terça-feira, 17 de junho de 2014

Catequizar com "Z"!

Porque CATEQUESE se escreve com “S” e CATEQUIZAR e CATEQUIZANDO com “Z”?


Ah, você nem sabia que era assim? Pois é... este erro é bem frequente em nosso meio. A língua portuguesa é uma das ricas em sonoridade e "regras"... rsrsrs. Considerada até fácil de aprender a falar, pelos estrangeiros, mas, dificílima de aprender a escrever... Até para nós que nascemos com ela...


Mas existem regras ortográficas que explicam essa confusão da "catequese", "catequizar", "catequizando".


1 -Com "z", normalmente, são grafadas palavras derivadas de outras em que já existe o "z", e verbos terminados pelo sufixo "izar", em cujos radicais das palavras que lhes deram origem possuam ou não a letra z. Exemplos: canalizar, finalizar, industrializar, organizar, utilizar, arborizar, dinamizar, regularizar, cicatrizar (cicatriz), envernizar (verniz), enraizar (raiz), deslizar (deslize) etc.


Aqui a gente já se perde... NÃO EXISTE "Z" EM CATEQUESE! Qual é o problema,então?

Mas, tem mais uma regrinha...


2 -Os verbos terminados em "isar", com "s", têm apenas como sufixo as letras "ar", pois as letras "is", neste caso, fazem parte do radical da palavra que deu origem ao verbo. Exemplos: análise - analisar, aviso - avisar, improviso - improvisar, pesquisa - pesquisar.

Ahhhhh.... catequese não tem um "is"! Senão seria "catequise"... e porque tirarmos totalmente a última parte da palavra para flexioná-la em verbo ou adjetivo derivado, deixando ela assim: CATEQU... ela precisa aí usar a primeira regra que é do IZAR!


Então, ela se torna uma... EXCEÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA!


EXCEÇÃO: Apesar de originar-se da palavra "catequese", que possui um "s" em seu radical, o verbo catequizar deve ser grafado com "z", pois a sílaba átona final de catequese foi suprimida para se inserir o sufixo "izar" na formação do verbo. O mesmo acontece com “catequizando”.


Viram só? Em tudo nossa "catequese" é especial!


E não quero ver mais ninguém escrevendo catequizar ou catequizando com "S"!
"A competência para grafar (escrever) corretamente as palavras está diretamente ligada ao contato íntimo com essas mesmas palavras. Isso significa que a freqüência do uso é que acaba trazendo a memorização da grafia correta. Além disso, deve-se criar o hábito de esclarecer as dúvidas com as necessárias consultas ao dicionário. Trata-se de um processo constante, que produz resultados a longo prazo."


(Pasquale Cipro Neto & Ulisses Infante, Gramática da Língua Portuguesa)

Angela Rocha angprr@uol.com.br FONTE CONSULTADA: Adriana Cristina Mercuri Pinto, Graduada em Letras Especialização em Lingüística Aplicada. Portal São Francisco: http://www.portalsaofrancisco.com.br/ .

SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO