sexta-feira, 19 de agosto de 2016

HOMILIA DO DOMINGO - LIÇÃO DE HUMILDADE


Mas, quando fores convidado, vai tomar o último lugar, para que, quando vier o que te convidou, te diga: “Amigo, passa mais para cima.” Lc 14, 10
O evangelho deste domingo toca um tema muito delicado e ao mesmo tempo essencial na vida cristã: a humildade. Cristo é para todos nós o exemplo supremo de humildade, pois sendo Deus, não teve problema em se rebaixar e se fazer um de nós (e ainda mais em uma família pobre) assumindo toda a nossa condição e até mesmo aceitando ser considerado e condenado como criminoso.

Por isso, o abaixar-se é a direção indicada para todos nós que queremos ser seus seguidores. Aproveitar o ser cristão como um modo de se promover é um grande equívoco. Jesus nos empurra para os últimos lugares. Ele nos oferece seu lugar de servidor, de quem está disposto a lavar os pés dos demais com prazer.

Uma vez mais nos encontramos com o Senhor que nos propõe uma atitude não natural em nós. Se seguimos nossa natureza, preferimos estar no primeiro lugar ou sermos servidos pelos demais. Cada um de nós sempre se sente muito importante e deseja que todos reconheçam isto. É assim que nascem muitas decepções. Quantas pessoas ficam tristes e amarguradas porque não se sentem valorizadas, apreciadas e reconhecidas em suas capacidades, ou nível, ou títulos...

Sem dúvidas, acredito que seja muito mais importante fazer algumas distinções. Ao menos por três motivos uma pessoa pode ocupar o último lugar: porque lhe deram um lugar mais adiante, ou porque vencida pela timidez não teve a coragem de se colocar mais à frente, ainda que o desejasse muito, ou porque por opção se escolheu aquele lugar. Quanto ao primeiro caso, em que o último lugar vem designado por motivos externos, este não há algum valor evangélico, ao contrário, pode ser motivo de vergonha. Quanto ao segundo, é muito importante não confundir a virtude da humildade com a timidez. Existem pessoas que sempre se metem no último lugar ou se escondem porque são tímidas, mas em seu interior desejariam ser diferentes, convivem com uma amargura e ficam destilando veneno contra os demais. Certamente este último lugar tampouco tem um valor evangélico, de fato, não é uma atitude cristã, apesar do gesto ser o mesmo, as motivações são totalmente distintas...
Para que uma pessoa possa tranquilamente se colocar no último lugar, ela necessita estar muito segura de si mesma. Necessita ser verdadeiramente dona de si. (Como Cristo, pois para ele não foi um problema se fazer o último). Uma pessoa insegura, ao contrário, dificilmente conseguirá se colocar espontaneamente atrás dos demais. Isto será para ela uma violência demasiadamente forte. Terá medo de ser esquecida, ou de ser depreciada. Fazer a opção de se colocar no último lugar, e vier com paz e serenidade esta posição, exige com certeza uma boa auto;estima.

Mas de onde pode vir a nossa segurança? Penso que quando nos sentimos verdadeiramente amados por Deus, nos sentimos seguros. Insisto em te dizer “nos sentimos amados”, mas não basta saber que Deus nos ama, é necessário ter experimentado este amor, reconhecendo-o sem limites e incondicional. É este sentir-se importante para Deus, precioso a seus olhos, destinatário de sua confiança, que nos liberta de buscar os primeiros lugares.

Diante dos demais, sentir que o Senhor de todas as coisas tem um olhar carinhoso para nós nos faz relativisar qualquer desprezo por parte dos homens. Quando sentimos esta segurança, sabemos que este último lugar é passageiro, não é para sempre. Sabemos que a qualquer momento o Senhor, dono da festa, nos dirá; Amigo, vem mais para frente. Portanto, colocar-se no último lugar é uma viva expressão de nossa fé em Deus, Senhor da história, que exalta os humildes e derruba os soberbos.

Senhor, faz-me sentir profundamente o teu amor. Cura minhas inseguranças. Dá-me a graça de ter uma profunda confiança em ti, a fim que eu saiba que não necessito promover-me, porque és tu quem me promoverá se tenho a coragem de me abaixar. Convence meu coração de que eu não necessito defender-me, porque tu és o meu defensor.
 
O Senhor te abençoe e te guarde
O Senhor te faça brilhar o seu rosto e tenha misericórdia de ti.
O Senhor volva seu olhar carinhoso e te de a PAZ.

Frei Mariosvaldo Florentino, Capuchinho.

SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO