quinta-feira, 24 de abril de 2014

PEROLAS DO DNC



A CATEQUESE DEVE ENSINAR PARA O RITO: LITURGIA


O ser humano é, por natureza, ritual e simbólico. Refeições em família, nascimentos e mortes, festas populares, comícios, perdas e vitórias humanas são cheias de ritos. Pelo rito, expressamos o sentido da vida, oferecido e experimentado por um ser cultural.

Aderir ao rito significa abrir-­se ao sentido proposto por aquele grupo e, portanto, assumir sua identidade, fazer parte dele.


A observância do mandamento de Jesus: “fazei isto em memória de mim” possibilita a adesão, sempre renovada e reforçada em cada celebração, à identidade com Ele e à comunidade cristã. A identidade, nesse caso, tem a ver com o sentido da vida, a proposta do reino (amor, comunhão, partilha...) que Jesus ensinou, viveu e nos deixou como mandamento.


A expressão ritual trabalha com ações simbólicas e estas atingem o ser humano como um todo, em suas diversas dimensões: sensorial, afetiva, mental, espiritual, individual, comunitária e social. A ligação estreita que existe entre experiência, valores e celebração nos permite formular uma espécie de lei estrutural da comunicação religiosa: aquilo que não é celebrado não pode ser apreendido em sua profundidade e em seu significado para a vida.

A catequese leva em conta essa expressão de fé pelo rito para desenvolver também uma verdadeira educação para a ritualidade e o simbolismo.

(DNC 116)

SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO