segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

PARE MAIS UM POUCO: PARAR É IMPORTANTE...



Vou te fazer uma pergunta: Como foi o seu dia? Não, não, não quero que me diga se correu bem ou mal, não quero que me diga que fez isto ou aquilo, não!

Interessa-me saber quem você É, quem foi hoje. Vamos lá, como foi o seu dia? Está mais feliz? Quantos sorrisos plantou hoje? A quantas pessoas enriqueceu hoje, com a sua passagem? Viu? Há perguntas difíceis, não há? Mas, são as mais importantes.

Pare um pouco! Liberte-se de tantas coisas urgentes! Sabe, você passa os dias à volta de coisas urgentes, e costuma esquecer as importantes. É sempre tudo tão urgente, não é? A vida pede-nos tudo com urgência, tudo para ontem! E o importante, pode sempre ser amanhã. Na maior parte das vezes, um amanhã que demora a chegar…

E na lógica das coisas urgentes, deixamos de viver e passamos a existir. Viver como pessoa humana é construir-se em cada dia, é ter-se nas mãos e fazer-se sem descansos, com a argamassa da Amizade, os tijolos do Amor, as ferramentas da Verdade. O ser humano não nasce feito, acabado. Temos que construir-nos como pessoas felizes, e isso acontece na medida em que você souber inventar relações de Amor, relações de bem-querer com aqueles que te rodeiam.

Vou te dizer um segredo – fixa-o bem! – viver é conviver. Viver é conviver com os outros, porque ninguém é feliz sozinho. 

Mas, a lógica das coisas urgentes costuma empurrar-nos sempre para o egoísmo, não é assim? Pense bem: quantas vezes hoje entrou pelos seus ouvidos frases deste gênero: “Isso é comigo, é meu”, “cada um que se arranje”, “eles são eles, eu sou eu”; quantas vezes ouviu? E, agora, quantas vezes você disse? Às vezes, parece que vivemos enroscados em nós próprios, girando infinitamente sobre o nosso belo umbigo; e assim, perdemos o gosto pela vida, o sentido dos nossos dias e a alegria que o nosso coração nos pede. Porque nos fechamos ao diálogo, à partilha, à fraternidade, à amizade. Fechar-se aos outros é fechar a porta ao encontro com Deus. Abrir-se aos outros é pôr-se na disposição de ser encontrado pela novidade surpreendente do Seu Amor.

Olha, vou te dizer mais um segredo: com Deus, ninguém fica a perder! A Fé verdadeira, aquela ao jeito de Jesus Cristo, não é uma piedadesinha domingueira, assim a cheirar a mofo e a bolas de naftalina, não! A Fé é a arte de viver com sentido, a Fé é um descobrir os horizontes máximos da vida em Deus. O Seu Amor é a fonte, o Seu Amor será, no fim, a plenitude. Olha, e se tudo isto fizesse sentido também para você? E se você se abrir hoje à novidade de Deus? Não o das imagens gastas, mas o Deus de Jesus de Nazaré, aquele Deus que faz nascer Vida Nova no coração daqueles que o acolhem – como você…

Rui Santiago, cssr.

Um comentário:

Unknown disse...

Linda mensagem
Muito rica.😍❤️