segunda-feira, 17 de outubro de 2016

EU SOU MISSIONÁRIA? VOCÊ É?


A MISSÃO DA IGREJA

Fomos chamados para o anúncio do Evangelho, sinal de que aceitamos por a nossa vida nisso. Aceitamos esta MISSÃO!

E esse anúncio do Evangelho, nós fazemos como IGREJA!

Mas, uma Igreja em permanente descoberta de si mesma, feita de Comunidades que nunca chegam a ser perfeitas, mas, também nunca se dão por acabadas. O Evangelho gera Igreja, a Boa Notícia gera Comunhão entre Pessoas! 

E acredito na beleza da MISSÃO da Igreja no mundo, porque a energia do Evangelho gera dinamismos de Comunhão e Encontro que ajudam pessoas concretas a serem mais felizes e a possibilitarem essas descobertas a outros também.  Acredito que o Espírito Santo, conduz a Igreja, que Ele é a própria fonte do dinamismo da Comunhão e do Encontro provocados pelo Evangelho.

Acredito que a Igreja de Jesus tem uma missão importante na história do meu mundo.

A missão de continuar o messianismo profético e libertador do Mestre de Nazaré, fazendo-se serva do Espírito e instrumento autêntico da Palavra de Deus que coincide com a plena realização do Ser Humano em Alegria, Liberdade e Felicidade.

A missão de dar uma Consciência Teológica à história humana, isto é, que ela se faça à luz da Fé, propondo sempre critérios humanizantes que orientem as nossas conquistas e descobertas na direção da Esperança e do Amor.

A missão de criar Comunidades de Irmãos em torno do Evangelho de Jesus de modo a fazer acontecer no mundo Frentes de Fraternidade que enfrentem as Frentes de Iniquidade sob as quais muitas pessoas se veem despidas da sua dignidade e direitos fundamentais.

A missão de testemunhar a Ressurreição de Jesus como Vitória do Bem sobre o Mal e da Verdade sobre a Injustiça e, deste modo, comprometer-se radicalmente com a construção deste Bem e desta Verdade.

A missão de anunciar o Reino de Deus como projeto em marcha de uma Humanidade Nova, reconciliada e renovada no seu íntimo, assumindo por isso com ousadia a denúncia de todos os Anti-Reinos que estruturam o mal e a opressão de tantos homens e mulheres a quem amamos como irmãos.

A missão de pôr em causa todas as lógicas opressoras e desumanizantes das sociedades e das culturas, e não apenas curar as feridas e compor o estômago dos magoados e famintos que elas causam.

A missão de apontar um Sentido para a Vida que ultrapasse todas as fronteiras, sobretudo as fronteiras do egoísmo, dos preconceitos e, por fim, a fronteira da morte.

A missão de propor a experiência da Fé como acontecimento libertador do Coração humano que se deixa encontrar pela ação do Espírito de Deus em nós e nos conduz a maravilhas que jamais imaginaríamos, nos faz derrotar montanhas que antes não enfrentaríamos e nos faz arriscar caminhos que antes temíamos.

A missão de despertar permanentemente a Humanidade para a urgência de Construir a Vida com a Sabedoria e a Esperança que Jesus revelou ousadamente nas Bem-Aventuranças.

A missão de celebrar a Vida nos seus diferentes ritmos e acontecimentos como momentos privilegiados para experimentarmos a Ternura de Deus e o Sentido que a Sua Palavra confere à nossa história.

A missão de se sentar assiduamente aos pés do Mestre para beber dos seus lábios os segredos da Fidelidade que torna possível realizar tudo isto…

E ao descrever tudo isto, fico com a clara sensação que estou comprometendo apenas a mim mesma em cada palavra!

Porque o que digo da missão da Igreja e para a missão da Igreja, digo de mim e para mim, antes de dizer ao outro! Antes de dizer a você...

Porque eu sou IGREJA, eu sou CATEQUISTA, eu sou MISSIONÁRIA, você é?

Receba então a sua CRUZ, e coloque nela, seu NOME...

Mas saiba que mesmo sendo ela uma cruz, por vezes até pesada demais para nossos ombros, junto dela vem a alegria, a realização de pertencer ao Projeto do Reino de Deus, então ela é doce também e a carregamos com Fé, Esperança e Amor!



Ângela Rocha
Catequista

(Adaptação de Texto Pe. Rui Santiago, cssr)

SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO