATEQUÉTICA PELO JUBILEU DO CATEQUISTA 
FORMAÇÃO BÁSICA MÓDULO II  - OFICINA DE TRABALHO EM EQUIPE

ACOLHIDA: (Fabiana Borges)

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo!
Queridos catequistas, sejam bem-vindos a nossa celebração!
Ao “chegarmos” passamos pela nossa “Porta Santa”. Ao fazermos este gesto nos reconhecemos pecadores e necessitados da misericórdia de Deus que nunca se cansa de perdoar e de nos esperar! A Misericórdia de Deus acolhe o nosso arrependimento e nos oferece a Graça do seu perdão. Nos braços do Pai somos restituídos da nossa dignidade de filhos. O ato de passar pela Porta Santa exigiu de nós DECISÃO! Pois o Pai que nos ama não impõe nem exige o seu amor, mas aguarda que venhamos a ele sedentos de sua Misericórdia. Que essa decisão nos faça filhos e filhas, irmãos e irmãs numa unidade trinitária!
Que com esta celebração, possamos abrir o nosso coração, sentir a misericórdia de Deus e nos deixar mergulhar cada vez mais em seu amor, praticando os atos de misericórdia com os nossos próximos!!
“Pai nosso, que estais no céu....

MUSICA: ♫ A ti meu Deus: https://www.youtube.com/watch?v=S_jbmZ7-7lg

LEITURA BÍBLICA: Evangelho de Lucas 15, 11-32.
O Senhor esteja conosco.
Ele está no meio de nós!
Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas:
Disse ainda: "Um homem tinha dois filhos. O mais jovem disse ao pai: 'Pai, dá-me a parte da herança que me cabe'. E o pai dividiu os bens entre eles. Poucos dias depois, ajuntando todos os seus haveres, o filho mais jovem partiu para uma região longínqua e ali dissipou sua herança numa vida devassa. E gastou tudo. Sobreveio àquela região uma grande fome e ele começou a passar privações. Foi, então, empregar-se com um dos homens daquela região, que o mandou para seus campos cuidar dos porcos. Ele queria matar a fome com as bolotas que os porcos comiam, mas ninguém lhas dava. E caindo em si, disse: 'Quantos empregados de meu pai têm pão com fartura, e eu aqui, morrendo de fome! Vou-me embora, procurar o meu pai e dizer-lhe: Pai, pequei contra o Céu e contra ti; já não sou digno de ser chamado teu filho. Trata-me como um dos teus empregados'. Partiu, então, e foi ao encontro de seu pai. Ele estava ainda ao longe, quando seu pai viu-o, encheu-se de compaixão, correu e lançou-se-lhe ao pescoço, cobrindo-o de beijos. O filho, então, disse-lhe: 'Pai, pequei contra o Céu e contra ti; já não sou digno de ser chamado teu filho'.Mas o pai disse aos seus servos: 'Ide depressa, trazei a melhor túnica e revesti-o com ela, pondo-lhe um anel no dedo e sandálias nos pés. Trazei o novilho cevado e matai-o; comamos e festejemos, pois este meu filho estava morto e tornou a viver; estava perdido e foi reencontrado!' E começaram a festejar. Seu filho mais velho estava no campo. Quando voltava, já perto de casa ouviu músicas e danças. Chamando um servo, perguntou-lhe o que estava acontecendo. Este lhe disse: 'É teu irmão que voltou e teu pai matou o novilho cevado, porque o recuperou com saúde'. Então ele ficou com muita raiva e não queria entrar. Seu pai saiu para suplicar-lhe. Ele, porém, respondeu a seu pai: 'Há tantos anos que eu te sirvo, e jamais transgredi um só dos teus mandamentos, e nunca me deste um cabrito para festejar com meus amigos. Contudo, veio esse teu filho, que devorou teus bens com prostitutas, e para ele matas o novilho cevado!' Mas o pai lhe disse: 'Filho, tu estás sempre comigo, e tudo o que é meu é teu. Mas era preciso que festejássemos e nos alegrássemos, pois esse teu irmão estava morto e tornou a viver; ele estava perdido e foi reencontrado!'
Palavra da Salvação.
Glória a vós Senhor!

REFLEXÃO DO EVANGELHO: 
(Tainara Silva):
“Sede misericordiosos, como o vosso Pai é misericordioso” (Lc 6,36), foi esta citação de Lucas que o Papa Francisco convidou a todos nós a vivermos o Ano da Misericórdia. Um ano que terá como centro a misericórdia, fazendo com que nós relembremos das boas ações e nos coloque os novamente à disposição do outro, ajudando no que mais precisa, por meio de obras de misericórdia que pode ser tanto corporais como espirituais.
O símbolo do ano da misericórdia é uma imagem de um homem que carrega um outro em seus ombros e, que lembra perfeitamente a história do Bom Pastor, que carrega sobre ele o peso de todos os pecados dos homens, mas que há amor em seus olhos. Lembra também a história do Pai bondoso, que apesar de todo o sofrimento que teve com o filho mais novo, não via a hora que ele voltasse para casa e, assim feito, deu a mais grandiosa das festas porque o seu filho estava de volta.
Jesus fica assim também quando nós retornamos para Ele, quando sentimos em nosso coração a misericórdia que Ele tem por cada um de nós e faz brotar um sentimento novo em nosso coração. Como o Papa disse: “Queridos irmãos e irmãs, pensei em como a Igreja pode tornar mais evidente a sua missão de ser testemunha da misericórdia. É um caminho que inicia com uma conversão espiritual. Por isso, decidi realizar um Jubileu Extraordinário que tenha no centro a misericórdia de Deus. Será um Ano Santo da Misericórdia. Queremos vivê-lo à luz da Palavra do Senhor: ‘Sejais misericordiosos como o Pai”.
E na parábola do Pai Misericordioso, temos a confirmação desta misericórdia paterna.

(Paula Chrestan):
Neste Evangelho Jesus nos apresenta três personagens:
- Um filho deslumbrado com a riqueza, que pede a parte de sua herança e parte para o mundo. Ele precisa perder tudo, ser humilhado, para compreender e aceitar o amor de seu Pai. Arrepende-se, pede perdão e retorna a casa do Pai.
- Um Pai, que ama tanto seu filho que não consegue negar o seu pedido. Vê o filho partir e sofre muito, esperando e confiando que um dia este filho retorne a sua casa. E quando o filho retorna, o Pai o recebe de braços abertos, sem cobranças, sem julgamento. Está feliz porque o filho perdido voltou e promove uma grande festa. E por último temos 
- O irmão, que fica sempre ao lado do Pai, trabalhando de sol a sol. Este irmão não compreende o amor do Pai pelo filho (irmão ingrato). O ciúme endurece o seu coração.
Jesus é como o Pai Misericordioso. Fica feliz quando nós retornamos para Ele, quando sentimos em nosso coração a misericórdia que Ele tem por cada um de nós e faz brotar um sentimento novo em nosso coração. Como o Papa disse: “Queridos irmãos e irmãs, pensei em como a Igreja pode tornar mais evidente a sua missão de ser testemunha da misericórdia. É um caminho que inicia com uma conversão espiritual. Por isso, decidi realizar um Jubileu Extraordinário que tenha no centro a misericórdia de Deus. Será um ano santo da misericórdia. Queremos vivê-lo à luz da Palavra do Senhor: ‘Sejais misericordiosos como o Pai”.
A partir deste Evangelho e da proposta do Papa Francisco vamos refletir:
1) Como podemos testemunhar a misericórdia de Deus junto, principalmente, dos nossos catequizandos?
2) Como podemos ser catequistas misericordiosos junto aos nossos “pares”, ao nosso grupo de catequistas?
3) Como refletimos a misericórdia em nossas comunidades?

ORAÇÃO FINAL: (Anita Diniz)
Ó Deus, por vós fomos escolhidos, reveste-nos de sentimentos de misericórdia, bondade,humildade, mansidão e paciência. Despertai em nós a misericórdia neste JUBILEU DO CATEQUISTA para que possamos abrir nosso coração e deixar a misericórdia de Jesus entrar em nossa vida, para praticarmos as obras da misericórdia com o próximo. Rezemos:

Pai das Misericórdias e Deus de toda consolação,
o Senhor nos escolheu para sermos os seus colaboradores 
na construção do Reino,
pedimos que tenha compaixão diante das nossas fraquezas, 
pois somente o seu amor poderá nos fortalecer nesta caminhada. 
Acolhei os catequistas que vem a Ti, cheios de fé e esperança. 
Consolai os que estão aflitos, socorrei os necessitados, 
enxugai as lágrimas aqui derramadas. 
Amparai os fracos e recebei em Vossos braços paternos
estes filhos pródigos que voltam para Vós. 
Dai-nos a graça de sermos, neste Jubilei dos Catequistas, 
instrumentos da Vossa misericórdia na vida dos nossos irmãos, 
para que assim o Vosso nome
seja amado em nossa família e em nossa nação.
Tudo isso Vos pedimos por Vosso Filho Jesus Cristo, que convosco vive e reina na unidade do Espírito Santo. Amém!
(Adaptado da Canção Nova)

Estamos e estaremos aqui reunidos...
Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo! Amém.

CANTO FINAL: ♫ Tudo é do Pai...https://www.youtube.com/watch?v=s6jGTD-wrRk


Catequistas em Formação
Formação Básica para Catequistas - Módulo II - 2ª Turma




SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO