quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Aprendendo a fritar ovo...

Eu estava conversando com uma amiga e ela estava me contando sobre a catequese do filho adolescente. Que o menino andou fugindo alguns dias e ficou na praça jogando bola. E que mesmo o catequista sendo bem preparado e tudo, inventando coisas diferentes e tal, às vezes o filho não quer nem saber da coisa.

E aí me lembrei de outra mãe que me contou que o catequista da filha é nota 10, no entanto, teve que se ausentar por problemas de saúde e a “substituta” estragou todo o trabalho dele. Era uma pessoa sem preparo e sem trato com os adolescentes. Em resumo, quando o “titular” voltou encontrou uma revolta só. E acabou perdendo a paciência e estragando mais ainda o que já estava estragado.

Aí é que está o grande problema: nossa Igreja não tem tantos catequistas preparados assim. Todos os catequistas deveriam estar preparados e envolvidos no processo. Mas só alguns estão.

E outra coisa que ando percebendo, alguns catequistas andam "apelando". Não acho que levar computador ou inventar mil e quinhentas brincadeiras vá resolver o problema de conseguir a atenção dos jovens. Talvez até torne o encontro interessante. Mas será que os jovens vão achar o “assunto” interessante, colocar o “assunto Jesus” e o assunto fé, na internet?

Aliás, eu ando meio "revolucionária". Acho que temos que mostrar a igreja como ela é, cheia  de defeitos. E mostrar o projeto que Jesus queria. E mostrar o mundo como ele é... E conclamar os JOVENS a tentar mudá-lo. É nessa idade que a gente quer mudar o mundo!

Eu acredito na força do jovem, na vontade dele em mudar o mundo em que vive. Claro que ele é meio narcisista nesta fase, mas ele é cheio de ideais também.

O que a gente encontra é muita divergência de método e de conteúdo. Dentro até de uma mesma paróquia. As dioceses estão ainda meio perdidas. Mas enfim, é o seguinte: o que o Brasil, o mundo inteiro, aliás, já percebeu, é que a catequese de modo geral precisa mudar. E isso não é de hoje, é desde o Concílio Vaticano II (que alguns catequistas nunca ouviram falar).

Mas, COMO MUDAR??? A idéia é voltar aos primeiros tempos da igreja. Ao catecumenato, a mistagogia da fé. Voltar a fazer uma catequese de símbolos, rituais, etc. e tal. Sem essa parafernália de escola de doutrina. Porque a doutrina da Igreja Católica é mal interpretada e se não for entendida e contextualizada, afasta muita gente. Precisa capricho em saber ensiná-la.

É como aprender a cozinhar: ao invés da gente aprender primeiro a fritar ovo, ficar craque no mexido, na farofinha, na gema mole... A gente quer logo aprender a fazer Creme Brulée*.

Ângela Rocha

* Creme Brulée é uma requintada sobremesa francesa a base de ovos.


SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO