quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

VOCAÇÕES EXISTEM: ELAS SÓ PRECISAM SER DESPERTADAS



2019

ANO VOCACIONAL


O Ano Vocacional será celebrado em 2019 e refletirá também sobre a baixa de vocações. Segundo pesquisas há redução tanto no clero secular quanto no clero religioso.

Dentro desse contexto, também teremos o Congresso Vocacional, atividade que segundo o bispo referencial da Pastoral Vocacional, dom José Roberto Fortes Palau, servirá para “coroar o Ano Vocacional”.

O Congresso, proposto pela Comissão para os Ministérios Ordenados e Vida Consagrada (CMOVC), em parceria com outras instituições, como a CRB (Conferência dos Religiosos do Brasil) e o IPV (Instituto de Pastoral Vocacional), acontecerá na cidade de Aparecida/SP de 05 a 08 de setembro de 2019.

“Pensamos num evento que possa reunir todas as lideranças do Brasil, todos aqueles que trabalham na Pastoral Vocacional, todos os organismos. Nós queremos que participem desse evento: A Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB), O Instituto Pastoral Vocacional (IPV), a Comissão Nacional dos Presbíteros (CNP); a Comissão Nacional de Diáconos (CND) e também as Novas Comunidades”.

Dom José destacou ainda alguns assuntos que serão abordados durante o evento. De acordo com ele, os participantes irão discutir e refletir sobre o trabalho vocacional no Brasil: “Uma coisa que preocupa é a redução do número de vocações em todos os segmentos, tanto no clero secular quanto no clero religioso, assim como na vida consagrada. Eu vejo irmãs envelhecendo e não vejo chegar novas vocações, moças que se disponham a trabalhar pela Igreja”. Esse então de acordo com o bispo será um dos assuntos de destaque.

Sobre o Ano Vocacional, o bispo fez questão de enfatizar que a temática está em consonância com a do Sínodo dos Bispos de 2018, que abordará a questão do jovem e o discernimento vocacional. A ideia de acordo com ele é elaborar um material para que as dioceses possam celebrar o ano: “Quem sabe nesse ano vocacional, a gente oferecendo todo esse material não consiga dar uma sacudida, porque vocações existem, elas só precisam ser despertadas”, garantiu.

Fonte: CNBB.



Nenhum comentário: