terça-feira, 31 de janeiro de 2017

ROTEIRO DE ENCONTRO – Ser igreja é viver a unidade


Criação: Rose Argolo – Ceilândia - DF





  A
  N
  T
  E
  S
Interlocutores
(Catequizandos)
Jovens Crismandos 1º ano; 14-16 anos
Duração
90 minutos
Local
Paróquia da Ressurreição (sala de catequese)
Tema/Conteúdos
SER IGREJA É VIVER A UNIDADE
Catequista: Rose Argolo
Paróquia Ressurreição – Brasília –DF.
Objetivo(s)
 - Despertar nos catequizandos o sentido de Igreja, de fazer parte de uma comunidade de fé onde irmãos comungam e partilham. E cada um, com seus talentos e dons, contribui para a edificação do Corpo de cristo.

- Mostrar ao crismando que a Igreja viva é o Corpo Místico, cuja cabeça é Jesus Cristo. Numa comparação com o corpo humano, dizemos: Jesus Cristo é a cabeça e nós, Igreja Viva, somos o seu corpo, formado por muitos membros.

Material
(Recursos)
- Bíblia
- Dinâmica – Ser Igreja.
- Altar com Bíblia, flores, vela, crucifixo e uma imagem de Nossa Senhora aparecida.









  D
  U
  R
  A
  N
  T
  E







Passos
Metodológicos

Ordem dos passos:

- Acolhida
- Dinâmica;
- Palavra;
- Reflexão;
- Oração.

Acolhida/Motivação
Recebê-los na porta, mostrando que são bem-vindos. São gestos muito importantes, pois, neste momento o catequista é representante de Jesus acolhendo seus filhos.

- Invocar o Espírito Santo e convidar a rezar o Pai Nosso, oração ensinada por Cristo, cabeça da Igreja, para que seus membros saibam dirigir-se ao Pai.
Palavra
(1Cor 12, 12)


Oração:
 - Iniciar com o momento do perdão:
Assim como na Santa Missa, decidir perdoar e pedir perdão é fundamental. Cada crismando pensa nas pessoas a quem tem que pedir perdão (“Portanto, se você estiver apresentando sua oferta diante do altar e ali se lembrar de que seu irmão tem algo contra você, deixe sua oferta ali, diante do altar, e vá primeiro reconciliar-se com seu irmão; depois volte e apresente sua oferta.” Mateus 5.23-24), pensando antes em quem tem que pedir perdão nos mostra que somos falhos, isso facilita perdoar quem nos ofendeu, em seguida pensamos naquelas em que precisamos perdoar.
- Colocar em seguida as intenções e pedidos, explicar que estes pedidos são o “pão nosso de cada dia”.
- Incentivar orações espontâneas.

















Atividades educativas
Dinâmica de comunhão e participação - Ser Igreja

Objetivo: Fazer entender a necessidade de ser membro do reino de Deus como discípulos missionários.

Material: bolas de inflar (bexiga).

Entregar uma bexiga a cada pessoa pedindo que elas brinquem com as bolas, jogando uma para a outra, sem deixar cair. O assessor aos poucos vai tirando as pessoas da brincadeira, aumentando a dificuldade dos últimos para deixar tantas bexigas no ar. Quando tiver muitas bexigas no chão, encerrar a dinâmica lendo I Coríntios 12,12-27 – Um só corpo, muitos membros.

Refletir com os participantes:

É fácil manter as bexigas no ar? O que acontece quando alguém desiste? Dá para manter as bexigas no ar sozinho?

Explicar que a igreja está dentro de cada um, e que todos devem participar, pois cada um tem um lugar especial na igreja. A igreja, assim como as bexigas não podem se sustentar no ar, isto é, de pé, sozinha ou com poucas pessoas, ela precisa de todos nós. Somos membros de um corpo místico, o corpo de Cristo que é a sua igreja. Se um desistir, é possível que assim deixe outro cair.



Compromisso
(sócio-transformador)
 - Incentivar o jovem a se engajar em um grupo da paróquia com o qual ele se identifique, pois se Igreja é viver em comunidade;
- Organizar uma exposição (oral ou em forma de painel) das pastorais e grupos da paróquia ou convidar um grupo de jovens pra falar com eles...

  D
  E
  P
  O
  I
  S



Avaliação
Após o encontro fazer uma avaliação dos pontos positivos e negativos do encontro.
Observar atentamente, durante o encontro, se os jovens estão interessados e atentos ao tema, qual sua participação e interação.
Ver se os objetivos foram alcançados e ver o que pode ser melhorado num próximo encontro, com relação à metodologia utilizada.


SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO