segunda-feira, 7 de agosto de 2017

APONTAMENTOS BÍBLICOS nº 5

                                  MAS NUNCA DÚPLICES COMO OS CAMALEÕES!


Ser Simples é não se deixar cair em manias de sobranceria ou arrogância, naquela “burocracia relacional” dos importantóides que nunca deixam as pessoas junto de si à vontade...

Ser Simples à maneira de Jesus é também aprender a Confiar nos irmãos, em Deus, na Vida, no futuro… Já reparaste que as pessoas mais desconfiadas são exatamente as mais complicadas? Por outro lado, já reparaste que as pessoas que tu conheces mais maduras na arte de Confiar são também as mais Simples que conheces? Pois é...

Mas Simplicidade não tem nada a ver com ingenuidade! Por isso, Jesus acrescenta “e astutos como as serpentes”...

Esta astúcia não é a malícia dos Corações torcidos, mas sim a Vigilância permanente à qual Jesus muitas vezes desafiava os seus discípulos… Porque nas tarefas do Reino de Deus, o anúncio da Sua Palavra, ao encontrar-se com contextos de injustiça ou infidelidade, torna-se um apelo de Conversão, isto é, à mudança ao nível da mente e das atitudes. Quem detesta sempre a palavra “mudança” são as classes poderosas, seja esse poder de que ordem for: social, político, econômico, religioso...

Podem-se escrever dezenas de páginas para “espiritualizar” esta Astúcia de que Jesus fala, mas na realidade concreta do anúncio do Evangelho, no compromisso encarnado com a construção do Reino de Deus, damo-nos conta de que não precisamos espiritualizar nada… É Astúcia, mesmo!!!

Muitas vezes nos aparece nos evangelhos: “Estando Jesus a falar, estavam lá uns fariseus vindos de Jerusalém que esperavam apanhá-lo nalguma das suas palavras… Jesus, conhecendo os seus pensamentos, então disse…”

Não sejamos “beatos”: Jesus conhecia os seus pensamentos, não por ser “divino”, mas por não ser parvo!!! Jesus era Astuto, atento, vigilante… É um dom do Espírito Santo, este “faro” que é dado aos Profetas de todos os tempos para se aperceberem de que modo atuam e se infiltram as forças manhosas que querem bloquear a emergência do Reino de Deus e calar a Palavra que, em Seu Nome, é anunciada como urgência de mudança!

É nesta experiência que todos os Profetas, tal como Jesus, se sentem obrigados interiormente a dar a prova máxima de autenticidade da Palavra que anunciam: quando se atiram de cabeça num abismo de Confiança e estão dispostos a sangrar e a morrer para não porem em causa a Verdade e a que os anima.

A História é uma mestra de sabedoria… E ela diz-nos que estes saem sempre vencedores, mesmo quando os matam. Quem sabe, até seja melhor dizer “sobretudo quando os matam”...


Recordo-me do que disse Mahatma Ghandi, por exemplo: "Quando estou desesperado, penso na História e no modo como o Amor e a Verdade sempre acabaram por triunfar. Em todos os tempos houve tiranos e assassinos, que pareciam indestrutíveis durante um tempo, mas caíram” sempre! Pense nisto...

 “Simples como as pombas, Astutos como as serpentes”, mas dúplices como os camaleões NUNCA!


Pe. Rui Santiago

Outras reflexões visite o site: http://derrotarmontanhas.blogspot.com.br/

SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO