sexta-feira, 2 de maio de 2014

ENCENAÇÃO DE PARÁBOLAS:

OITO Parábolas são mostradas:


1) “Senhor, não tenho como pagar.” (Mateus 18, 21-35).
2) “Darei a cada trabalhador, um denário por dia, agora vão para a vinha.” (Mateus 20, 1-16).
3) “Amigo, empresta-me três pães, porque um amigo chegou de viagem a minha casa, e não tenho o que lhe dar.” (Lucas 11, 5-10).
4) “Alma, tens em depósito muitos bens para muitos anos. Descansa, come, bebe e folga.” (Lucas 12, 13-22).
5) “Alegrem-se comigo, achei a minha ovelha perdida”. (Lucas 15, 3-6)
6) “Alegrem-se comigo; achei a dracma perdida.” (Lucas 15, 8-9).
7) “Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais...” (Lucas 18, 9-14).
8) “Pai, dá-me a parte dos bens que me pertence, quero conhecer o mundo e aproveitar essa vida.” (Lucas 15, 11-32).


MÚSICA DE ABERTURA
Pedro aproximando-se de JESUS, perguntou:
- Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete ?

NARRADOR/JESUS: Não te digo que até sete vezes, mas até setenta vezes sete. Por isso o reino dos céus pode ser comparado a certo rei que quis ajustar contas com os seus servos. E começando a fazê-lo, trouxeram-lhe um que lhe devia dez mil talentos. (MÚSICA)


CENA 1
SERVO - Senhor, não tenho como pagar.
REI- (Em off) Então serás vendido, assim como sua esposa e filhos para que a dívida seja paga.
SERVO - Senhor, seja generoso comigo e prometo que tudo te pagarei .
NARRADOR - Então o seu Senhor movido de íntima compaixão, mandou-o embora e perdoou-lhe a dívida. (Música)
SERVO- Obrigado, meu Senhor .
NARRADOR - Saindo ele feliz com a dívida perdoada, encontrou um dos seus companheiros que lhe devia cem denários ...
SERVO - (Agarrando-o) Paga-me o que me deves.
DEVEDOR - Por favor, seja generoso comigo e tudo te pagarei.
SERVO- Vai me pagar agora , ou então mandarei prendê-lo.
DEVEDOR- Tenha piedade , Senhor ! Estou desempregado e passando necessidade.
SERVO - Tenho piedade de mim , vai para a prisão até me pagar ! Quem deve paga .
NARRADOR - Alguns passantes, vendo o acontecido, entristeceram-se muito, e foram relatar ao seu senhor tudo o que sucedera . Então o seu senhor, chamando-o, lhe disse :
REI - Servo malvado, perdoei-te toda aquela dívida , porque me suplicaste. Não devias tu igualmente compadecer-te do teu companheiro, como também eu me compadeci de ti?
DEVEDOR - Eu precisava do dinheiro e ele não gosta de mim .
REI - Ficarás com os verdugos, até que pagues o que me deves.

NARRADOR/JESUS- Assim vos fará também meu pai celeste , se de coração não perdoardes, cada um a seu irmão, as suas ofensas .
(Música)
JESUS (OFF) - O reino dos céus é semelhante a um pai de família que saiu de madrugada para contratar trabalhadores para a sua vinha ...
(Música)


CENA 2
PAI - Darei a cada trabalhador, um denário por dia , agora vão para a vinha .
NARRADOR/JESUS - Perto da hora terceira ele saiu e viu, na praça, outros que estavam desocupados .
PAI- Ide vós também para a vinha, e dar-vos-ei o que for justo.
NARRADOR/JESUS- E eles foram . Saindo outra vez, perto da sexta e nona hora, ele fez o mesmo. Na décima hora ele saiu e encontrou outros que estavam desocupados, e perguntou-lhes :
PAI - Por que estivestes aqui desocupados o dia todo ?
TRABALHADOR- Porque ninguém nos contratou .
PAI - Ide vós também para a vinha, e recebereis o que for justo .
JESUS (OFF) Chegada à tarde , disse o dono da vinha ao seu administrador : Chama os trabalhadores e paga-lhes o salário, começando pelos últimos, indo até os primeiros . Vindo os da décima hora, receberam um denário cada um . Vindo, porém, os primeiros, pensaram que receberiam mais. Porém, também eles receberam um denário cada um e murmuraram contra o pai de família ...
TRABALHADOR- Estes últimos trabalharam só uma hora, e tu os igualaste conosco, que suportamos a fadiga e o calor do dia .
PAI - Amigo, não te faço injustiça . Não combinaste comigo um denário ? Toma o que é teu , e retira-te . Eu quero dar a este último tanto quanto a ti . Não tenho o direito de fazer o que quiser com o que é meu ? Ou é mau o teu olho porque eu sou bom ? (Música)
NARRADOR/JESUS - Assim, os últimos serão os primeiros, e os primeiros, últimos; pois muitos são chamados, mas poucos escolhidos . Qual de vós terá um amigo e se este for procurá-lo à meia-noite, e lhe disser :


CENA 3
AMIGO - Amigo, empresta-me três pães, porque um amigo chegou de viagem a minha casa, e não tenho o que lhe dar .
DA CASA - Não me importunes, a porta já está fechada , e os meus filhos estão comigo na cama . Não posso levantar-me para lhe dar os pães .
AMIGO- Mas eu preciso dos pães e você pode me ajudar .
DA CASA - Vá pedir a outro .
AMIGO- estou pedindo a você que é meu amigo .
JESUS - Digo-vos que, ainda que não se levante a dar-lhe os pães, por ser seu amigo , levantar-se-á, todavia, por causa da sua importunação, e lhe dará tudo o de que ele necessitar .
DA CASA - Toma e não importunes mais, me deixe dormir .
AMIGO - Obrigado amigo !
NARRADOR/JESUS - Por isso vos digo: Pedi, e dar-se-vos-á. Pois qualquer que pede recebe; quem busca acha; e a quem bate abrir-se-lhe-á . Qual o pai
dentre vós que, se o filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra ? Ou se lhe pedir peixe, lhe dará uma serpente ? Ou um ovo, lhe dará um escorpião ? Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o pai celestial o Espírito Santo àqueles que pedirem. (Música)
Um Homem diz a Jesus : Mestre , dize a meu irmão que reparta comigo a herança .
NARRADOR/JESUS - Homem, quem me pôs a mim por juiz ou repartidor entre vós? Acautelai-vos e guardai-vos da avareza; a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui (Encenado) O campo de um homem rico produziu com abundância . Então ele reclamava consigo mesmo, dizendo :


CENA 4
HOMEM - Que farei? Não tenho onde recolher os meus frutos. Farei isto: Derrubarei os meus celeiros, e edificarei outros maiores, e aí recolherei todo o meu produto e todos os meus bens. Então direi à minha alma: Alma, tens em depósito muitos bens para muitos anos. Descansa, come, bebe e folga.
NARRADOR/JESUS - Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma. Então o que tens preparado, para quem será? (Homem escutando a voz se prostra de joelhos) Assim é aquele que para si ajunta tesouros, e não é rico para com Deus.
(MÚSICA)
Que homem dentre vós, tendo cem ovelhas, e perdendo uma delas, não deixa no deserto as noventa e nove e não vai após a perdida até achá-la ? E quando a encontra, põe-na sobre os ombros, cheio de alegria , (Encenando) e vai para casa . Então convoca os amigos e vizinhos, e lhes diz :


CENA 5
HOMEM- Alegrem-se comigo , achei a minha ovelha perdida .
NARRADOR/JESUS - Digo-vos que do mesmo jeito haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento . Ou qual a mulher que, tendo dez dracmas, (Encenando) se perder uma, não acende a candeia , varre a casa e a busca com diligência até achá-la ? E quando a encontra, convoca as amigas e vizinhas, dizendo :


CENA 6
MULHER - Alegrem-se comigo; achei a dracma perdida.
NARRADOR/JESUS - Assim vos digo que há alegria diante dos Anjos de Deus por um pecador que se arrepende. (MÚSICA) Dois homens subiram ao templo para Orar, um era fariseu e o outro, cobrador de impostos. O fariseu, posto em pé, Orava consigo desta maneira:


CENA 7
FARISEU- Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros, nem ainda como este cobrador de impostos. Jejuo duas vezes na semana e dou os dízimos de tudo o que possuo.
NARRADOR/JESUS - O cobrador de impostos, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao Céu, mas batia no peito, dizendo:
COBRADOR- Ó Deus, tem misericórdia de mim , pecador!
NARRADOR/JESUS - Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele. Pois qualquer que a si mesmo se exaltar será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilhar será exaltado.
(MÚSICA)
Certo homem tinha dois filhos . O mais moço disse ao pai:


CENA 8
MOÇO- Pai, dá-me a parte dos bens que me pertence, quero conhecer o mundo e aproveitar essa vida e não ficar aqui preso e acabar nessa fazenda .
NARRADOR/JESUS-E o pai repartiu os bens entre os dois . Poucos dias depois, o filho mais novo, ajuntando tudo, partiu para uma terra longínqua, e ali desperdiçou os seus bens , vivendo dissolutamente .
MOÇO- Isso é que é vida , mulheres, bebidas, amigos...
NARRADOR/JESUS- Tendo ele gastado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a padecer necessidades .
MOÇO- Onde estão todos os meus amigos ? Os companheiros de festas ? As mulheres que diziam que me amavam ? Que eu era lindo ! Maravilhoso ! Eles sumiram ! Acabou o meu dinheiro da herança , e agora ?
NARRADOR/JESUS- Então ele foi e se chegou a um dos cidadãos daquela terra, o qual o mandou para os seus campos a apascentar porcos . (Música) Ele desejava encher o estômago com as alfarrobas que os porcos comiam, mas ninguém lhe dava nada . Então , caindo em si, disse :
MOÇO- Quantos trabalhadores de meu pai tem abundância de pão, e eu aqui pereço de fome ! Levantarei e irei falar com meu pai , direi-lhe : Pai , pequei contra o Céu e perante ti , já não sou digno de ser chamado teu filho , coloque-me como um dos teus trabalhadores . É isso que farei, estou arrependido de ter abandonado o meu querido pai , por esse mundo corrompido e perverso , onde não temos amigos .
NARRADOR/JESUS- Então, levantando-se, foi para seu pai .Quando ainda estava longe, viu seu pai, e se moveu de íntima compaixão e , correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou .
MOÇO- Pai , pequei contra o Céu e perante ti, já não sou digno de ser chamado teu filho .
NARRADOR/JESUS- Mas o pai disse aos seus servos : Trazei depressa a melhor túnica e vesti-o com ela, e ponde-lhe um anel na mão, e calçados nos pés . Trazei o bezerro cevado, mata-o . Comamos e alegremos-nos , pois o meu filho estava morto e reviveu, tinha se perdido, e foi achado . E começaram a alegrar-se . O filho mais velho estava no campo . Quando voltou e chegou perto de casa, ouviu a música e as danças . Chamando um dos criados, perguntou ...
IRMÃO - O que é toda essa bagunça ?
CRIADO- Veio teu irmão, e teu pai matou o bezerro cevado, porque o recebeu são e salvo .
NARRADOR/JESUS - Mas ele se indignou, e não queria entrar . Então, saindo o pai, conversou com ele , mas ele respondeu :
IRMÃO - Olha pai , te sirvo há tantos anos, sem nunca transgredir o teu mandamento, e nunca me deste um cabrito para alegrar-me com meus amigos. Vindo, porém, este teu filho, que desperdiçou os teus bens com meretrizes e o Senhor mandou matar para ele o bezerro cevado?
PAI - Filho, tu sempre estás comigo, e todas as minhas coisas são tuas . Mas era justo alegrarmo-nos e folgar-mos, porque este teu irmão estava morto e reviveu, estava perdido e foi achado . (MÚSICA)


NARRADOR
O Coração é o centro do seu intelecto, é o centro das emoções e o centro da vontade humana. Os sentimentos, pensamentos, desejos, valores, vontade e decisões da pessoa é atraído pelas coisas que ela considera mais importantes. Quem tem como o seu tesouro as coisas terrestres, terá seu coração escravizado por tais coisas, mas se tiver voltado para o Reino de Deus, a sua palavra, a sua presença, a sua Santidade, e um relacionamento totalmente voltado ao Senhor, o Coração será sempre atraído para as coisas Celestiais e esperando a volta de Nosso Senhor Jesus Cristo. Disse Jesus: Ide por todo o mundo, pregai o Evangelho a toda a criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. E estes sinais seguirão aos que crerem; em meu nome, expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum ; e imporão as mãos sobre os enfermos e os curarão . E essa promessa é para os que estão com as mãos no arado, onde muitos não querem se comprometer e onde muitos largaram essa ordenança de Nosso Deus, sabendo que o dia do juízo virá . (Música aumenta).

SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO