quinta-feira, 29 de setembro de 2016

CATA-VENTO: CONSTRUINDO A IDENTIDADE CRISTÃ

ROTEIRO PARA ENCONTRO DE PAIS

Qual afinal é a nossa missão no mundo? Qual é a nossa Identidade Cristã?
Temos uma “carteira de identidade cristã”? Como somos “reconhecidos” em nossa fé?

O Concílio Vaticano II pediu a restauração do Catecumenato, que é a catequese feita nos primeiros séculos, quando se estava ainda construindo o cristianismo. Esse pedido do conselho vem do fato de que, hoje o cristão vem perdendo a sua identidade. Essa catequese dá base a uma verdadeira Iniciação à Vida Cristã e com os sacramentos do Batismo, Crisma e Eucaristia, e leva a uma identidade cristã.

Com a catequese de Iniciação à Vida Cristã, retomamos a História da Salvação situando cada pessoa como parte importante dela. Somos o Povo de Deus hoje, a nossa missão é anunciar levando a salvação a todos.

É interessante introduzir esse conteúdo após uma retomada da História da Salvação ligando assim a nossa missão de anunciar e de levar a Salvação hoje.

Mas, como se deu o início dessa história?

O homem e Deus...

A Bíblia nos conta, em Gênesis, que Deus fez um plano de amor criando o homem e a mulher e colocou-os no Paraíso. Deus que é Família Trinitária, extravasou seu amor dizendo: “Façamos o Homem à nossa IMAGEM e SEMELHANÇA” (Gn1, 26).

Vamos entender melhor essa imagem e semelhança usando massinha de modelar:


Boneco: (criar um bonequinho simples com massinha) imagem de Deus é alguém com capacidade de amar e conhecer a Deus, é pessoa com inteligência, vontade e liberdade.

Semelhança: (fazendo uma argola de massinha) é um ser na perfeita harmonia consigo, com o outro, com Deus, com toda a criação. Essa semelhança se manifesta na santidade, no sentimento de justiça, um ser glorioso.

(Colocar a auréola (argola de massinha), no boneco).

Assim o Ser humano (boneco) com imagem e semelhança (a argola) de Deus, foi criado para servir e amar a Deus e Deus ofereceu-lhe a toda criação. (CIC 355 ss).

Mas o homem/mulher tentados pelo diabo, quis “ser como Deus”, assim abusa de sua liberdade desobedecendo, traindo a confiança da bondade de Deus.  Quebra a harmonia e a aliança com Deus por meio do pecado. Perde assim a semelhança com o criador e sua imagem é desfigurada. (CIC 396ss).

(Tirar a auréola (argola) do bonequinho de massa, separando-os).

Mas, Deus NÃO desiste do ser humano, não o abandona. A Bíblia relata as várias tentativas que Deus faz para nos resgatar. Assim, temos as Alianças firmadas com Noé, Abraão, Moisés e por fim Jesus a Nova e Eterna Aliança.


Em cada Aliança, temos um sinal visível: o arco-íris com Noé, a circuncisão com Abraão, a Lei (mandamentos) com Moisés e com Jesus a Eucaristia.





Jesus encarnando assume a imagem de homem e vem para restaurar a semelhança com o Pai. Jesus verdadeiro homem, verdadeiro Deus se faz pequeno para nos elevar à condição de filhos do mesmo Pai. Com sua paixão, morte e ressurreição, o Mistério Pascal, liberta-nos da escravidão do pecado, abre para nós uma nova vida.

Com sua volta ao Pai, Jesus quis se fazer visível através de sua Igreja com os sacramentos. Deixa clara a nossa missão: “Ide e fazei...”.

 


Como discípulos somo também IGREJA... (Incentivar a cantar). 

E para entendermos melhor como somos IGREJA, e como está construída nossa IDENTIDADE CRISTÃ, vamos construir juntos um CATA-VENTO:


Cada peça tem um significado especial que nos levará a perceber como se tira a “carteira de identidade do cristão”. Ao final teremos um “Cata-vento Cristão”!

CATA-VENTO PRONTO

 PEÇAS DO NOSSO CATA-VENTO: Um recorte quadrado de papel colorido dupla face de 12X12 cm, um hashi (palito de madeira para comer comida chinesa) com um furinho na ponta mais larga. Um envelope com as peças pequenas. Um envelope para conter todas as peças.


CONTEÚDO DO PACOTINHO BRANCO: Um rebite pequeno, uma semente de açaí redondinha (com furo, bijuteria), uma pérola com furo (bijuteria), um decalque de coração.

(Rebite: pequena haste cilíndrica de metal, com cabeça cônica ou fendida em uma das extremidades, destinada a ser introduzida em um furo, de tal modo que a outra extremidade sobressaia e possa ser rebatida para formar nova cabeça; é empregada para unir peças).


1- Vareta: É o Cristo que nos une a Deus como Ele mesmo disse: Ninguém vai ao Pai se não por mim...Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Jesus permanece entre nós em sua Igreja, através dos sacramentos nos comunica o seu Espírito Santo. Esse Espírito é nossa força para vivermos como discípulos de Jesus crescendo sempre no seu conhecimento, amor e seguimento.


2- Rebite: Somos nós. Através do Batismo enxertamos nossa vida na Vida de Jesus, somos incorporados na Família Divina chamada Igreja. Tornamos-nos Povo de Deus, nascemos para uma Nova Vida. Inserindo a cabeça do rebite na vareta concretizamos as palavras de Jesus: “Eu sou a videira, vós sois os ramos”. O Batismo coloca a semente da fé, nos dá o Espírito Santo, a força para sermos outros cristos.




3- Semente: vamos inserir a semente no rebite, na certeza que ela precisa ser cultivada. Ela é um projeto de vida. Seu desenvolvimento se faz numa comunidade.



 4- Papel quadrado colorido: Anexar o papel no rebite demonstrando nossa vida em Comunidade: família, clubes, associações, somos criados para viver em comunidade a exemplo da Família Trinitária. É na Igreja, comunidade de fé, que partilhamos a Palavra, participamos das celebrações, dos sacramentos, crescemos na vivência do Evangelho. As primeiras comunidades cristãs   narradas em At 2, 42 nos fornece o modelo de vida que pode nos dar Identidade de Cristãos. O ponto máximo de identificação com a pessoa de Jesus está na vivência do mandamento do Amor. Mostrando a unidade na diversidade dos batizados, sinalizando nossa união a Cristo, vamos prender cada lado do papel ao centro. São 4 triângulos que se vergam a Cristo-cabeça colocando seus dons a serviço.


5- Adesivo de coração: Assumindo nossa missão vamos colocar o coração prendendo o papel. Pelo amor seremos reconhecidos como João 13,33 relata a afirmação de Jesus: “Nisto reconhecerão todos que sois meus discípulos se tiverdes amor uns pelos outros”. É esse amor que sinaliza a nossa “identidade cristã”. Se somos cristãos com carteira de identidade, vivenciamos o estilo de vida de Jesus, assumimos a missão de anunciar e realizar o Reino de Deus. Esse Reino que no Evangelho é colocado como uma pérola rara, de tão grande valor que por ela investimos tudo (Mt 13, 45-46).


 6- Pérola negra: Finalizamos nosso cata-vento colocando na ponta a pérola. A missão de Cristo é a nossa missão. O impulso para levar essa Boa Nova ao mundo é a força de Espírito Santo. Temos que posicionar nosso cata-vento a favor desse vento para ele girar. O sopro que nos impulsiona a cumprir o mandado de Jesus : “IDE, e fazei que todas as nações se tornem discípulos, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do  Espírito Santo e ensinando-as a observar tudo quanto vos ordenei. E eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos”. (Mt 28, 19-20).


Está pronto o nosso CATA-VENTO!

OBS: conteúdo baseado no CIC e Bíblia.

Helena Maria Okano
Catequista – Londrina PR.





quarta-feira, 28 de setembro de 2016

SUGESTÕES PARA CELEBRAR O MÊS MISSIONÁRIO

Primeiro você precisa entrar no site da POM - Pontifícias Obras Missionárias e ver o material que eles têm por lá, inclusive você pode fazer dowload dos vários subsídios da campanha missionária num ícone do lado direito da página principal. O site é esse:



Uma sugestão é que você use o folhetinho da Oração dos Fiéis nas missas ou no encontro próximo ao Domingo. O folheto tem até mesmo um comentário de motivação para a Celebração. As paróquias normalmente têm os folhetos, pois todas adquirem o material para usar no mês de outubro. Bom, mas tudo está disponível no site, assim como o cartaz que também é legal ter na sala. O site também oferece vídeos que podem ser reproduzidos em seus encontros.


Não esqueça de usar também a ORAÇÃO MISSIONÁRIA deste ano também. Bonita e bem curtinha. Dá pra lembrar em todos os encontros:

Oração do Mês Missionário 2016

Pai de misericórdia, que criaste o mundo
e o confiaste aos seres humanos.
Guia-nos com teu Espírito para que,
como Igreja missionária de Jesus,
cuidemos da Casa Comum com responsabilidade.
Maria, Mãe Protetora, inspira-nos nessa missão. Amém.

Outra coisa interessante: normalmente as dioceses e paróquias que se envolvem com as missões, têm uma paróquia/diocese irmã lá na Amazônia ou numa região carente. Descubra se a sua paróquia tem. Enfim, se você conseguir o endereço de uma paróquia de lá, incentive as suas crianças a escreverem cartinhas para as crianças de lá. Contando como é a vida e a catequese delas aqui e pedindo informações da catequese de lá. Coloque, claro o endereço da paróquia. Mas peça às crianças que direcionem a carta à outra criança. Também temos aqui no grupo Catequistas em Formação o Projeto Cartinhas Missionárias, onde, todos os anos catequistas incentivam seus catequizandos a se corresponderem com outros catequizandos de diferentes partes do país. Este ano o projeto já está em andamento, mas, no ano que vem, no mês de abril/maio, começa novamente.

 

A Campanha também disponibiliza um arquivo com “marcadores” de páginas temáticos da Campanha, que podem ser distribuídos aos catequizandos. Sem falar na “Novena” que tem também um rico material para se adaptar a encontros “missionários”.

O tema da Campanha Missionária deste ano é “Cuidar da Casa Comum é nossa missão”. O lema é extraído da narrativa da criação no livro do Gênesis: “Deus viu que tudo era muito bom” (Gn 1, 31). O projeto do Criador é maravilhoso, mas encontra-se ameaçado! A preocupação pela ecologia parte de dois gritos: o grito dos pobres que mais sofrem, e o grito da Terra que geme pela exploração. A temática retoma a Campanha da Fraternidade Ecumênica deste ano e amplia a missão de cuidar da vida em todo o planeta. Em sua Encíclica Laudato si’, o papa Francisco adverte que “a existência humana se baseia sobre três relações intimamente ligadas: as relações com Deus, com o próximo e com a terra” (LS 66). E lança uma pergunta: “Que tipo de mundo queremos deixar a quem nos suceder, às crianças que estão crescendo?” (LS 160). 

Não pode esquecer também de ler a Mensagem do Papa Francisco para o Mês Missionário. É só clicar na imagem do Papa no site e você baixa a mensagem em PDF.

Em nossa Casa Comum, tudo está interligado, unido por laços invisíveis, como uma única família universal. E nós recebemos de Deus a missão de cuidar dessas relações. Isso tem a ver com a missão da Igreja. Queremos fazer do cuidado do planeta a nossa missão até os confins do mundo. Diante da crise socioambiental, nem todos temos de ser especialistas e saber tudo, mas temos o dever de mudar nossos hábitos e apoiar ações práticas.

A Missão é a principal razão de ser da nossa Igreja e seus missionários e missionárias representam uma grande riqueza. Pela Campanha Missionária, toda a comunidade cristã é convidada a renovar seu compromisso batismal em conformidade ao mandato de Jesus Cristo, “Ide fazei discípulos todas as nações” (Mt 28, 19).

E por último, distribua os envelopes da campanha missionária e fale sobre ela. A coleta é no penúltimo domingo do mês de outubro (este ano, dias 22 e 23). As ofertas realizadas em todas as comunidades, paróquias e instituições católicas devem ser integralmente enviadas às Pontifícias Obras Missionárias (POM) que as repassam ao Fundo Universal de Solidariedade para apoiar projetos em todo o mundo. No site tem dados sobre onde o dinheiro é investido, como são as missões, quais os países e estados brasileiros atingidos.

E se tiver infância missionária na sua paróquia, convide alguém para vir dar um testemunho, convidar as crianças para participar. 

Faça um evento conjunto com a Infância Missionária. Agite a paróquia!

Ângela Rocha

Catequista
CARTAZ DA CAMPANHA MISSIONÁRIA 2016
FONTE: POM - PONTIFÍCIAS OBRAS MISSIONÁRIAS

QUEM FOI QUE DISSE? PAPA FRANCISCO?

SERÁ QUE ESTE TEXTO É DO PAPA FRANCISCO MESMO?

Esta é uma pergunta que devemos nos fazer sempre que nos deparamos com alguma mensagem do Papa, pois circulam na internet os mais variados textos com a assinatura do Papa, mas que não foram escritos ou ditos por ele.

E não é de hoje que se coloca palavras “na boca” do Papa. Há alguns anos atrás circulava um texto que começava assim: “Precisamos de santos sem véu ou batina, precisamos de santos de calça jeans e tênis...” Dizem que este texto é uma carta do Papa João Paulo II “aos jovens”, só que a tal carta não consta de nenhuma publicação ou discurso dele e nem tem uma data. Se vocês fizerem uma investigação pela web vão ver que este texto se espalhou como fogo associado à figura de João Paulo II durante muito tempo. Como o fogo parecia que ia apagar, alguém resolveu inventar que afinal, o texto é do Papa Francisco, e eis que o fogo voltou a arder com lenha nova.

No ano passou surgiu outro: “10 lições de vida do Papa Francisco”, oriundo de um artigo publicado em um site católico, mas que não inclui  uma única citação do Papa, são apenas pequenos enxertos de mensagens daqui e dali. Nada que o Papa tenha dito para que fossem “lições” a quem quer que seja. Era apenas uma interpretação do site (Aleteia.pt), mas foi divulgado como de "próprio punho" do Papa Francisco.

Mais recentemente apareceu um texto que começa assim: “Não chore pelo que perdeu, luta pelo que tem. Não chores pelo que está morto, luta por aquilo que nasceu em ti...” , em texto e também em powerpoint,  associado a belas músicas e fotos. E que também está “assinado” pelo Papa Francisco.  Acontece que este texto tem dado voltas e voltas pela internet nos últimos anos, sem autoria definida... Mas, parece que agora resolveram dizer que é do Papa Francisco.

Temos que ter muito cuidado quando partilhamos um texto que aparece associado ao Papa Francisco, porque estamos ajudando a enganar as pessoas que vão ler o texto.  Existem inúmeras pessoas com más intenções usando a imagem do Papa para conseguir “ser visto” na internet. A imagem do Papa dá credibilidade e confiança e pode confundir os descuidados, por isso convém verificar as fontes antes de assumir que o texto é verdadeiro. 

Para saber se foi ele ou não que disse é só comparar as mensagens ao estilo dos discursos dele, as homilias, as exortações. O Papa Francisco fala ao nosso coração, mas não é um poeta que faz versos. Sempre cita referências bíblicas. Hoje em dia temos mais acesso ao que diz o Papa do que em qualquer outro momento na história da Igreja. O site do próprio Vaticano e vários sites católicos podem confirmar os seus discursos e palavras e temos a Rádio Vaticano que divulga todos os passos do Papa Francisco e tudo que ele diz em público ou em reuniões com grupos. Tudo acessível a quem estiver disposto a procurar. E são sempre discursos pertinentes ao momento, com objetivo claro de guiar as ovelhas que o Senhor colocou nas mães do nosso Pastor Maior.

Então qual é a necessidade de inventar coisas que o Papa não disse?

Penso que a resposta a isso é a enorme necessidade que algumas pessoas tem de simplesmente “aparecer”. E com isso vão fazendo com que cada vez mais, pessoas inocentes divulguem inverdades pelo ciberespaço.

E eu nem vou falar aqui de outros autores que aparecem frequentemente “dizendo” coisas que nunca imaginaram que iam dizer algum dia...

Ângela Rocha
Catequista

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

ROTEIRO DE ADORAÇÃO E ORAÇÃO PARA CATEQUISTAS



ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO – VIGÍLIA DA MISERICÓRDIA
(JUBILEU DO CATEQUISTA OU OUTRO MOMENTO)

Cânticos de adoração... (para a entrada e exposição).
01 – “Como és lindo”
02 – “Jesus está aqui, ele está aqui...”
03 – “Tão sublime sacramento”
04 – “Ninguém te ama como eu”

Dirigente: Estamos reunidos em nome do Pai, Deus de todos os povos e nosso criador. Em nome do Filho, Jesus, nosso Salvador e que tornou a nós todos, irmãos. E em nome do Espírito Santo do amor que nos conduz. Iniciemos esta hora louvando a Santíssima Trindade:

CANTICO: Santíssima Trindade
Em nome do Pai, em nome do Filho, em nome do Espírito Santo, estamos aqui (bis)
Para louvar e agradecer, bem dizer e adorar, estamos aqui Senhor, ao seu dispor.
Para louvar e agradecer, bendizer e adorar, te aclamar, Deus trino de amor.

Padre ou Ministro: (Exposição do Santíssimo)

CÂNTICO: (a escolha) ... 

SAUDAÇÃO AO SENHOR
D: Graças e louvores se deem a todo o momento! (3x)
Todos: Ao Santíssimo e Diviníssimo Sacramento! (3x)

MOMENTO DE SILÊNCIO

MANTRA:
MEU DEUS, EU CREIO...
Meu Deus, eu creio, adoro, espero e Vos amo.
Peço-Vos perdão, para os que não creem,
Não adoram, não esperam, e não Vos amam. (3x)

D: Bendito e louvado seja, o Santíssimo Sacramento da Eucaristia (3x)
Todos: Fruto do ventre Sagrado da Virgem puríssima, Santa Maria (3x)

MOMENTO DE SILÊNCIO

LEITOR 1: O Senhor nos reúne para esta Vigília Eucarística da Misericórdia, para O contemplarmos e para O adorarmos. Que o Espírito Santo conduza a nossa oração, para que ela possa transformar cada um de nós, como cristãos misericordiosos.
“Misericordiosos como o Pai” é o lema que o Papa Francisco nos propõe para este Ano Santo da Misericórdia. Como catequistas somos chamados a oferecer mais vigorosamente os sinais da presença e proximidade de Deus. Este não é o tempo para nos deixarmos distrair, pelo contrário, é tempo de sermos vigilantes e estamos despertos, por isso, o Santo Padre neste ano santo da Misericórdia, nos proporciona um momento de “Jubileu”, de festa para comemorarmos a nossa Vocação. Junto com catequistas do mundo inteiro, hoje, nos reunimos em oração e somos convidados a olhar, meditar e reviver, as Obras de Misericórdia, principalmente as espirituais intrinsicamente ligadas à nossa missão de “ensinar aos que não sabem”.
Como escolhidos, cantemos:

Cântico: “Somos Povo escolhido”
Agora é tempo de ser Igreja,/ Caminhar juntos, participar. (2x)
1. Somos povo escolhido/ E na fronte assinalados/ Com o nome do Senhor/ Que
caminha ao nosso lado.
2.Somos povo em missão./ Já é tempo de partir./ É o Senhor que nos envia, / em seu
nome a servir.
3. Somos povo esperança. / Vamos juntos planejar:/ Se Igreja a serviço / e a fé
Testemunhar.
4. Somos povo a caminho / Construindo em mutirão / Nova terra, Novo reino / De
fraterna comunhão. 

MANTRA: JESUS, EU VOS AMO
Jesus, eu Vos amo em meio a toda escuridão.
Jesus, eu Vos amo em meio a todas as dores.
Jesus, eu Vos amo em meio a toda tristeza.
Jesus, eu Vos amo em meio a toda angústia.
Jesus, eu Vos amo em meio a toda tentação.
Jesus, eu Vos amo por toda minha vida, e por toda a eternidade.

Cântico: Tu és minha vida
Tu és minha vida, outro Deus não há
Tu és minha estrada, a minha verdade
Em Tua palavra eu caminharei
Enquanto eu viver e até quando Tu quiseres
Já não sentirei temor, pois estás aqui
Tu estás no meio de nós...

ATO PENITENCIAL
Dirigente: Vamos refletir, fazendo nosso exame de consciência.

Dirigente: Deus fala-me no íntimo mais íntimo de mim mesmo:
Leitor 2: Procuro no meu dia, um momento para Deus?
Dirigente: Deus fala-me através dos irmãos:
Leitor 2: Procuro escutar os outros com misericórdia?
Dirigente: Deus fala-me através dos acontecimentos:
Leitor 2: Será que dou a devida importância aos casos de pobreza perto de mim?
Dirigente: Deus fala-me pela Mãe Igreja:
Leitor 2: Participo na Eucaristia e estou atento à Palavra do Senhor?
Dirigente: Deus fala-me através da caridade:
Leitor 2: Estou disponível para ajudar os irmãos?

(Breve momento de silêncio)

Dirigente: Confessemos os nossos pecados…

Todos: Confesso a Deus todo-poderoso e a vós, irmãos, que pequei muitas vezes por pensamentos palavras, atos e omissões, (batendo no peito, dizem) por minha culpa, minha tão grande culpa. E peço à virgem Maria, aos Anjos e Santos, w a vós irmãos, que rogueis por mim a Deus nosso Senhor.

Cântico:
1. Senhor, tende piedade e perdoai a nossa culpa.
E perdoai a nossa culpa, porque nós somos vosso Povo, que vem pedir vosso perdão.
2. Cristo, tende piedade e perdoai a nossa culpa.
3. Senhor, tende piedade e perdoai a nossa culpa
Senhor Tende Piedade e perdoai a nossa culpa...

Dirigente: Senhor, nosso Deus, concedei-nos os dons que vos pedimos, para podermos a partir de hoje, testemunharmos a nossa e vossa misericórdia, como é da vossa vontade. Por Nosso Senhor…

(Momento de silêncio)

Dirigente: Depois de fazermos o exame de consciência e pedirmos perdão, vamos agora meditar as palavras do Papa Francisco, sobre as Obras de Misericórdia.

Leitor 2: “É meu vivo desejo que o povo cristão reflita, durante o Jubileu, sobre as obras de misericórdia corporal e espiritual. Será uma maneira de acordar a nossa consciência, muitas vezes adormecida perante o drama da pobreza, e de entrar cada vez mais no coração do Evangelho, onde os pobres são os privilegiados da misericórdia divina. A pregação de Jesus apresenta-nos estas obras de misericórdia, para podermos perceber se vivemos ou não como seus discípulos. Redescubramos as obras de misericórdia…”

Dirigente: Meditemos as Obras Corporais da Misericórdia

OBRAS DE MISERICÓRDIA: CORPORAIS

1. DAR DE COMER A QUEM TEM FOME

Leitor 3: “O Pão Nosso de cada dia nos dai hoje” (Mt 6,11), rezamos assim na Oração do Pai Nosso porque muitos não têm o que comer e todos sentimos fome de Deus. Diariamente irmãos nossos têm fome de Pão. Materialmente falta-lhes o básico e espiritualmente falta-lhes o essencial: “O Pão da Vida” (Jo 6,5.35) que é Jesus que se faz alimento na Eucaristia, banquete perene da nossa Salvação.

·         Reparto o meu pão de cada dia com quem necessita? A quem dou de comer?
·         Tenho fome de quê?
·         Reconheço Jesus como o verdadeiro Alimento capaz de saciar a minha fome de Viver?

Dirigente: Senhor Deus
Todos: Misericórdia.

2. DAR DE BEBER A QUEM TEM SEDE

Leitor 3: Disse Jesus: “Tenho sede” (Jo 19,28). Do alto da Cruz, Ele sentiu a angustiosa sede dos injustiçados, uma sede, já antes partilhada com os discípulos perante as dificuldades e tribulações da missão que O levou a afirmar que aquele que der um copo de água aos discípulos, será por Ele recompensado (Mc 9,41). Por outro lado, o Papa Francisco alerta-nos para a crescente escassez de recursos naturais, como a água, um direito essencial para a sobrevivência da humanidade.

·         Procuro saciar a sede aos injustiçados?
·         Reconheço que os gestos simples, como dar um copo de água a quem tem sede, é um modo de agradar a Deus?
·         Preocupo-me em preservar os bens essenciais da criação para a sobrevivência da humanidade no futuro?

Dirigente: Senhor Deus
Todos: Misericórdia.

3. VESTIR OS NUS

Leitor 3: Durante a nossa vida, ter ou não o que vestir de acordo com a necessidade, torna-se uma realidade muitas vezes esquecida no nosso dia-a-dia. Nos dias de festa, no entanto, nos preocupamos mais com o bem vestir-se, ignorando que muitos vivem nus. Nós que pelo batismo fomos revestidos de Cristo, não podemos senão vestir os que estão desprovidos de roupa ou de dignidade.
·         Como me relaciono com os bens materiais?
·         Estou atento ao que o meu próximo necessita para viver?
·         Procuro revestir os outros com a dignidade de filhos de Deus?
Dirigente: Senhor Deus
Todos: Misericórdia.

4. DAR POUSADA AOS PEREGRINOS

Leitor 3: “Era peregrino e recolhestes-Me” (Mt 25,35). Como é grande o nosso reconhecimento por aqueles irmãos e irmãs que nos recolhem em suas casas, em suas famílias, para podermos pernoitar em uma visita. Esta é talvez uma das vivências mais ricas em nossas vidas, sentirmo-nos acolhidos e bem recebidos. Quando acolhemos as pessoas, a tratamos com amor, é Cristo peregrino que recolhemos.

·         Cultivo o dom da Hospitalidade no meu quotidiano?
·         Como me relaciono com os outros? Com gestos e palavras de Acolhimento?
·         Sou grato pelo acolhimento que recebo, em nome de Cristo, durante visitas e viagens?

Dirigente: Senhor Deus
Todos: Misericórdia.

5. VISITAR OS ENFERMOS

Leitor 3: Jesus Cristo “sendo rico, fez-se pobre” (2Cor 8,9). Quando visitamos um enfermo somos desafiados a encontramo-nos com o próprio Cristo pobre e sofredor. A Doença coloca-nos perante a fragilidade, os limites e finitude da vida e neste confronto redescobrimos o valor, a riqueza de ser saudável. Recebemos muito mais do que damos ao visitar um enfermo, mas o pouco que damos é muito para quem está enfermo.

·         Faço por onde ter tempo para visitar os enfermos?
·         Quem está à espera da minha visita? Quem posso visitar?
·         Que palavra, que esperança procuro levar aos doentes? A de Cristo?

Dirigente: Senhor Deus
Todos: Misericórdia.

6. VISITAR OS PRESOS

Leitor 3: “Estava preso e fostes visitar-me” (Mt 25,36). Será porventura das visitas que mais exige de nós, talvez por serem “dos nossos próximos” mais distantes, mas julgados por nós. Eles são merecedores da justiça que não descarta a caridade. Além destes, muitos são os que vivem aprisionados fora das celas, algemados pelos vícios do álcool ou das drogas ou então por sentimentos de ódio, de rancor e de vingança.

·         Sou verdadeiramente livre?
·         Estou preso a algum vício ou a um sentimento negativo?
·         Como promovo os direitos humanos, como a Liberdade?

Dirigente: Senhor Deus
Todos: Misericórdia.

7. ENTERRAR OS MORTOS

Leitor 3: A Morte coloca-nos perante a dor e a esperança da vida. A dor de quem ama e não se quer separar da vivência quotidiana do ente amado e a Esperança do eterno Amor pelo qual ficamos unidos pela Ressureição de Cristo. No sepulcro vazio de Nosso Senhor Jesus Cristo encontramos motivação para dar uma digna sepultura a quem morre.

·         Dou digna sepultura a quem morre?
·         Procuro suavizar a dor dos enlutados com a minha presença e oração?
·         Professo a fé na vida eterna?

Dirigente: Senhor Deus
Todos: Misericórdia.

Cântico: “OBRIGADO PELA GRAÇA”
1. Obrigado, pela graça de comungar Jesus no seu altar. (Bis)
Graças Te damos, para louvar.
O Sacramento, Vivo em Teu altar. (Bis)
2. Vou contigo, meu amigo, dissemos sim, a ti ó meu Jesus. (Bis)

Dirigente: Meditemos as Obras Espirituais da Misericórdia.


OBRAS DE MISERICÓRDIA: ESPIRITUAIS

1. ENSINAR OS QUE NÃO SABEM

Leitor 3: Nem nós sabemos tudo, nem o nosso irmão sabe tudo. Estar disponível a aprender com simplicidade e humildade é uma virtude. Mas é igualmente importante ajudar o meu irmão a descobrir e aprender o que não sabe e que eu lhe posso ensinar. Ensinar os ignorantes, é uma verdadeira partilha, uma verdadeira multiplicação dos pães, que ajuda o meu irmão a crescer.

§  Reconheço, verdadeira simplicidade e humildade, que, independentemente do grau de instrução que tenho, há muita coisa para aprender?
§  Com os conhecimentos que tenho, independentemente da formação académica, ajudo o meu irmão a ter mais conhecimentos?
§  Tenho curiosidade na minha vida de modo a querer aprender mais e, ao mesmo tempo, tenho o gosto de ensinar o que vou aprendendo?

Dirigente: Senhor Deus
Todos: Misericórdia.

2. DAR BOM CONSELHO

Leitor 3: Não sabemos mais que o nosso irmão, não somos mais sábios que os outros. Saber dar bons conselhos não é o mesmo que mandar na vida do nosso irmão, mas, ajudá-lo a crescer e a descobrir o belo de fazer perguntas e o bom de descobrir as respostas, sabendo que é no nosso coração que encontramos o melhor conselho (cf. Ecl. 37, 13).

§  Questiono-me na minha vida ou vivo sem querer saber mais sobre mim?
§  Procuro respostas às minhas interrogações?
§  Ajudo o meu irmão a encontrar no seu coração o bom conselho de que precisa?

Dirigente: Senhor Deus
Todos: Misericórdia.

3. CORRIGIR O QUE ERRA

Leitor 3: A caridade, o amor, leva-nos a reconhecer os erros que cometemos e a ver os erros que os outros cometem. Mas leva-nos mais longe, provoca em nós o desejo de ajudar o nosso irmão a sair do erro. Não num sentido de repreensão, mas numa correção fraterna que leva à mudança de vida, que leva à conversão.

§  Acolho com humildade as correções que o meu irmão me faz, para meu bem?
§  Ajudo o meu irmão a sair do erro em que está, ou deixo que ele se cultive o seu erro?
§  Quando corrijo tenho em conta o bem do outro, ou apenas o meu orgulho de ser melhor?

Dirigente: Senhor Deus
Todos: Misericórdia.

4. CONSOLAR OS TRISTES

Leitor 3: O cristão é, por natureza, uma pessoa alegre, deve transmitir aos outros a alegria de viver e alegria de ter um Deus que o ama. Não quer dizer que não haja momentos difíceis e de dor. Ser misericordiosos como o Pai é sermos capazes de viver essa alegria em todos os momentos. Ser misericordiosos como o Pai é sermos capazes de transmitir essa alegria, especialmente àqueles que vivem tristes ou que estão numa situação de dor.

§  Sou uma pessoa alegre e feliz?
§  Nos momentos difíceis da minha vida entrego-me ao desânimo ou procuro ultrapassar a dificuldade e sentir o amor paternal de Deus?
§  Tenho coragem de ajudar o meu irmão que está triste, nem que seja com um sorriso ou um abraço?

Dirigente: Senhor Deus
Todos: Misericórdia.

5. PERDOAR AS INJÚRIAS

Leitor 3: Ouvimos muitas vezes falar do perdão e de que é importante perdoar. Perdoar quem nos ofende, quem nos maltrata, é difícil. A nossa tendência é, pelo menos, “pagarmos com a mesma moeda". Jesus veio trazer uma nova dimensão à humanidade: a capacidade de perdoar, a capacidade de amar, não apenas a quem nos ama e a quem de nós gosta, mas a todos, incluindo os nossos inimigos. Assim somos diferentes dos outros. (cf. Mt 5, 43-48).
§  Para mim o perdão é algo de vago e abstrato ou concreto capaz de se transformar em ação?
§  Sou capaz de perdoar a quem me ofende, ou procuro a vingança e a retaliação?
§  Como posso realizar em mim o apelo de Jesus: "Sede perfeitos como o vosso Pai Celeste é perfeito" (Mt 5, 48)?

Dirigente: Senhor Deus
Todos: Misericórdia.

6. SUPORTAR COM PACIÊNCIA AS FRAQUEZAS DO PRÓXIMO

Leitor 3: Nem sempre o outro é "da minha conta" ou estamos com paciência para aturar os outros. Mas também nem sempre os outros terão paciência para nos aturar... Saber ouvir, saber escutar o outro, saber estar com o outro, independentemente dos nossos apetites e gostos, é sermos como Jesus que com todos convivia e a todos escutava. Mesmo nas suas fraquezas o nosso irmão necessita de nós, da nossa ajuda, do nosso apoio, da nossa companhia.
§  O outro é para mim apenas um meio para me auto valorizar e sobressair como o maior do grupo, ou para eu subir na carreira, etc.?
§  Ajudo o meu irmão nas suas necessidades, ainda que não me desperte simpatia?
§  Como vejo o meu irmão? Escolho somente aqueles que me agradam?

Dirigente: Senhor Deus
Todos: Misericórdia.

7. ORAR PELOS VIVOS E OS MORTOS

Leitor 3: O nosso dia-a-dia é cheio de coisas que nos ocupam o tempo e a mente. Nem sempre a oração faz parte do nosso quotidiano. Quando o faz, quase sempre é para pedirmos coisas para nós. E os outros? Tantas vezes não sabemos como ajudar o nosso irmão ou não temos meios e possibilidade para o fazer. A oração é, tantas vezes, a principal ajuda que podemos dar. Devemos rezar pelos que já partiram para Deus os tenha na Sua plenitude, mas peçamos também pelos nossos irmãos que ainda vivem conosco para que também eles tenham o auxílio de Deus e Dele recebam as Suas Graças.

§  Como é que os outros, vivos e defuntos, estão integrados nas minhas orações?
§  Sou capaz de rezar pelos outros, mesmo pelos que me fazem mal?
§  Tenho consciência de que, pela oração, estou falando com Deus?

Dirigente: Senhor Deus
Todos: Misericórdia.

Cântico: “BENDITA FOI A HORA”
Bendita foi a hora e o dia,
Em que Jesus, na mesa ofereceu.
O pão e o vinho, a todos repartiu,
E consagrou em corpo e sangue seu.
1. O Pão de Deus, desceu do céu, para nos a dar, a vida a todos nós.
2. Quem vem a mim, não terá fome, quem crê em mim, jamais terá sede.
3. Não só do pão, o homem vive, mas da palavra, da boca de Deus.
4. Quem nos convida, é Jesus Cristo, à sua mesa, vamos comungar.
5. O Pão da vida, vou comungar, é Sacramento, vivo do seu amor.

MANTRA: (Ajoelhados rezemos)
Já chegamos à Igreja, Á casa do Senhor.
Bendito e Louvado seja, O Santíssimo Sacramento.
Santíssimo Sacramento, Sejas louvado e Bendito.
És das almas o alimento, Com Teu amor infinito.
Tu és o corpo de Cristo, Que veio do reino da Glória.
E dissestes: fazei isto, Sempre em minha memória.

MOMENTO DE SILÊNCIO

Dirigente: O Jubileu dos catequistas, nos reúne para estarmos juntos em oração pelos catequistas do mundo inteiro, ele se inspira no lema do pontificado do Papa Francisco “Miserando atque eligendo (Olhou-o com amor e escolheu-o), que se refere a uma das homilias de São Beda o Venerável, onde se narra o chamamento de Jesus ao Apóstolo São Mateus. O objetivo do evento, além de dar a oportunidade aos participantes de receber a Indulgência Jubilar, pretende recordar que a catequese e a educação religiosa - realizada pelos catequistas, professores de religião e educadores - é a primeira das obras de misericórdia espirituais: “Ensinar os ignorantes”. O Papa, na Misericordiae vultus, convida a contemplar e a pôr em prática estas obras de Misericórdia durante o Jubileu. A catequese, na verdade, é uma obra de misericórdia, porque aproxima aqueles que não conhecem Deus e ajuda aqueles que já O conhecem a amá-lo e a conhecê-lo ainda mais.

LEITURA BÍBLICA – (Opção 01)

Leitor 4: Do Evangelho de São Mateus 9, 9-13

Indo adiante, viu Jesus um homem, chamado Mateus, sentado na coletoria de impostos, e disse-lhe: 
- Segue-me. – Este, levantando-se, o seguiu.
Aconteceu que estando ele à mesa em casa, vieram muitos publicanos e pecadores e se assentaram à mesa com Jesus e seus discípulos. Os fariseus, vendo isso, perguntaram aos discípulos:
- Por que come o vosso mestre com os publicanos e os pecadores?
Ele, ao ouvir o que diziam, respondeu:
- Não são os que tem saúde que precisam de médico e sim os doentes. Ide, pois, a prendeu o que significa: “Misericórdia quero, e não o sacrifício”. Com efeito, eu não vim chamar os justos, mas os pecadores.
Palavra da Salvação

Dirigente: Jesus não só perdoa os pecados, mas transforma o pecador. Mateus, de explorador transformou-se em discípulo. Sendo chamado, Mateus prontamente se levanta e “foi com ele”. Poderia não ter respondido e ficado como cobrador de impostos. O chamado que Jesus faz a Mateus o transfere da escravidão do dinheiro à liberdade do seguimento. Os fariseus se incomodam porque Jesus vai com seus discípulos jantar na casa de Mateus. À pergunta dos fariseus, Jesus responde dizendo que são os doentes que precisam de médico, não os que têm saúde. Por isso ele vai ao encontro dos pecadores. E assim como chamou a Mateus, Jesus nos chama, pecadores que somos, a conhecer a graça do seu Reino e o mostrar às pessoas.

Cântico: “Louvor e Glória a Vós”
Louvor e glória Vós, louvor e glória a Vós.
Jesus Cristo Senhor, Jesus Cristo Senhor.

LEITURA BÍBLICA – (Opção 02)

Leitor 4: Do Evangelho de São Lucas
Naquele tempo, levantou-se um doutor da lei e perguntou a Jesus para O experimentar:
“Mestre, que hei-de fazer para receber como herança a vida eterna? ”. Jesus disse-lhe: “Que está escrito na Lei? Como lês tu? ”. Ele respondeu: “Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração e com toda a tua alma, com todas as tuas forças e com todo o teu entendimento; e ao próximo como a ti mesmo”. Disse-lhe Jesus: “Respondeste bem. Faz isso e viverás”. Mas ele, querendo justificar-se, perguntou a Jesus: “E quem é o meu próximo? ” Jesus, tomando a palavra, disse:
“Um homem descia de Jerusalém para Jericó e caiu nas mãos dos salteadores. Roubaram-lhe tudo o que levava, espancaram-no e foram-se embora, deixando-o meio-morto. Por coincidência, descia pelo mesmo caminho um sacerdote; viu-o e passou adiante. Do mesmo modo, um levita que vinha por aquele lugar, viu-o e passou também adiante. Mas um samaritano, que ia de viagem, passou junto dele e, ao vê-lo, encheu-se de compaixão. Aproximou-se, cuidou-lhe as feridas deitando azeite e vinho, colocou-o sobre a sua própria montaria, levou-o para uma estalagem e cuidou dele. No dia seguinte, tirou duas moedas, deu-as ao estalajadeiro e disse: ‘Trata bem dele; e o que gastares a mais eu o pagarei quando voltar’. Qual destes três te parece ter sido o próximo daquele homem que caiu nas mãos dos salteadores? ”.
O doutor da lei respondeu: “O que teve compaixão dele”. Disse-lhe Jesus: “Então vai e faz o mesmo”.
Palavra da Salvação.

Cântico: “Eu quero ser”
Eu quero ser, Senhor Amado,
Como o barro, do oleiro,
Rompe-me a vida, faz-me de novo,
Eu quero ser, um vaso novo.

PRECES
Dirigente: Irmãos e irmãs, Alarguemos os horizontes da nossa oração a todos os filhos de Deus e a todos os homens que procuram respostas para as suas dúvidas e façamos com fé as nossas preces:

RESPOSTA: Senhor, eu creio na Tua Misericórdia”

Leitor 5:
1) Pelo Papa Francisco, para que o Senhor O ilumine e fortaleça, para que possa continuar a confirmar os irmãos na fé e que o Senhor O ajude a renovar a Igreja OREMOS AO SENHOR!
Senhor, eu creio na Tua Misericórdia”
2) Pelos Bispos e Sacerdotes, para que sejam verdadeiros Pastores, que conduzem o rebanho, que lhes está confiado. OREMOS AO SENHOR!
Senhor, eu creio na Tua Misericórdia”

3) Pelos nossos catequistas, mulheres e homens, para que tenham a força de seguir o chamamento do Senhor, para que tenham perseverança na caminhada. OREMOS AO SENHOR!
Senhor, eu creio na Tua Misericórdia”

4) Pelo Papa Francisco, para que tenha a saúde necessária para cumprir a sua missão de Bispo de Roma e Pastor da Igreja Universal. OREMOS AO SENHOR!
Senhor, eu creio na Tua Misericórdia”

5) Pelas nossas famílias, para que o Senhor as ajude a vencerem as dificuldades do momento presente. OREMOS AO SENHOR!
Senhor, eu creio na Tua Misericórdia”

6) Pelos nossos catequizandos, crianças, jovens, adultos de todas as idades, situações para que encontrem em nós, a sabedoria necessária para guia-los. OREMOS AO SENHOR!

Senhor, eu creio na Tua Misericórdia”

Dirigente: Senhor, Pai santo, dai-nos a graça de cumprir os mandamentos que imprimistes no coração humano e não deixeis que jamais nos esqueçamos de ver em cada homem o nosso próximo. Por Cristo Senhor nosso.

MOMENTO DE SILÊNCIO

Dirigente: ORAÇÃO À MISERICÓRDIA DE CRISTO
Senhor, dá-me olhos misericordiosos, para que meu olhar
possa ver a necessidade em cada lugar.
Senhor, dá-me uma boca silenciosa, para que só pronuncie
palavras de amor e de luz.
Senhor, dá-me um caminho humilde, para que meus pés caminhem
pela senda da simplicidade.
Senhor, dá-me ouvidos cristalinos, para que só ouça Tuas palavras em todo lugar.
Senhor, dá-me um coração puro, para que guarde a esperança e, em Tua Divina Misericórdia, alcance a redenção.
Senhor, dá-me mãos prodigiosas, para que só doe e sirva aos necessitados de Ti.

Dirigente: Pai Nosso...
Dirigente: Glória ao Pai...

Dirigente: Santíssimo Sacramento
Todos: Tende piedade de nós

Dirigente: Senhor, terminada a nossa Vigília, queremos saudar-Te mais uma vez, a Ti e à Tua e nossa Mãe Maria Santíssima, cujos Corações Sagrados são a nossa proteção, cantando (ou rezando Ave Maria) ...

Cântico de maria...

Dirigente: Seja bendita e louvada e a sagrada vida, paixão, morte e ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo!

Dirigente: Sinal da Cruz.
Aqueles que quiserem ainda permanecer em oração junto ao Santíssimo, podem fazê-lo ainda por alguns momentos. (Determinar o tempo se necessário).

Cântico: (a escolha)
(Recolhimento do Santíssimo)


* * * * * *

ANEXOS:

SÚPLICAS DIANTE DO SACRÁRIO
Carne viva de Cristo, fortifica-me!
Sangue generoso do Salvador, inebria-me!
Olhar silencioso de Cristo, preenche-me!
Palavra sacratíssima do meu Mestre, instrua-me!
Braços abertos de Cristo, protege-me!
Costas abertas do Crucificado, recebe-me!
Coração transpassado de Cristo, aprisiona-me!
Mão afetuosa de Jesus, abençoa-me!
Dedo onipotente de Cristo, cura-me!
Doce ombro do Bom Pastor, reconduze-me!
Vulto amoroso de Cristo, atraí-me!
Sorriso escondido de meu Amigo, pacifica-me!
Hálito vigoroso de Cristo, dá-me a vida!
Força triunfante do Senhor, conduza-me!
Fogo ardente de Cristo, inflama-me!
Bondade do Filho de Maria, seduze-me!
Luz puríssima de Cristo, ilumina-me!
Vida que jorra do Redentor, transforma-me!
Alma sublime de Cristo, eleva-me!
Divindade do Verbo feito Carne, consagra-me!
Espírito Santo, Dom de Cristo, santifica-me!

SABEIS QUE EU VOS AMO
Senhor, Vós sabeis que eu Vos amo, porque me conheces até o fundo do meu ser.
Vós sabeis que eu Vos amo, mesmo que não o consiga exprimir na oração.
Senhor, Vós sabeis que eu Vos amo, mesmo que eu não consiga mostrar-Vos o meu amor como queria.
Senhor, Vós sabeis que eu Vos amo, mesmo que eu me pergunte se meu amor é sincero e verdadeiro.
Senhor, Vós sabeis que eu Vos amo, mesmo que eu não sinta nada deste amor que gostaria de doar-Vos.
Senhor, Vós sabeis que eu Vos amo, e que para mim viver significa amar-Vos.
Senhor, Vós sabeis muito bem como anseio entregar-me interiormente, e que estou sofrendo por não conseguir amar-Vos com mais magnanimidade.
Senhor, Vós sabeis que eu Vos amo, e que esta certeza ilumina as minhas dúvidas e angústias e que isso me encoraja para amar-Vos ainda mais, porque sabeis da verdade do meu pobre amor e mesmo assim o estimais. Amém.

QUE MEU CORAÇÃO VOS AME

Ó Coração de meu Jesus – que meu coração Vos ame,
Ó Coração de meu Jesus – que meu coração Vos agrade,
Ó Coração de meu Jesus – que meu coração suspire por Vós,
Ó Coração de meu Jesus – que meu coração Vos adore,
Ó Coração de meu Jesus – que meu coração Vos admire,
Ó Coração de meu Jesus – que meu coração seja Vosso,
Ó Coração de meu Jesus – que meu coração esteja em Vós,
Ó Coração de meu Jesus – que meu coração seja algo para Vós e, por mais desprezível que seja, ache graça diante de Vós, e seja aceito ao oferecer-Vos, o sacrifício que mais Vos agrade. Amém.

Ó JESUS MISERICORDIOSO
Ó Jesus Misericordioso – ouvi-me.
Que a graça de Vosso Coração – me converta.
Que o Sangue de Vosso Coração – me reconcilie.
Que a água de Vosso Coração – me purifique.
Que o mérito de Vosso Coração – me santifique.
Que a Cruz de Vosso Coração – me fortifique.
Que a coroa de espinhos de Vosso Coração – me adorne.
Que a contemplação de Vosso Coração – me transforme.
Que a posse de Vosso Coração – me sacie.
Que a doçura de Vosso Coração – me deleite aqui no tempo e ali eternamente. Amém.

AFETOS
Achei a Quem minha alma quer, atenho-me a Ele e não O largarei mais.
Abraça-me com Vosso amor, ó meu Jesus, tesouro infinito de meu coração.
Sinta minha alma a força de Vossa presença Divina.
Sinta como sois doce, ó Senhor, para que ela empolgada por Vosso amor, nada mais procure fora de Vós, não ame outra coisa senão só Vós.
Sois meu Rei. Não vos esqueçais de minha pobreza e miséria.
Sois meu Juiz. Tende piedade de mim
Sois o Esposo de minha alma, esposai-a convosco por todo o sempre.
Sois meu Guia e Defensor. Colocai-me a Vosso lado e defendei-me.
Sois meu Redentor. Guardai minha alma do inferno e salvai-me.
Sois meu Deus. E por isso meu Tudo. Amém.


ASPIRAÇÕES FERVOROSAS
Ó Coração ardente de Jesus, abrasai nosso pobre coração.
Ó Chagas de Jesus, penetrai-nos com uma seta de amor para com Jesus.
Ó Sangue de Jesus, inebriai-nos de amor para com Jesus.
Ó Agonia de Jesus, ajudai-nos suportar com resignação nossa última agonia.
Ó Sofrimentos de Jesus, dai-nos paciência nas contrariedades.
Ó Açoites de Jesus, preservai-nos do desespero eterno.
Ó Morte de Jesus, fazei-nos morrer para todo amor que não seja por Jesus.
Ó Lágrimas de Maria, obtende-nos a graça de chorar nossos pecados.

SÚPLICAS AO CORAÇÃO DE JESUS
Coração misericordioso de Jesus, tende compaixão de nós.
Coração penetradíssimo de dor na Cruz, por causa dos pecados do mundo, dai-nos verdadeira dor dos nossos pecados.
Coração puríssimo, purificai nosso coração de todo apego às criaturas.
Coração aberto para ser refúgio das almas, recebei-nos.
Coração cheio de mansidão, comunicai-nos Vossa ternura.
Coração humildíssimo, ensinai-nos Vossa humildade.
Coração amantíssimo, fogo abrasador, consumi-nos inteiramente, e dai-nos uma nova vida de amor e de graça.
Coração santíssimo, gravai em nosso coração as penas amargas que sofrestes por nosso amor, a fim de que, tendo-as continuamente diante dos olhos, suportemos com paciência por Vosso amor todas as penas desta vida.
Coração adorável, esclarecei aqueles que não Vos conhecem.
Coração compadecidíssimo, livrai, ou ao menos consolai as almas do Purgatório, que são Vossas esposas para sempre. Amém.

OREMOS:
Senhor Jesus Cristo, que te dignas permanecer com nós em teu maravilhoso Sacramento até o final do mundo, para dar-vos a teu Pai, pela memória de tua paixão, Glória eterna, e para dar-Vos a nós, o Pão da vida eterna: Concedei-nos a graça de chorar, com corações cheios de dor, pelas as injúrias que Vós tem recebido neste mistério adorável, e pelos muitos sacrilégios que cometem os ímpios, os hereges e os católicos. Inflamai-nos com desejo ardente de reparar todos estes insultos aos que, em tua infinita misericórdia, tens preferido expor-vos antes que privar-nos de tua Presença em nossos altares.
Vós, que com Deus Pai e o Espírito Santo Vives e Reinas, um só Deus, pelos séculos dos séculos. Amém

“Ficai certos de que todos os instantes da vossa vida, o tempo que passardes diante do Divino Sacramento será o que vos dará mais força durante a vida, mais consolação na hora da morte e durante a eternidade”


(Santo Afonso Maria de Ligório)

 
Catequistas em Formação

SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO