CONHEÇA!

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2023

ROTEIRO DE ENCONTRO – SAL DA TERRA, LUZ DO MUNDO (Querigma)

No Evangelho do Domingo, vimos o tema: "Sal da Terra e luz do mundo". Nada mais apropriado que fazer um encontro querigmático sobre o tema!

 

TEMA: Querigma/anúncio

Evangelho: Sal e Luz – Mt 5, 13-16.  *( O ideal é utilizar o Evangelho do Domingo)

ABERTURA:

- Acolher as crianças (e os pais que desejarem ficar).

- Apresentar os catequistas às crianças e falar como vai ser a catequese nesse começo de ano: dias, horários (distribuir calendário dos encontros iniciáticos)

- Mostrar a paróquia às crianças, o centro de pastoral, salas, banheiro, auditório, salão, pátio...

- Falar brevemente sobre a missa e como eles devem participar dela com a família.

- Introdução ao Evangelho do dia.

Jesus ensina sobre o Sal e a Luz do Mundo

OBJETIVO: Conscientizar o catequizando de que sua função como sal é temperar a vida das pessoas, e como luz, refletir o brilho de Jesus através de suas atitudes. Conversar sobre o significado desta mensagem de Jesus, que diferença esse conhecimento pode fazer em nossas vidas, o que podemos e devemos fazer para ser o sal da Terra.

Leitura Bíblica: Mateus 5, 13-16

Oração pós leitura:

Senhor, fazei com que o Evangelho seja sempre luz, para que possamos refleti-la ao mundo. Que sejamos sempre o sal que preserva e dá sabor, alegria à caminhada rumo ao Vosso Reino. Amém!

DINÂMICA  01:

Leve saquinhos individuais de pipoca SEM SAL. Distribua aos catequizandos. Observe suas reações e comente. Eles certamente irão comentar:

- "Ih, tia! Tá sem sal"...

Explicar a importância do sal para deixar as coisas com o gostinho bom! Leve um saleiro para salgar as pipocas e deixe que saboreiem a pipoca enquanto você conta a história. Como outra opção, você pode levar um saleiro e colocar diferentes pitadas de sal (pouco, normal, muito) na palma das mãos dos alunos e à medida que forem provando, observar e comentar se é agradável ou não.

Converse com o grupo sobre o valor do sal. De seu nome veio a palavra salário, pois era uma mercadoria cara e extremamente valiosa nos tempos de Jesus, onde o sal ajudava na conservação dos alimentos. Hoje temos a geladeira e não imaginamos o quanto era difícil conservar a comida comprada com esforço, que seria utilizada na próxima refeição ou no dia seguinte.

O sal dá sabor a todos os alimentos. O sal é uma substância essencial ao homem e indispensável a todos os tipos de vida animal. A palavra latina "salário" deriva do sal, uma vez que em sal se pagava uma parte do ganho das legiões romanas. Sem o sal, os alimentos são insípidos (sem sabor). Então, somos como o sal que dá vida e sabor aos alimentos, dando sabor e alegria à vida das pessoas.

DINÂMICA 2

Material: Uma lanterna ou uma caixa de fósforo.

Converse com o grupo sobre a luz. Fale sobre a luz física, esta que enxergamos, que clareia os ambientes, revela o nosso entorno, evitando tropeços e esbarrões. Lembre-os da época da formação do planeta onde tudo era trevas e sombras, névoas densas que não nos permitia enxergar logo à nossa frente. Apague a luz da sala e deixe-a na completa escuridão, se for possível. Senão, solicite que fechem os olhos. Peça que o grupo fale sobre suas sensações, dúvidas do que está a sua frente. Convide um voluntário a se levantar e a realizar alguma tarefa simples. Comente com o grupo o resultado. Acenda a lanterna e peça que a mesma tarefa seja realizada, agora com a luz que a lanterna fornece. Comente com o grupo o resultado.

Faça agora a comparação com os valores espirituais, onde o espírito precisa da luz interior para se conduzir, do mesmo modo que o homem precisa da luz do dia para locomover-se. Caminhar nas trevas é expor-se a toda sorte de perigos, a ausência de luz é que nos leva ao vício, aos desvios, ao mal. Podemos escolher em sermos prismas difusores de luz ou nos manter opacos.

Para finalizar, peça que todos fechem os olhos novamente, bem fechadinhos... fiquem um tempo assim... depois abra de uma vez e veja como a luz do ambiente faz com que enxerguemos melhor. Se estive num ambiente que propicie, apague as luzes novamente, dê uma vela a cada um e acenda, comprovando a luminosidade conseguida no ambiente pela união de pequenas chamas, os focos de luz que devemos ser onde estivermos.

UMA PEQUENA HISTÓRIA – (Para complementar se houver tempo)

"Um homem cego foi encontrado em uma esquina da cidade, sentado ao lado de uma lanterna. Quando lhe perguntaram a razão pela qual trazia uma lanterna, visto que para ele, a escuridão ou a claridade eram a mesma coisa, ele respondeu: "Eu a mantenho ao meu lado para que, no escuro, ninguém tropece e caia sobre mim."

Será que nós, cristãos, temos tido o cuidado de cumprir o nosso papel de "luz do mundo", para que ninguém tropece e caia por nossa causa?

Como a gente pode fazer para ajudar as outras pessoas a enxergar melhor?


ORAÇÃO FINAL:

Senhor, Somos pequenos e frágeis e sabemos que só quando deixarmos que o sabor do Evangelho nos transforme, é que poderemos ser sal do mundo. Da mesma forma somente quando a Tua luz verdadeira inundar nossos corações é que poderemos ser luz do mundo. Por isso te pedimos que jamais desviemos nosso olhar de Ti, que é a fonte que nos torna capazes de sermos sal da terra e luz do mundo. Amém!

Pai-Nosso...

ATIVIDADES DE FIXAÇÃO:

Para reforçar o encontro, fazer algumas lâmpadas e pacotinhos de sal no papel sulfite. Distribuir e pedir às crianças que pintem conforme o gosto delas e coloquem seus nomes.

Os meninos ficam com as lâmpadas e as meninas com o sal, e num momento adequado você pede aos meninos que digam ás meninas: “Vocês são o sal da humanidade!” E as meninas dizem para os meninos: “Vocês são  a luz do mundo!”.

Se possível colar os trabalhinhos deles pintados num mural ou porta de entrada da Igreja, antes da missa.

LEMBRANCINHAS:

Como lembrancinha do encontro pode ser dado um pirulito com a figurinha do sal e da luz colados.

Modelos dos saquinhos e da lâmpada:

 

 



Fonte: Adaptação de vários encontros - Apostilas e internet.


Ângela Rocha
(Catequese de Iniciação para família)




domingo, 5 de fevereiro de 2023

TESTEMUNHO: REGIANA OLIVEIRA DE SUZANO - SP

 

Regiana Oliveira - SP

Foi através desse Grupo que me tornei a Catequista que sou hoje,
Foi aqui que tive meu primeiro contato com documentos da igreja, aqui contém muitos arquivos, partilhas, formações. Foi por esse grupo que impulsionada a buscar cada vez mais conhecimentos, sei que ainda tenho muito o que aprender, pois a nossa busca, a nossa Formação precisa ser contínua.
Agradeço demais as colaboradoras e a idealizadora Ângela Rocha , por toda sua dedicação em trazer conhecimento e direcionamento para nós catequistas mesmo antes de qualquer rede social chegar ela já estava aqui.
Obrigada e Parabéns pela comunidade, pelo Blog e por todo seu trabalho, dedicação e partilha do seu conhecimento para conosco. Deus continue abençoando para que sempre que possível esteja conosco. Você é e sempre será a nossa Catequista de base, que vive a nossa realidade, que se expõe para nos ajudar e contribuir para o nosso desenvolvimento. Sou grata e te admiro demais! 
🙏🙏


Muito Obrigada, querida Regiana! Mas, sem o seu próprio esforço, não estaria onde está hoje! Regiana foi uma das primeiras catequistas do grupo, muito tenaz e persistente, transforma a catequese da sua comunidade.  Ela colaborou conosco na administração do grupo durante alguns anos!

MATEUS NOS CONVIDA A SER SAL DA TERRA E LUZ DO MUNDO

FONTE: CEBI.ORG

Neste domingo do tempo comum a comunidade de Mateus nos convida a ser Sal na terra e Luz no mundo.

Uma comunidade que vivia muitos conflitos, formada por judeus convertidos num período desafiador após a destruição de Jerusalém pelos romanos. Como viver a mensagem de Jesus e continuar seguindo a Lei de Moisés? Como ser sinal num mundo conflituoso em que alguns abandonavam a lei antiga, outros afirmavam a necessidade de seguir a tradição judaica e ainda fugir da perseguição imposta à comunidade cristã? Em meio aos sofrimentos cotidianos de  pobreza, falta de trabalho, doenças e abandono do povo, a comunidade buscava entender a mensagem de Jesus e  reinterpretar a Lei de Moisés a partir da prática e do ensino e da busca  pela justiça, fundamento daquela comunidade.

Este trecho que refletimos neste domingo mostra Jesus ensinando a comunidade a partir de comparações com elementos da vida diária. Pede a comunidade para ser  Sal da terra e Luz do mundo. O sal é imprescindível no preparo da comida, a fim de dar sabor. Mas desaparece ao se   misturar com a comida. A comunidade seguidora de Jesus deve ser o sal que traz sabor à vida do povo. Que dá um novo sentido às relações sociais, baseada na justiça marcada pela partilha do pão.

Outra comparação é a comunidade como Luz no mundo e como tal, ter a função de iluminar os caminhos a partir da proposta de Jesus. E como luz deve brilhar e não se esconder. Anima a comunidade a ter coragem para testemunhar Jesus e enfrentar os desafios diários de perseguição, ao mesmo tempo, ensinar a comunidade a ser praticante da palavra e testemunha da vida nova que Jesus propunha.

Para nós, hoje, esse texto alimenta e fortalece a luta diária por justiça. Como ser sal da terra e luz no mundo diante da realidade desafiadora que se impõe?

Seguir esses ensinamentos coloca a necessidade de sermos comunidades comprometidas com as lutas por  justiça em todos os campos em que ela está ausente. Sermos comprometidos/as com as lutas  do povo por  terra, pão, trabalho, saúde, igualdade racial e de gênero, por um  ambiente sustentável e acolhedor de todas, todos e todes. Ser Sal da Terra para temperar a vida do povo com novos sabores de justiça e Luz do Mundo para apontar que podemos ter um outro mundo possível.

Mateus 5, 13-20
Eliana da Silva – CEBI Alagoas

FONTE: https://cebi.org.br/reflexao-do-evangelho/a-comunidade-de-mateus-nos-convida-a-ser-sal-na-terra-e-luz-no-mundo/