domingo, 12 de janeiro de 2014

RITOS E CELEBRAÇÕES NA CATEQUESE – PARTE IV


PRINCIPAIS CELEBRAÇÕES: ENTREGA DO PAI-NOSSO

SIMBOLO: Preparar a oração do Pai-Nosso no formato “pergaminho” ou qualquer outra forma criativa; pode também colar uma estampa ou medalha com Jesus junto ao texto do pergaminho.

Antes, um pequeno lembrete...

Qualquer rito de entrega que se faça, ENCERRA ou MARCA uma etapa da catequese, não necessariamente um período/ano, mas uma fase de conteúdos, por exemplo que fale sobre as principais fórmulas de oração. Não é preciso que se faça, obrigatoriamente, uma “entrega” vinculada a esse ou aquele “ano” de catequese.  Os ritos e celebrações devem ter ligação íntima com o conteúdo abordado na catequese, ou seja, celebra-se um “acontecimento” especial.

A Entrega do Pai-Nosso ou Festa do Pai Nosso deve encerrar um período em que se trabalhe a Oração do Senhor com os catequizandos e também de um encontro com os pais/responsáveis a respeito das Orações ou desta oração em especial.

Quando fazer a entrega do Pai Nosso?

Ao longo da catequese, em todos os encontros, trabalhamos a oração com as crianças, ensinamos a orar e a “conversar” com  Deus. Esta é uma das finalidades da catequese e, normalmente, as crianças estão maduras para entender a importância da oração que Jesus nos ensinou, no segundo ano da catequese. Ainda assim, é importante que se faça uma prévia explanação da entrega do símbolo às crianças e da importância de se “mostrar” à comunidade que elas já sabem orar e estão mais amigas e “íntimas” do Senhor.

Não se faça, de forma alguma, uma celebração vazia de significado, onde os catequizandos, pais e a comunidade, participem sem se envolver de forma mistagógica na celebração. Esse é o sentido da entrega dos símbolos: despertar os catequizandos para o mistério da fé, fazê-los vivenciar os conteúdos aprendidos na catequese. Que se faça “festa” sim, mas que não se peque por exageros e excessos, comprometendo o ritual da missa e a liturgia.

Ambiente:
- Velas, flores, cartaz escrito “FESTA DO PAI NOSSO”.
- Preparar um local para colocar as simbologias citadas: bandeja com os pergaminhos.

Orientações:
- Esta celebração deve ser realizada preferencialmente na missa, com a assembléia paroquial reunida, utilizando as leituras do dia (quando for possível fazer esta celebração no domingo com a leitura apropriada (Mt 6, 9-13 ou Lc 11, 2-4. Obs. Em 2014 não teremos estas leituras no domingo).
- Aproveitar momentos como a entrada da Palavra e Ofertório para envolver os pais dos catequizandos.

RITOS INICIAIS:

Comentarista (sugestão): A nossa comunidade paroquial hoje está em festa porque os nossos catequizandos vão receber a oração do Pai Nosso. Eles foram aprendendo ao longo deste ano que Deus é um Pai maravilhoso, que nos dá a vida e tudo faz para o nosso bem. Com Jesus, aprenderam a tratá-lo por Pai do Céu. Jesus chama Deus de “Abba”, que quer dizer “Paizinho”. Jesus quer nos mostrar que nós também podemos ter esta intimidade com Deus. Ele é o nosso “paizinho”. Nossos catequizandos sabem que, pelo Batismo, fazemos parte da família dos filhos de Deus – a Igreja. E esta família está hoje aqui reunida. Convidamos a todos, então, a louvar o nosso pai do Céu nesta nossa celebração.

(Entram duas crianças com o cartaz FESTA DO PAI-NOSSO, ladeados por duas velas e um ramo de flores que são colocados em lugar de destaque. Enquanto entram pelo corredor central, alguém lê o texto de Lucas 11, 2-4, como se fosse Jesus falando. O leitor do texto pode ficar escondido. Após a proclamação, canta-se o canto de entrada).

Liturgia da Palavra

Liturgia Eucarística

ENTREGA DO PAI-NOSSO - (Antes da oração no início do rito da comunhão)
Os catequistas ficam a frente com os pergaminhos.

Presidente:  Neste momento, vocês, queridos catequizandos, vão receber a oração do Pai-Nosso, para rezá-la todos os dias, para sentirem confiança no amor de Deus por vocês.
Convidamos os pais ou responsáveis a vir buscar a oração com os catequistas e entregá-la a seus filhos dizendo:
“Recebe o Pai-Nosso, a oração que Jesus nos ensinou.
Reze-a todos dos dias em sinal do amor ao Pai do céu.”

(Outra opção, dependendo do número de catequizandos, é o próprio presidente da celebração fazer a entrega da oração, significando o próprio Cristo fazendo a entrega).

A seguir o presidente motiva para a oração do Pai-Nosso no rito oficial, que pode ser cantada desde que seja a oração correta, na íntegra.

COMUNHÃO

BÊNÇÃO FINAL


FONTES:

Este roteiro de celebração foi adaptado do livro “Itinerário celebrativo para a iniciação cristã – Crianças e Adolescentes”, publicado pela Editora Arquidiocesana de Curitiba – Paraná.

MODELOS DE PERGAMINHOS:


SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO