terça-feira, 17 de janeiro de 2017

DISPUTA ENTRE PODERES


Um excelente artigo sobre o momento político em que vivemos, escrito pelo Padre Gilberto Kasper* , de Ribeirão Preto - SP

Gosto de pensar que o corrupto se inicia no “berço familiar”. Barganhas que conduzem a educação dos filhos fazem dos pais os primeiros corruptos. Um exemplo muito simplista é prometer recompensas materiais aos filhos, a fim de que tenham bom rendimento escolar. Os filhos têm a obrigação de cumprir bem suas tarefas e aproveitar das oportunidades de educação que seus pais lhes garantem. Não há porque premiar o óbvio. Educar pessoas com caráter, senso de justiça e verdadeiros políticos é o grande desafio de nosso tempo.

Mas, quem sobrevive ao sistema político existente num País de tantos partidos e tamanha falta de vergonha? Todo ser humano é por excelência político. O político honesto, mesmo possuindo a arte e a ciência de bem governar, de cuidar bem dos negócios políticos, de inculcar a consciência crítica de deveres e direitos políticos nos cidadãos que o elegem, facilmente se “prostitui” por prestígio, cargos, dinheiro e conforto pessoal. Sem falar da infidelidade partidária que também não deixa de ser traição, principalmente em relação àqueles que exercem, conscientemente, sua cidadania através do voto. Assim, ao invés de vocação política, constatam-se meros politiqueiros. E politiqueiros são aqueles mesquinhos e mentirosos, que se utilizam da ignorância do eleitor para prometerem o que diante mão sabem, não poderão cumprir.

E diante desse cenário de crises política, econômica e social, inicia uma escancarada Disputa entre Poderes! O Executivo tentando tirar o País da maior crise política e econômica de sua história vai cortando na carne dos mais empobrecidos direitos conquistados com muito suor, honestidade e trabalho. Está mais preocupado em manter seu prestígio junto ao Poder Legislativo: Câmara de Deputados e Senado Federal. Precisa sempre da maioria para aprovar suas leis, mesmo sabendo que uma grande maioria se encontra mergulhada na lama investigada pelo Poder Judiciário. E a Disputa entre Poderes ocupa, diariamente, as manchetes da Imprensa e das Redes Sociais.

O Supremo Tribunal Federal, a chamada Corte Suprema já não parece mais tão suprema assim, enquanto os Ministros que com a compõem se desrespeitam e se digladiam de sentença em sentença, de liminar em liminar. Isso causa uma grande insegurança no Povo Brasileiro, tão pacífico e bondoso. Descriminaliza o aborto, como se ao terceiro mês de gestação, ainda não existisse vida no útero materno. Abortistas de Toga se colocam no lugar do Criador sem escrúpulos, assinando a Cultura da Morte num País de tanta Vida!
O Presidente do Senado descumpre uma Ordem Judicial de um dos Ministros da Suprema Corte e no dia seguinte, sem nenhuma vergonha na cara, afirma ao País, que Ordem Judicial vinda do Supremo Tribunal Federal não se discute, cumpre-se. Certamente esta sábia orientação só serve aos anônimos e não aos que sentem donos do Povo que os elegeu, equivocadamente!

A Câmara dos Deputados, seguindo o mau exemplo de Ricardo Lewandowski e mais alguns Ministros do STF, apadrinhados pelo Lulismo, porque fatiaram a Constituição num recente Impeachment e junto à Presidência do Senado Federal, deixando porque convinha Renan Calheiros na Presidência daquela casa, embora não apto a substituir a Presidência da República quando necessário rasga a Lei das Dez Medidas Anticorrupção, simplesmente para evitar que centenas de Parlamentares ocupem os Presídios já bem frequentados por Pessoas que inspiravam a confiança nacional e hoje estão sendo acusados de perigosos formadores de quadrilhas e desvio de verbas públicas, vivendo à custa de um Povo pacífico e acolhedor.

Esperamos que este Novo Ano de 2017 nos traga nova esperança e novas perspectivas, devolvendo-nos além do que nos roubaram, a dignidade e a honra de sermos Brasileiros!

Pe. Gilberto Kasper

* Mestre em Teologia Moral, Licenciado em Filosofia e Pedagogia, Especialista em Bioética, Ética e Cidadania, Professor Universitário, Docente na Associação Faculdade de Ribeirão Preto do Grupo Educacional da UNIESP, Coordenador do Curso de Teologia, Assistente Eclesiástico do Centro do Professorado Católico, Assessor da Pastoral da Comunicação e Reitor da Igreja Santo Antônio, Pão dos Pobres da Arquidiocese de Ribeirão Preto e Jornalista. 

Artigo enviado pela Catequista Abigail Martins Oliveira de Ribeirão Preto -SP.

SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO