sexta-feira, 17 de novembro de 2017

ENTREGA DO CREIO (CREDO): CATEQUESE AOS PAIS


"O Símbolo dos Apóstolos, assim chamado porque se considera, com justa razão, o resumo fiel da fé dos Apóstolos. É o antigo símbolo batismal da Igreja de Roma. A sua grande autoridade vem-lhe deste fato: É o símbolo adotado pela Igreja romana, aquela em que Pedro, o primeiro dos Apóstolos, teve a sua cátedra, e para a qual ele trouxe a expressão da fé comum". (CIC 194)

No itinerário catequético de Iniciação à Vida Cristã, a entrega do Creio (considerado pela nossa Igreja, um dos sete pilares da nossa fé), acontece um pouco antes da recepção do sacramento da Eucaristia. O Credo, Profissão de Fé ou Profissão dos Apóstolos é uma das mais antigas tradições da Igreja Católica.

No itinerário de Iniciação à Vida Cristã da Arquidiocese de Curitiba, está prescrito que na terceira etapa/fase (ou ano) de catequese, se recebe o sacramento da Eucaristia. Nesta etapa estuda-se a Igreja, os sacramentos, reforçando-se o Batismo e a atuação do Espírito Santo. Aqui se faz o RITO DA ENTREGA DO SÍMBOLO (Creio), como fechamento do que se viu nos primeiros anos da catequese de aprofundamento da fé. A Profissão de Fé resume o conhecimento sobre Jesus, Deus Pai Misericordioso, a Criação, história da Salvação e o nascimento da Igreja. O Creio, como oração, é trabalhado mais diretamente na catequese de Crisma.

Na catequese da Igreja dos primeiros séculos, os catecúmenos professavam esta oração (recitação) próximos de receber os sacramentos, perante a assembleia reunida eles recitavam o Credo como forma de provar que estavam prontos a participar da comunidade como membros da Igreja.

Nos dias de hoje, a Igreja repete este gesto com os Catequizando do terceiro ano, próximos da Primeira Eucaristia. Antigamente a entrega do Creio fazia parte do que se chamava catecumenato, que era feito com adultos, hoje, essa entrega é feita durante o tempo de catequese de crianças e adolescentes também.

Conforme o RICA a Entrega do Símbolo dos apóstolos (Credo) e Entrega da Oração do Senhor (Pai Nosso), conforme preceitua os itens 125 a 187 e 188 a 192  (pgs 91 e 104), são feitas durante a etapa (no catecumenato)  de Purificação e Iluminação, ou seja, próximas ao sacramento. Na catequese de Crianças e adolescentes, também se deve fazer a entrega, próxima ao recebimento do sacramento da Eucaristia. 

RICA – Ritual de Iniciação Cristã de Adultos nº 70: É para desejar que toda a comunidade cristã ou ao menos alguma parte dela, amigos e parentes, catequistas e sacerdotes, tomem parte altiva na celebração.

Mas, é interessante fazer um convite especial às mães, pais e responsáveis: Vocês gostariam de receber o Creio também? Gostariam de receber o Credo como faziam os catecúmenos, nos primeiros tempos de nossa Igreja?

Quem fez catequese quando criança, provavelmente não teve esta celebração durante a sua catequese. Acredito que a entrega para os pais, junto com os catequizandos, é umA experiência que ficará na memória dos filhos como exemplo profundo de fé.

Vamos fazer uma pequena “catequese” sobre o CREIO?

Por que entregar o CREDO ou CREIO?

Como orientação básica para a catequese, temos que dar a conhecer aos nossos catequizandos, o que a Igreja chama de “Sete Pedras Fundamentais”, base tanto do processo da catequese de iniciação, como do itinerário contínuo do amadurecimento cristão.

Primeiramente temos QUATRO COLUNAS DA EXPOSIÇÃO DA FÉ:
- O “Símbolo” (Creio ou Credo);
- Os sacramentos;
- As Bem-aventuranças/ Decálogo (mandamentos);
- O Pai-Nosso.

Temos ainda mais três colunas, que são as dimensões narrativas da história da salvação, formando assim as “SETE pedras fundamentais”:
- O Antigo Testamento;
- A vida de Jesus e;
- A história da Igreja.

Agora vamos falar sobre o primeiro destes PILARES: O CREIO.
Segundo a tradição, os doze apóstolos teriam estabelecido em comum os rudimentos da nova fé. E, muito mais que uma oração, o CREIO era recitado pelos novos cristãos no momento do Batismo, e ficou conhecido como CREDO APOSTÓLICO.
Não sei se vocês já prestaram atenção, mas, o Creio ou Credo faz três afirmações principais:
- Creio em Deus
- Creio em Jesus Cristo
- Creio no Espírito Santo... (Espírito Santo este que conduz ao “Creio na Igreja católica”).

Sendo, portanto, uma profissão de fé trinitária.

Logo ao fazermos essa "confissão" de fé, reafirmamos as verdades fundamentais da nossa fé e aquilo que conduz a Igreja de Cristo. O Creio é então, muito mais do que uma oração. É como que uma afirmação nossa, feita geralmente em público, de que somos católicos de fato.

A entrega simbólica de um pergaminho com o texto do Credo, representa uma etapa vencida na catequese, ou seja, que estamos prontos para fazer parte da comunidade de fé da nossa Igreja como verdadeiros crentes

Pensemos então que se todo o aprendizado que nossos filhos receberam, nestes três anos, fosse uma escola, esta seria então a "colação" de grau" ou formatura deles... Resta então, a festa depois onde vão receber a Eucaristia, participando definitivamente, do banquete de Cristo.

De minha parte, eu considero a entrega do Credo, um dos ritos mais importantes da catequese, coroado daqui há alguns meses, pela primeira Eucaristia.

O Credo é a Profissão de Fé ou Símbolo de Fé, por meio do qual fazemos uma confissão de fé num ato público e comunitário. É um sinal (símbolo) de identificação dos cristãos que resume as principais verdades da fé.

Utilizado nos primeiros séculos na Igreja de Roma, liderada por Pedro, o Credo que recitamos na missa resume a fé dos apóstolos sendo chamado Símbolo dos Apóstolos. O CREDO tem 12 AFIRMAÇÕES DE FÉ, simbolizando os 12 apóstolos. Nos primeiros séculos, os cristãos eram obrigados a aprender de memória o Credo. Este lhes servia de oração diária, para não esquecerem o compromisso assumido com o Batismo. Logo, a entrega da Credo, tornou-se parte da catequese.

Instrução de Santo Agostinho durante a entrega do Credo:

“O símbolo do santo mistério, que recebestes todos juntos e que hoje proferistes um a um, reúne as palavras sobre as quais está edificada com solidez a fé da Igreja, nossa Mãe, apoiada no alicerce seguro que é Cristo Senhor. E vós o recebestes e o proferistes, mas deveis tê-lo sempre presente na mente e no coração, deveis repeti-lo nos vossos leitos, pensar nele nas praças e não o esquecer durante as refeições e, mesmo quando o corpo dorme, o vosso coração continue de vigília por ele”.

O Credo, no decorrer dos dois milênios do cristianismo, foi formulado de muitas maneiras. O Credo Niceno-constantinopolitano, que algumas vezes rezamos na missa, resultou dos dois primeiros concílios da Igreja: em Nicéia (ano 325) e em Constantinopla (ano 381).

A fórmula de recitação mais comum, é rezada em todas as missas logo após a homilia. É neste momento da missa que se procede a entrega simbólica do Credo.



Professar com a boca indica que a fé implica um testemunho e um compromisso públicos”. (Bento XVI).


OBS: Como tenho um grupo de whatsapp com os pais, ao longo do mês fui colocando estas informações aos poucos. Os pais gostaram de conhecer o conteúdo que trabalhamos com seus filhos e ficaram felizes em receber o Símbolo também.

Ângela Rocha
Catequista 
Paróquia Senhor Bom Jesus dos Perdões - Curitiba PR.

Estas e outras informações constam da nossa apostila, que você pode adquirir, enviando e-mail para: angprr@gmail.com

R$ 10,00 - Disponibilizada em arquivo PDF para impressão.

SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO