sexta-feira, 18 de março de 2016

SOBRE A DETERMINAÇÃO

Um excelente texto do Pe. Santos Calmeira Matias para aplicarmos à nossa vida e missão, principalmente aqueles que trabalham com coordenação e na liderança pastoral.


DETERMINAÇÃO!

A determinação só é eficaz quando está associada a um projeto de vida. Há muitas pessoas que, no início tinham um leque muito limitado de possibilidades ou talentos. Mas, devido à sua determinação chegaram muito longe. Como sabemos, o leque dos talentos pessoais é dinâmico. A fidelidade as possibilidades de hoje ampliam as possibilidades do amanhã. Uma pessoa profundamente confiante na força de Deus, que circula no seu íntimo, tem a certeza de que muitas das coisas antes impossíveis se tornam possíveis. A determinação é fundamental para que isto possa acontecer.

É fundamental planearmos os nossos objetivos e acreditarmos que, mesmo os mais elevados, podem ser conseguidos graças à força de Deus e à nossa determinação. Este é o caminho para atingirmos a maturidade pessoal e conseguirmos metas ou objetivos cada vez mais elevados. A pessoa determinada sabe que não pode desperdiçar o tempo, pois o tempo perdido nunca mais é recuperado. O tempo é a possibilidade que Deus nos dá para realizarmos o melhor dos nossos talentos. A nossa plenitude depende da nossa realização no tempo.

Os nossos talentos são apenas possibilidades. Estas não se tornarão realidade enquanto a pessoa os não fizer acontecer. É importante tomarmos consciência dos nossos talentos reais e começarmos a realizá-los. Ninguém me pode substituir na realização desta tarefa. É certo que o pensamento precede a ação. Mas também é verdade que o pensamento que não conduz à ação e à vida é estéril. A determinação implica a capacidade de fazer projetos e correr riscos.

Quando é a Palavra de Deus a inspirar os nossos projetos e realizações, a nossa vida atinge uma densidade humana mais profunda, pois está de acordo com a verdade do Homem e a verdade de Deus. Só há garantias de sucesso eterno o que realizamos de acordo com a verdade de Deus e a verdade do Homem. Quando fracassamos num projeto devemos ter a determinação de fazer uma revisão da nossa vida e programar de novo. Felizes dos que contam com os outros para crescer com eles.

Os outros só estarão dispostos a caminhar conosco se estivermos dispostos a caminharmos com eles, não como quem sabe tudo, mas como quem deseja descobrir-se em comunhão com os demais. Não conseguiremos criar comunhão se não nos alegrarmos com o sucesso dos que vivem ao nosso lado. O Evangelho diz-nos que o melhor sinal de que queremos crescer com os outros é a determinação de nos pormos ao seu serviço (Mc 10, 35-40). 

É importante estimular os outros no sentido de voar cada vez mais alto. A pessoa que se limita a fazer o que faz a multidão nunca irá além da mediocridade. Aqueles aos quais se juntou nunca o quererão imitar. A pessoa que se fundiu na multidão nunca será seguida pela mesma multidão. A pessoa que quer caminhar com outros deve ter a coragem de confiar neles. A pessoa autoritária gosta de se impor pelo medo. Esta pessoa nunca será amada pelos outros. A pessoa amadurecida, pelo contrário, impõe-se pela confiança.

A pessoa pretensiosa pretende conhecer tudo. E nunca terá muita gente a querer descobrir e conhecer a seu lado. A pessoa fraterna gosta de colocar interrogações e escutar as respostas dos outros. Uma pessoa determinada não significa uma pessoa pretensiosa. A determinação é uma qualidade, mas a pretensão é um defeito. A pessoa pretensiosa centra-se em si. A pessoa fraterna centra-se no grupo com o qual quer crescer.

A pessoa a liderar uma caminhada de grupo deve ter presente que os melhores líderes passam quase despercebidos. No entanto, conseguem conduzir as pessoas no sentido que desejam e sentem ser o melhor para o grupo. Liderar é uma tarefa e não um título. A pessoa que lidera tem de olhar muitas vezes para o que não gosta de ver, e escutar o que não gosta de ouvir. Mas isto não o desencoraja de prosseguir com determinação o objetivo programado. 

O bom líder consegue manter o facho da fé e da esperança acesos, apesar das dificuldades. A pessoa autoritária não é um bom líder, pois faz do poder sobre os outros o objetivo da sua ação. O líder criterioso apoia-se na bondade e no respeito pelos outros. A pessoa autoritária procura agitar a bandeira do medo. O verdadeiro líder, pelo contrário, procura suscitar entusiasmo e gosto pela ação.

A pessoa autoritária está sempre a dizer “EU”, o líder autêntico prefere dizer sempre “NÓS”. A pessoa autoritária gosta de dizer “VÃO”. O bom líder prefere dizer “VAMOS”. O autêntico líder é forte, mas nunca é grosseiro ou rude. É amável, mas não frágil, pois é uma pessoa determinada. O grande segredo da boa liderança está no diálogo e na arte de influenciar as pessoas pela via da motivação.

 Pe. Santos Calmeiro Matias

SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO