terça-feira, 17 de junho de 2014

DICAS PARA FORMAÇÃO DE GRUPOS DE JOVENS

Sua paróquia/comunidade não tem grupo de jovens? 

Pois vamos incentivar a criação de um. Mas antes é preciso atentar para o que diz a nossa Igreja a respeito do assunto.

Primeiro o grupo se reúne estuda e vê as características que quer ter, se Grupo, Movimento ou Pastoral, mas sempre ligados a uma comunidade ou paróquia. Aí depende dos objetivos que o grupo quer atingir ou da Mística de cada um. Acredito que o primeiro passo para que isso aconteça é que deve existir uma assessoria ou coordenação de Pastoral de Juventude na Paróquia para ajudar os jovens nisso.

Outro passo importante é a leitura do CIC - Catecismo da Igreja Católica, documento régio da Igreja Católica, nos itens 1877 a 1948 que fala da "COMUNIDADE HUMANA", apesar de não tratar de questões práticas, trata da organização da sociedade.

As EXORTAÇÕES DO PAPA PARA AS JORNADAS MUNDIAIS DA JUVENTUDE, também são documentos interessantes de se ler. Mais para incentivo aos jovens na caminhada pastoral.

O Documento da CNBB n.º 85 – EVANGELIZAÇÃO DA JUVENTUDE – Desafios e perspectivas pastorais, traz na III parte, linhas de ação (página 88 em diante) para organização de grupos de jovens, há um subtítulo que fala sobre pistas de ação. Acredito que isso possa ajudar muito a formação do grupo.

É importante também conhecer as DIRETRIZES GERAIS DA AÇÃO EVANGELIZADORA DA IGREJA NO BRASIL – 2011-2015, para estar por dentro das diretrizes atuais.

Os ESTUDOS DA CNBB Nº 44 – A PASTORAL DA JUVENTUDE NO BRASIL E ESTUDOS DA CNBB Nº 93 - EVANGELIZAÇÃO DA JUVENTUDE, DESAFIOS E PERSPECTIVAS PASTORAIS; trazem complementos ao assunto já abordado no Doc. 85.

O JORNAL MUNDO JOVEM, também traz subsídios para criação de grupos de jovens no endereço http://www.mundojovem.pucrs.br no link Subsídios.

No mais, regras e normas devem ser criadas em consenso pelo grupo para o bom andamento dos trabalhos, sempre levando em conta também o que determinam os CONSELHOS PAROQUIAIS E AS NORMAS DIOCESANAS PARA A JUVENTUDE.

Outra coisa, é preciso distinguir muito bem a diferença existente entre Pastoral e Movimento. Geralmente os movimentos têm um caráter de espiritualidade e seguem um carisma próprio, envolvendo mais ou menos às mesmas pessoas que vivenciaram um encontro, um retiro ou uma catequese. Os movimentos nascem e se formam num contexto externo à igreja local. Estão mais ligados à vida pessoal das pessoas, visando a espiritualidade e a vivência de certos aspectos da fé.

Quando falamos em Pastoral, a mesma tem como finalidade concretizar a mensagem da Boa Nova, seja nas estruturas sociais, seja no testemunho diário e constante. A pastoral consiste em atualizar para o nosso tempo as atitudes de Jesus como bom pastor. As atividades devem ser voltadas para as exigências da Ação Evangelizadora: serviço, diálogo, anúncio e testemunho.

Os grupos sempre estarão ligados a uma Pastoral ou a um Movimento. Aliás, as pastorais e movimentos “se fazem com grupos”.

Ângela Rocha
angprr@uol.com.br

SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO