quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

É NOSSO ANIVERSÁRIO!!!



Nós nascemos como comunidade em 2011, exatamente no dia 31 de outubro. Mas, o que deu um grande impulso ao nosso grupo, sem dúvida, foi a entrada da comunidade na rede social. 
E o Facebook tem sido a nossa "casa", a nossa "plataforma EAD" e nosso espaço de "partilha" desde 27 de fevereiro de 2012. Isso já tem sete anos!
Nada como festejar um aniversário com a participação animada das pessoas que fazem parte dele!
Abaixo, alguns depoimentos e testemunhos de quem está conosco desde sempre, 3 ou 4 anos e até de quem entrou outro dia!
Hoje somos 4.335 pessoas no grupo! E quem quiser entrar, é sempre BEM VINDO!


Ângela Rocha

Congresso Catequistas Brasil - fev/2019

Gorete Aquino Hoje tem festa! É dia de louvar e bendizer a Deus por tão grande dádiva: comemorar mais um ano desse grupo que é, sem dúvida alguma, grande fonte de evangelização. A cada etapa da vida enfrentamos novos desafios nos fazendo amadurecer e nos transformando em pessoas melhores. Que todos esses aprendizados sejam absorvidos positivamente e que sejamos capazes de realizar as mudanças sonhadas. Que nosso grupo seja cada vez mais fonte inspiradora e que nos impulsione a buscar novos rumos para a catequese. Deus abençoe generosamente seus idealizadores e administradores, e também a cada um que de uma forma ou outra colabora para que a mensagem de Jesus chegue até aos pequenos e grandes catequizandos. Parabéns Catequistas em Formação. 
Pertenço à Paróquia de São Judas Tadeu em Lavras, a caçula da Diocese de São João Del Rei-MG. Na realidade eu diria que fui adotada logo no nascimento, pois já participava anteriormente, desde 2011 de outro grupo, também liderado pela Ângela Rocha, Catequistas Unidos. Eu buscava fonte para saciar a minha sede de saber, de conhecer mais sobre a catequese, uma vez que tinha poucos conhecimentos sobre o assunto, mas meu coração ardia de vontade de aprofundar e melhorar. Nesses sete anos diria que a fonte é inesgotável, que a cada dia descubro um novo sabor para essa "água bendita" que além me saciar, me proporciona condições de multiplicar aquilo que aprendo. Talvez nem saiba muito transmitir, mas procuro fazê-lo de coração aberto, e também venho sempre sugerindo às catequistas da paróquia que venham conhecer e saborear essa maravilha. Essa troca de experiência, muito tem me ajudado e louvo a Deus pela oportunidade que me concedeu de participar desse grupo. Que Deus na sua infinita bondade derrame muitas bênçãos sobre seus administradores e colaboradores.

Luciana Silva M. Nunes Parabéns 👏🏻👏🏻👏🏻, Deus abençoe grandemente todas vocês que se tanto se dedicam e tornam esse grupo tão especial!

Arcibelia Geronimo Parabéns pra todos ! Que o Espirito Santo nos fortaleça a cada dia! ❤👏👏👏👏

Rita Melo  Olá sou a Rita Melo, pertenço a paróquia Santa Isabel Rainha do bairro Vila Santa Isabel em São Paulo. Eu entrei no grupo por acaso, estava ficando a internet a procura de algo novo para poder apresentar na minha catequese. Quando me deparei com esse grupo e o projeto cartinhas missionárias, fiquei feliz com a novidade e entrei no grupo para participar. Depois acabei ficando porque sempre tinha algo novo, informações, estudo. E acabei conhecendo alguns membros, pois houve em Curitiba um encontro da PASCOM e fui porque as catequistas em formação estariam lá. E hoje não saio do grupo, adoro e aprendo todos os dias. Amo vocês. Parabéns a todos do grupo que contribuem para o crescimento desse grupo e em especial a Ângela Rocha, pelo empenho de criar o grupo e nos ajudar em nossa missão. Que Deus derrame muitas bênçãos nesse grupo. 👏👏👏🎂🎂🎂🌹🌹

Cassia Regina Leal Parabéns ao grupo e principalmente a Ângela que Deus abençoe a sua caminhada e que o grupo continue o seu trabalho de muita ajuda e aprendizado a todas as catequistas qual estamos juntas na missão que Jesus nos confiou Deus abençoe junto com a graça de Maria. Beijos em seus corações.

Adriana Bragion Que alegria poder junto com esse Grupo comemorar os seus sete anos!!! Parabéns! Sete anos levando Sabedoria aos corações que assim desejam. Fazendo Ecoar, o mais longe que possam a Palavra de Deus.... Uma prece especial a todos que sonharam e idealizaram esse Grupo que muito tem nos ajudado a crescer na busca do verdadeiro conhecimento. Deus lhes abençoe. Que o Espírito Santo continue a iluminar e fortalecer cada vez mais vocês. O presente é nosso por tanta coisa boa que aqui encontramos.

Juliana Del Borgo Parabéns ao grupo e em especial a grande idealizadora Ângela Rocha e equipe! Deus abençoe cada colaborador, cada integrante desse maravilhoso espaço de troca de experiências em prol da evangelização 🎂 🎂 ❤

Maria Vanda Salmazo  Eu estava com uma dúvida grande na cabeça, quando me deparei com o grupo #catequistaemformacao com a minha curiosidade decidir visitar a página gostei muito hoje qualquer dúvida que tenho pesquiso aqui no grupo e acho bem rápido, já recomendei para as minhas amigas de catequese elas adoraram muito, sou catequista 1° ano da crisma na paróquia são José em vila extrema RO, minha comunidade e muito carente de material para a catequese por isso o grupo e muito importante para mim. E um aprendizado todos os dias para mim. Meu muito obrigado catequista em formação por ter me ajudado tanto nas minhas dúvidas. Eu também só tenho que agradecer por poder ter um grupo assim no nosso dia a dia para nos ensinar a conhecer melhor as coisas do nosso senhor Jesus Cristo. Obrigado catequistas em formação e parabéns 👏👏😍

Adeilton Santos O que eu posso dizer mesmo distante, sem muita participação, mas, aprendi virtualmente o que é participar de um grupo comprometido com a Catequese e aprendo muita mais com todos que fazem o Catequistas em Formação. Obrigado e parabéns pelos seus 7 anos, felicidades que Deus ilumine este grupo abençoado.

Priscila F. R. Oliveira Parabéns! Eu entrei essa semana, já tinha ouvido falar, mas no Catequistas Brasil, pude conhecer mais de perto e percebi que esse site nasceu porque Deus sonhou e resolvi fazer parte desse grupo de pessoas em um meio de comunicação. E poder se unir a tantas pessoas de tantos lugares, mas com um mesmo objetivo, fazer o o bem e ajudar o próximo na evangelização. Obrigada por esta fazendo parte, espero crescer junto com vocês.

Regina Paula Amorim Olá, sou Regina iniciante na pastoral da catequese da catedral Nossa Senhora das Vitórias, vitória da conquista BA. Entrei por acaso, estava em busca de conhecimentos, de aprimoramentos. Gosto dos materiais compartilhados, da troca de experiência... Parabéns para quem criou o Grupo. Que Deus e nossa Maria nos conduza sempre!

Silvaneide Costa Fui indicada pra este grupo por minha coordenadora de catequese. Fiquei porque gosto de todas as postagens, mesmo não interagindo. acho fácil os textos e tudo mais acessível para o planejamento do encontro. Sabemos tudo o que acontece na catequese de quase todo o País. #AMOESTEGRUPO

Rosana Lima da Silva Sou Rosana, catequista de primeira eucaristia, pertenço a Paróquia de Santa Teresinha do Menino Jesus, diocese de Taubaté na cidade de Campos do Jordão. Atuo na comunidade Nossa Senhora das Graças. Entrei no grupo por acaso. Estava pesquisando na internet atividades para desenvolver com minha turma. Entrei no site, fiquei apaixonada e me cadastrei. Dentro da catequese sinto falta de materiais que nos ajudem na evangelização e aqui consigo achar o que preciso dentro dos assuntos propostos pela minha coordenação. Foi através desse grupo também que tive a alegria de participar do projeto Cartinhas missionárias que muito me encantou. Não interajo muito no grupo, mas estou sempre atenta a todas as postagens. Obrigada Catequistas em formação por estarem tão abertos a nos ajudarem na missão de evangelizar. Que o Espírito Santo sempre os conduza!

Viviane Ferreira Sou Viviane, sou catequista de Eucaristia e pertenço a paróquia São Judas Tadeu Contagem Minas. Entrei no grupo quando procurava algo para formação de catequistas. Pois quando entrei não havia nenhum tipo de formação na minha comunidade. Assim conheci o grupo e aprendi muito. E sempre compartilhei com meus parceiros da catequese. Minha formação inicial foi toda pelo grupo. Agradeço a todos que contribuem com as postagens de encontros, formações, orações!

Maria Ângela Guenka Parabéns ao nosso grupo !! Penso que estou quase desde o início! O grupo me ajudou bastante como formadora! Participei de vários cursos que enriqueceram muita minha missão de catequista! Parabéns!

Deise Tripodi Entrei no grupo Catequistas em Formação buscando partilha de conhecimento e ideias que eu pudesse levar à Pastoral da catequese em minha Paróquia (Nossa Senhora Auxiliadora - Eunápolis - BA). Tem sido de grande importância para minha formação como catequistas participar desse grupo, que de fato faz jus ao nome. Obrigada a todos os idealizadores do grupo pela disponibilidade e dedicação. Um dos projetos que participei e que me deixou encantada foi o das Cartinhas Missionárias. Celebramos com grande alegria os sete anos do grupo Catequistas em Formação👏🏻👏🏻🙏🏻🙏🏻🎊🎉🎈

Pollyanna Tabosa . Parabéns. Meu nome é Pollyanna Dias Tabosa e sou catequista aqui em São Luís do Maranhão. Conheci o grupo através de amigas que participam e fiquei encantada principalmente com as cartinhas missionárias. Fiquei ainda mais apaixonada pela missão de ser catequista. Os estudos, as mensagens de cada um de vocês, me ajuda nesta caminhada. Este ano estou trocando cartinhas com outra catequista para nossos catequizandos e eles estão encantados

Rosa Angélica Entrei no grupo já faz algum tempo meu maior aprendizado com as postila que eu adquiri me ajuda muito as reflexões parabéns Ângela e sua Equipe !

Andréa Canassa - Moderadora e Colaboradora no Blog. Falar não rola muito, mas escrever... adoroooo! Então bora lá. Sou Andréa Canassa, sou da Paróquia Senhor Bom Jesus- Ibitinga-SP. Comecei na catequese em 2009 pela indicação de um padre. Antes da catequese eu era a católica de missa, pura e simplesmente. Entrei na catequese totalmente crua. Meu formador era o "tio Google". Foi paixão ao primeiro encontro de catequese, mas sem formação alguma. De repente numa dessas consultas para preparar um encontro. Pahhh!!! Descobri o Catequistas em formação. Depois que comecei a ver que outras catequistas na mesma situação minha, e muitas com bastante bagagem me senti mais confiante para fazer uma boa catequese. Muitas catequistas, uma ajudando a outra com muitas partilhas. Ahhh... não teve jeito, a paixão pela catequese se transformou em amor por tudo aquilo. Tive a certeza que era isso que queria para minha vida. O carinho e cuidado que nossa administradora tem pelo grupo, que ela cuida como parte da própria vida, os esclarecimentos, e até as puxadas de orelha.... Tudo isso faz com o Catequistas em formação alcance muito longe e se multiplique em recursos que as mídias sociais disponibilizam. Grupo fechado, Fanpage, Blog... se você procura algo de catequese, certamente você encontra no Catequistas em formação. A Ângela tem sempre o cuidado de não deixar o grupo perder seu foco que é a formação de catequistas. Além de tudo que encontramos no grupo, volta e meia tem formação de um tema específico, com apostilas. Sou super fã do Catequistas em formação e das meninas que cuidam com carinho e estão sempre ali para não nos deixar sem resposta.

Aleksandra Lira Entrei no grupo porque a experiência que cada catequista mostra através de suas postagens e reflexões me conduzem a querer mais e mais aprofundar nos mistérios da igreja. Continuo no grupo não por meus méritos. Mas para ser evangelizando e evangelizadora. O grupo contribui para uma comunicação com outras (o) catequistas (o) e a experiência que cada uma vive em sua comunidade. É o modo de evangelizar e de passar para os catequizandos ou outras pessoas, entre outras tantas coisas que no grupo nos edifica.

Ana Bertolucci Sou catequistas e coordenadora da catequese a 22 anos, amo o que faço. Estou sempre buscando conhecimentos para poder servir cada dia mais a pastoral catequética e encontrei no grupo excelentes artigos que me ajudaram a atualizar os meus conhecimentos.

Marcelo Alexandre Não sou adepto a grupos, mas o título me chamou a atenção, e depois que minha solicitação foi aceita vi que o conteúdo é de qualidade, harmonia e muito didático. Falar de Deus é bom demais.

Eida Almeida Parabéns ao aniversariante. Quando fui chamada para assumir uma turma da catequese fiquei muito preocupada se seria capaz para tanta responsabilidade com as crianças de tantas famílias que depositam na catequista a confiança de ajudar seus filhos na caminhada rumo a Eucaristia. Ai pesquisando descobri o grupo que para mim não é apenas formação, mas meu Porto que recorro em vários momentos e com a ajuda do grupo estou realizada como catequista da paróquia Nossa Senhora de Fátima. São Paulo.

Deusa Queiroz Olá, sou da paróquia São José, Catanduva SP. Eu realmente entrei nesse grupo, por uma procura incessante de mudar algumas coisas na catequese que não estava legal... Fiz várias formações de várias paróquias, mas queria mais...Porque vários catequistas inclusive eu, ficávamos na mesmice, repetindo sempre os mesmos erros mesmo com formações e formações para catequistas, aqueles erros como, sala, alunos, aulas, reuniões etc etc. etc ... Um lindo dia, uma catequista da minha paróquia, chegou pra mim num encontro de catequistas e disse que estava em um grupo de formação de catequistas que passava muitas informações para catequistas e tinha uma linda ideia para fazermos com nossas turmas...me contou sobre as cartinhas missionárias, seus olhos brilhavam quando contava a emoção do recebimento das cartinhas. Ela então pediu para me add no grupo, preenchi algumas informações e estou eu aqui....essa minha amiga é Cleusa Soler. Desde então, participei dois anos das cartinhas missionárias com minha amiga e irmã distante, a Juliana Del Borgo. Participei de gincanas, ganhei todas as apostilas de formações da Ângela Rocha e hoje a Cleusa e eu somos coordenadoras da nossa paróquia. Esse grupo só me ajuda a crescer em informações sobre nossa caminhada...Ainda estamos engatinhando..., mas em nome de Jesus iremos avante! Beijos!

Odineide Sousa O Catequista em Formação trouxe uma nova visão para aprimorar meus conhecimentos e deu uma repaginada, naquilo que eu precisava aprender.
Aqui encontrei uma forma de qualificação para o que eu realmente precisava. O conhecimento de cada um, as experiências, os desafios, é um processo de aprendizado muito gratificante.

Neides Alves Carrijo de Melo Entrei no grupo a procura de conteúdo pra catequese mas não estou tirando só pra catequese estou aprendendo a catequizar melhor através do grupo do blog até mesmo dos depoimentos de cada membro que aqui se encontra gratidão a todos.

Sandra De Souza Schuincki Entrei no grupo há mais ou menos 3 a 4 anos porque vi uma promoção de aniversário e entrei pra participar e para minha surpresa fui sorteada. Amei o prêmio e continuei a participação pois sempre tem muito aprendizado, dúvidas tiradas. E cada vez ideias para crescermos com o pessoal e com o Catequista.

Juci Dias Sou Juci, catequista de IVC da paróquia São JOÃO Batista no Estado de Sergipe.. Conheci o Catequistas em Formação quando precisei aprender sobre catequese. Fui convidada a assumir a catequese de perseverança. A partir daí precisei estudar e conhecer um pouco mais a catequese e um seminarista apaixonado por catequese me orientou a buscar livros, conhecer documento. Nessas minhas pesquisas cheguei até aqui e desde então sou uma CATEQUISTA SEMPRE EM FORMAÇÃO. Esse grupo me motiva espiritualmente, cresci muito como cristã e no conhecimento sobre catequese. Hoje agradeço a Deus por esse grupo diariamente. Todos os dias venho aqui ver as postagens que me fazem refletir, ler o evangelho do dia e a oração.

Leticia Aparecida Dias da Silva Parabéns a responsável e criadores do grupo! Me chamo Letícia, catequista da primeira eucaristia, da comunidade Santa Terezinha, Paróquia São Lucas Evangelista da cidade de Lins.  Minha história como catequista, começa na minha crisma, em 2007, quando recebi o chamado, mas, não aceitei. Depois em 2009, recebi novamente o chamado mais não aceitei novamente. Em 2014 começa minha história como catequista, o padre chamou e mais dois amigos para cuidar das crianças antes da missa e ir fazendo as inscrições da catequese. Ele disse que iria arrumar catequistas para dar catequese na comunidade, que fazia alguns anos que não tinha, e nós aceitamos. Mas, resumindo, não acabou achando catequista, e no fim das contas os catequistas acabaram sendo nós mesmo. A partir do momento que assumimos como catequistas na comunidade, eu senti grande dificuldade, pois só tínhamos formação com o seminarista. As catequistas da paróquia (matriz) eram um grupo fechado, como era uma paróquia com poucos anos de caminhada, e só existia catequese na matriz, então o primeiro ano foi difícil, nem de reunião participávamos juntos. A partir do segundo ano como catequista, que começou a existir um entrosamento e começamos a participar de reunião e formação. Neste primeiro ano, tive muitos medos, dificuldades tive vontade de largar tudo, mas tinha um seminarista Leonardo, nos ajudando ele mandava, além do livro que nós utilizávamos, algumas coisas da catequese e links de blogs no Google, foi aí que fuçando entrei no blog Catequistas em Formação, e depois acabei entrando no Facebook no grupo catequistas em formação e catequistas em ação, esses foram os primeiros grupos que entrei. Hoje em dia entrei em vários outros. Mas, o diferencial do Catequistas em Formação - que não tem em outros grupos - além das trocas de materiais de informação e experiência com aquilo, ocorre uma formação, uma explicação melhor das coisas, um aprofundamento maior, explica o que é catequese na prática, os ensinamentos da igreja. Além de nos formar, nos leva a refletir sobre catequese, a passar por aquele problema com mais força. A partir de quando entrei no grupo, fui entendo melhor a vocação como catequista e aprendi muita coisa. E uma coisa que gostei desde do ano passado - não tive a oportunidade de ir no congresso dos catequistas em Aparecida – mas, foi essa relação Catequista em Formação com Catequista Brasil. Pelo que observei nos dois grupos, os “Catequista em formação”, participou do congresso. Isto mostra que nós catequistas devemos sempre estar unidos, pois o nosso objetivo é o mesmo. Coisa que na igreja ocorre muitas divisões por pastoral e movimentos, um querendo ser maior que o outro, uma pastoral se achando melhor que outra, sem contar as invejas, sendo que todos trabalham pelo o mesmo objetivo. Por que não ser mais unidos? E vocês mostraram que quando o objetivo é o mesmo tem como se unir sim! E um acrescentar ao outro. Parabéns a todos organizados e a todos que participam do grupo, por acrescentar cada vez mais conhecimento e experiência na vida das pessoas.

Miracy Mota Queiroz Olá sou da Paróquia Santíssimo Coração de Jesus, em Coração de Jesus MG eu entrei neste grupo porque me chamou muita atenção de algo que eu queria aprender mais, devido ser rico de conteúdos e de pessoas maravilhosas que não medem esforços para ajudar os outros a crescerem, estou me sentindo capacitada e qualificada cada vez mais com tudo que aprendi e estou aprendendo, nossa foi o melhor presente de aniversário que ganhei até hoje, foi incrível e emocionante, saber que tem pessoas cooperadoras e supre capazes, igual a Ângela Rocha e sua equipe, parabéns meninas dos olhos de Deus e anjos que nos direciona nos melhores caminhos e ensinamentos, eu sou feliz por ter encontrado vocês, mulheres virtuosas e perseverantes, sou seguidora deste grupo com muito orgulho e amor. Beijos amadas e que Deus proteja a todos. Sou Catequista em Formação!

Cassia Regina Leal Boa tarde entrei no grupo por ter encontrado conteúdos muito bons para encontros na catequese e com um aprendizado fazer de entender e estou sempre pesquisando o que tem de novo para poder me ajudar com minha catequese e poder crescer nesta caminha com as crianças à qual Jesus me confiou. Obrigada e Deus abençoe a todos.

Elen Cristina Cesar Boa noite. Meu nome é Elen. Sou catequista coordenadora da Comunidade São José Operário (Paróquia N. Sra. da Piedade) em Belo Horizonte. Minha mãe era catequista e eu sempre ajudava, aos 17 anos assumi minha primeira turma orientada por ela. Me afastei por mais de 15 anos, mas o coração pedia para voltar. Em 2012 voltei para ajudar minha mãe que já era coordenadora, nesta época eu queria muito levar coisas novas, (não tinha muita informação na paróquia,) foi aí que comecei a pesquisar na internet e encontrei o Catequistas em Formação. Não sei a quanto tempo eu sigo este grupo. Mas me apaixonei quando percebi que era um grupo muito sério e uma fonte confiável de informações. Tenho todas as apostilas impressas, participei do projeto Cartinhas Missionárias. Aprendi muito mais no grupo do que nas formações que participei. Obrigada Ângela Rocha, pela disponibilidade e pelo carinho, e até pelas broncas que você dá de vez em quando. Paz e bem.

Rose Argolo Bom dia! Sou Rosileide e pertenço à Paróquia da Ressurreição Ceilândia Norte, arquidiocese de Brasília. Não lembro bem quando entrei no grupo, mas na época sentia sede de conhecimento e visitando as páginas no Facebook vi um post do Alberto Meneguzzi, que me chamou a atenção e nele tinha um comentário da Ângela Rocha falando sobre o grupo Catequistas em Formação. Na época não me recordo como entrei no grupo, mas Ângela estava montando um grupo de estudos sobre como fazer um itinerário catequético, participei desse grupo e tenho meu certificado. Minha sede por conhecimentos me levou a permanecer no grupo, Ângela tinha mais tempo... rsrsrs... Sempre nos convidava a fazer uma nova formação. Nele eu me fortaleço pela manhã com a acolhida da Nilva, o Evangelho do dia e sempre uma oração diária. Tenho aprendido muito Ângela nos provoca com suas perguntas a fim de nos tirar do comodismo de apenas usar o grupo para obtermos material para usarmos na catequese. Ela nos leva além, nos mostra que podemos sim fazer uma catequese viva onde não somente os catequizandos crescem, mas nós também à medida que nos formamos. Obrigada a todos do grupo por compartilharem materiais ricos em informação e beleza produzidos em suas paróquias nos encontros de catequese. Obrigada Ângela por sua disposição em nos formar. Obrigada a todas as administradoras do grupo pelo zelo e amor dedicado a nós. Entrei e só saio se me tirarem, pois eu SOU CATEQUISTA EM FORMAÇÃO! ❤❤❤ PARABÉNS!


Suzana Lossurdo: Que o Espírito Santo ilumine a todos!!! Parabéns a todos e a cada um que trabalha, estuda, dedica tempo para que esse grupo forme e transforme a forma de ser catequista em cada um de nós. Ainda, não descobri como vim parar no grupo. Mas, tudo indica que tem dedinho da Maria Aparecida Leite De Melo Paggiaro, minha professora no colegial e agora minha amiga e irmã na fé. Vim parar aqui e fiquei, pois, precisava de mais conhecimento e, até de incentivo para não desanimar. Comecei muito nova e imatura a participar da catequese. Sucumbi. Não aguentei e parei. Anos depois, fui convidada em um terço do Espírito Santo a ser catequista. Aceitei e vi que estava mais perdida que cego em tiroteio. Precisava de um norte, pois não é só de boa vontade que o barco navega. Conheci a Ana, que por motivos de trabalho parou e reencontrei a Maria. Bom, creio que, apesar das formações que fazíamos, ainda faltava algo. A Maria conheceu vocês e apresentou vocês a mim. Tive o prazer de ser convidada para participar da novena de Natal do grupo no ano passado. Foi sensacional!!!! Quanto tempo faz que estou no grupo??? Não sei, pois é tanta coisa nova todos os dias, que parece que acabei de entrar. Parabéns as meninas administradoras do grupo e a todos que colaboram com ideias, perguntas, dúvidas, fotos.

* Jin Hee Kim: Muito lindo o seu testemunho de fé e também de um pouquinho de história conosco! Tive o prazer de conhecer a Suzana Lossurdo pessoalmente, numa dessas muitas formações que fazemos em São Paulo, e é verdade que conversamos como se tivéssemos nos falado ontem né, Suzana? Eu espero te encontrar muitas vezes aqui ou pessoalmente pois percebi que dá no mesmo... kkkkkk. Suzana, entrou no grupo em 2014.


Eclair Santina Dos Santos: O meu testemunho é muito parecido com o da Jin. Fui convidada a ser catequista no final do ano de 2010. E é muito impar nosso testemunho, porque eu também fui convidada a ser catequista da Crisma. Levei um susto, fiquei de boca aberta olhando para o meu sacerdote e fiquei me perguntando como que eu ia dar encontros para adolescentes? Meu sacerdote só me falou assim: ‘Eu sei que você é capaz, você tem temor a Deus e é orante. O resto o Espírito Santo providencia’. Assim começa minha jornada. O grupo Catequistas em Formação surgiu em minha vida, se não me engano, em 2015. Eu sempre estive bisbilhotando os sites e links. E encontrei vocês, vi que havia muitos conteúdos que me interessava, me cadastrei e aqui estou eu. Eu tive a alegria de conhecer pessoalmente a Ângela Rocha que admiro pra caramba, uma mulher forte, decidida, espirituosa e cheia de vida. Bem parecida comigo. E também você Jin, de quem recebi um abraço caloroso. Fico imensamente feliz em fazer parte desses quatro mil inscritos no blog. As demais que só conheço pelo blog. Parabéns somos todas parecidas no quesito: sei o que é bom!!!


Nilva Mazzer - Administrador

Querido grupo, quero hoje te dizer o quanto és importante para mim, contigo aprendi muita coisa 😯, mas muita mesmo. Mas a mais importante delas foi me conhecer ainda mais, me superar em muitas coisas que me achava incapaz...obrigada querido grupo por tudo! 😍 Deus te abençoe! 🙏🙏 Parabéns pelos seus 7 anos vividos intensamente! 🎉🎊🌺

 

Abigail Martins Oliveira - Administradora


Louvado seja Deus pela existência desse grupo... Sete - 7 - é muito significativo, na Bíblia significa totalidade...Que Deus continue nos abençoando... Valeu CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO!👏👏👏Gratidão eterna!🙏🙏


Jin Hee Kim - Administradora

Este aniversário de 7 anos do grupo CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO me trouxe recordações... Em 2012 fui convidada para ser catequista de minha Paróquia, logo que recebi o Crisma (antes tarde do que nunca, rsrs). E em meio a dúvidas e indagações que todos sentem quando se é incumbido de tamanha responsabilidade, o padre me disse uma frase que nunca esqueci: “Deus não escolhe os mais capacitados, mas capacita os escolhidos por Ele”. Mas como???? Então conheci a página Catequistas em Formação. Me lembro bem o que me cativou: a PESSOALIDADE. Dava a impressão que tudo era falado para mim, parecia que eles adivinhavam o que eu precisava... Então entrei no grupo CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO em 2014. E que maravilha, conheci um projeto simplesmente grandioso: o projeto CARTINHAS MISSIONÁRIAS. E quem resiste a uma carta com seu nome escrito no envelope? E foi como a florzinha dente de leão que de levinha voa longe mesmo sem asas, só precisa do soprinho do Espírito Santo! E cá estou, fazendo um pouquinho pra que muitos outros catequistas que estão na jornada junto comigo sempre tenham uma mão estendida para dar e receber, quando tudo parece perdido... Feliz aniversário!

Ângela Rocha 

Como administradora, fazer parte do Catequistas em Formação eu diria que é parte da minha vida: Literalmente! rsrsrrs...
Praticamente todos os dias, umas três ou quatro horas (isso nos últimos dez anos!), eu dedico ao grupo. Antes mesmo dele existir como "grupo" (eu já tinha uma rede de contatos em outras plataformas), eu já me comunicava com catequistas do Brasil todo. Hoje nos concentramos mais na rede social e no blog. Seja lendo as publicações e comentários, curtindo, comentando, corrigindo uma coisinha aqui e ali (As meninas chamam isso de puxão de orelhas... rsrrsrs); seja escrevendo para o grupo ou estudando e pesquisando para responder aos questionamentos dos catequistas, estou sempre mergulhada nos trabalhos do grupo. 
Bom, tem também, as "meninas"... Nilva, Jin, Abigail (sem elas não haveria grupo, não haveria nem "eu" acho... rsrsrrs)... e tantas outras pessoas (4.340) que estão sempre comigo, seja com a "mão na massa" ou me dando apoio moral. 
Na verdade, não sou bem eu que faço parte do grupo e sim, o grupo que faz parte de mim... rsrsrsr. 
Uma amiga muito querida, me chama de "catequistas dos catequistas", eu acho que sou meio "amadora" ainda nisso, mas tento honrar este "título"... rsrsrrs. Este ano, me matriculei na graduação em Teologia, única e exclusivamente para me preparar mais para dar vazão ao muito que, eu mesma, e os nossos leitores exigem de mim. Não dá para ser formadora, sem se formar constantemente. Estudar e ler é uma constante em minha lida, pois, além das demandas do grupo, recebo em torno de 30 a 50 mensagens e questionamentos mensais, sobre este ou aquele assunto. São comentários do blog, comentários no e-mail, página e messenger. Ufa! Dá trabalho. Mas, não trocaria minha vida por nada deste mundo!
O que me move? Eu gostaria de dizer que é a fé, mas, sinto que não é só isso. Talvez seja a paixão pela catequese ou ainda uma espécie de "não posso deixar de anunciar tudo que vi e ouvi..." Ou um conjunto disso tudo. Mas, acredito que seja a "paixão" pela comunicação e por Jesus comunicador, que me faça assim. Nada se compara ao amor que Ele tinha pelas pessoas, a ponto de ensiná-las a viver e até morrer por isso. Sou uma "seguidora" Dele, nessa enorme "rede social" que é a nossa vida... rsrsrsr.
O que eu quero para o futuro? Cuidar e perpetuar este grupo, tal que ele continue a existir mesmo que eu não esteja mais aqui. Parece meio "escatológico" isso, mas, um bom líder deve sempre pensar em criar substitutos e seguidores. Não se vive para sempre e nem se tem disposição para sempre... rsrsrs. Um legado assim, não pode ser perdido. E nesse futuro eu veja minhas queridas Jin Hee Kim e Nilva Mazzer, fazendo parte da história...
Uma tristeza? Não conseguir ser catequista numa paróquia com a constância que eu gostaria. Isso é uma coisa bem engraçada... Apesar de me dedicar sempre de corpo e alma, sempre encontro uma ou outra pessoa que "pensa" a catequese de modo diferente e um pároco que "não pensa" a catequese... rsrsrsrs. Não sou de mesmice e nem de paradice. Isso faz de mim uma pessoa "inadequada" em muitos lugares. Mas, aí me lembro de um texto inspirador de Jesus: "bata o pós das sandálias...", sim, sementinhas dos lugares por onde andei e do que fiz, sempre caem delas. 
Uma alegria? IMENSA, aliás! Fazer parte desse grupo de pessoas, que não desanima, que persevera, que não perde a esperança e que acredita no que faz. Um grupo que vai sempre "ser" catequista, independente de "saber" ou "saber fazer". Pois, isso eu posso ajudar a construir, com a iluminação do Espírito Santo de DEUS sempre!

** À medida que tivermos mais depoimentos, vamos colocando...















terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

MENSAGEM DO PAPA PARA A QUARESMA 2019


“Converter-nos para fazer da criação um jardim, não um deserto”.

 “Queridos irmãos e irmãs, a quaresma do Filho de Deus consistiu em entrar no deserto da criação para fazê-la voltar a ser aquele jardim da comunhão com Deus. Que a nossa Quaresma seja percorrer o mesmo caminho, para levar a esperança de Cristo também à criação”.

O cuidado com a Casa Comum inspirou a mensagem do Papa para a Quaresma.

“A criação encontra-se em expetativa ansiosa, aguardando a revelação dos filhos de Deus”. (Rm 8, 19).


Queridos irmãos e irmãs!

Todos os anos, por meio da Mãe Igreja, Deus “concede aos seus fiéis a graça de se prepararem, na alegria do coração purificado, para celebrar as festas pascais, a fim de que (…), participando nos mistérios da renovação cristã, alcancem a plenitude da filiação divina” (Prefácio I da Quaresma). Assim, de Páscoa em Páscoa, podemos caminhar para a realização da salvação que já recebemos, graças ao mistério pascal de Cristo: “De facto, foi na esperança que fomos salvos” (Rm 8, 24). Este mistério de salvação, já operante em nós durante a vida terrena, é um processo dinâmico que abrange também a história e toda a criação. São Paulo chega a dizer: “Até a criação se encontra em expetativa ansiosa, aguardando a revelação dos filhos de Deus” (Rm 8, 19). Nesta perspectiva, gostaria de oferecer algumas propostas de reflexão, que acompanhem o nosso caminho de conversão na próxima Quaresma.

1. A redenção da criação

A celebração do Tríduo Pascal da paixão, morte e ressurreição de Cristo, ponto culminante do Ano Litúrgico, sempre nos chama a viver um itinerário de preparação, cientes de que tornar-nos semelhantes a Cristo (cf. Rm 8, 29) é um dom inestimável da misericórdia de Deus.

Se o homem vive como filho de Deus, se vive como pessoa redimida, que se deixa guiar pelo Espírito Santo (cf. Rm 8, 14), e sabe reconhecer e praticar a lei de Deus, a começar pela lei gravada no seu coração e na natureza, beneficia também a criação, cooperando para a sua redenção. Por isso, a criação – diz São Paulo – deseja de modo intensíssimo que se manifestem os filhos de Deus, isto é, que a vida daqueles que gozam da graça do mistério pascal de Jesus se cubra plenamente dos seus frutos, destinados a alcançar o seu completo amadurecimento na redenção do próprio corpo humano. Quando a caridade de Cristo transfigura a vida dos santos – espírito, alma e corpo –, estes rendem louvor a Deus e, com a oração, a contemplação e a arte, envolvem nisto também as criaturas, como demonstra admiravelmente o “Cântico do irmão sol”, de São Francisco de Assis (cf. Encíclica Laudato si’, 87). Neste mundo, porém, a harmonia gerada pela redenção continua ainda – e sempre estará – ameaçada pela força negativa do pecado e da morte.

2. A força destruidora do pecado

Com efeito, quando não vivemos como filhos de Deus, muitas vezes adotamos comportamentos destruidores do próximo e das outras criaturas – mas também de nós próprios –, considerando, de forma mais ou menos consciente, que podemos usá-los como bem nos apraz. Então sobrepõe-se a intemperança, levando a um estilo de vida que viola os limites que a nossa condição humana e a natureza nos pedem para respeitar, seguindo aqueles desejos incontrolados que, no livro da Sabedoria, se atribuem aos ímpios, ou seja, a quantos não têm Deus como ponto de referência das suas ações, nem uma esperança para o futuro (cf. 2, 1-11). Se não estivermos voltados continuamente para a Páscoa, para o horizonte da Ressurreição, é claro que acaba por se impor a lógica do tudo e imediatamente, do possuir cada vez mais.

Como sabemos, a causa de todo o mal é o pecado, que, desde a sua aparição no meio dos homens, interrompeu a comunhão com Deus, com os outros e com a criação, à qual nos encontramos ligados antes de mais nada através do nosso corpo. Rompendo-se a comunhão com Deus, acabou por falir também a relação harmoniosa dos seres humanos com o meio ambiente, onde estão chamados a viver, a ponto de o jardim se transformar num deserto (cf. Gn 3, 17-18). Trata-se daquele pecado que leva o homem a considerar-se como deus da criação, a sentir-se o seu senhor absoluto e a usá-la, não para o fim querido pelo Criador, mas para interesse próprio em detrimento das criaturas e dos outros.

Quando se abandona a lei de Deus, a lei do amor, acaba por se afirmar a lei do mais forte sobre o mais fraco. O pecado – que habita no coração do homem (cf. Mc 7, 20-23), manifestando-se como avidez, ambição desmedida de bem-estar, desinteresse pelo bem dos outros e muitas vezes também do próprio – leva à exploração da criação (pessoas e meio ambiente), movidos por aquela ganância insaciável que considera todo o desejo um direito e que, mais cedo ou mais tarde, acabará por destruir inclusive quem está dominado por ela.

3. A força sanadora do arrependimento e do perdão

Por isso, a criação tem impelente necessidade que se revelem os filhos de Deus, aqueles que se tornaram “nova criação”: “Se alguém está em Cristo, é uma nova criação. O que era antigo passou; eis que surgiram coisas novas” (2 Cor 5, 17). Com efeito, com a sua manifestação, a própria criação pode também “fazer páscoa”: abrir-se para o novo céu e a nova terra (cf. Ap 21, 1). E o caminho rumo à Páscoa chama-nos precisamente a restaurar a nossa fisionomia e o nosso coração de cristãos, através do arrependimento, a conversão e o perdão, para podermos viver toda a riqueza da graça do mistério pascal.

Esta “impaciência”, esta expetativa da criação ver-se-á satisfeita quando se manifestarem os filhos de Deus, isto é, quando os cristãos e todos os homens entrarem decididamente neste “parto” que é a conversão. Juntamente conosco, toda a criação é chamada a sair “da escravidão da corrupção, para alcançar a liberdade na glória dos filhos de Deus” (Rm 8, 21). A Quaresma é sinal sacramental desta conversão. Ela chama os cristãos a encarnarem, de forma mais intensa e concreta, o mistério pascal na sua vida pessoal, familiar e social, particularmente através do jejum, da oração e da esmola.

Jejuar, isto é, aprender a modificar a nossa atitude para com os outros e as criaturas: passar da tentação de “devorar” tudo para satisfazer a nossa voracidade, à capacidade de sofrer por amor, que pode preencher o vazio do nosso coração. Orar, para saber renunciar à idolatria e à autossuficiência do nosso eu, e nos declararmos necessitados do Senhor e da sua misericórdia. Dar esmola, para sair da insensatez de viver e acumular tudo para nós mesmos, com a ilusão de assegurarmos um futuro que não nos pertence. E, assim, reencontrar a alegria do projeto que Deus colocou na criação e no nosso coração: o projeto de amá-Lo a Ele, aos nossos irmãos e ao mundo inteiro, encontrando neste amor a verdadeira felicidade.

Queridos irmãos e irmãs, a “quaresma” do Filho de Deus consistiu em entrar no deserto da criação para fazê-la voltar a ser aquele jardim da comunhão com Deus que era antes do pecado das origens (cf. Mc 1,12-13; Is 51,3). Que a nossa Quaresma seja percorrer o mesmo caminho, para levar a esperança de Cristo também à criação, que “será libertada da escravidão da corrupção, para alcançar a liberdade na glória dos filhos de Deus” (Rm 8, 21). Não deixemos que passe em vão este tempo favorável! Peçamos a Deus que nos ajude a realizar um caminho de verdadeira conversão. Abandonemos o egoísmo, o olhar fixo em nós mesmos, e voltemo-nos para a Páscoa de Jesus; façamo-nos próximo dos irmãos e irmãs em dificuldade, partilhando com eles os nossos bens espirituais e materiais. Assim, acolhendo na nossa vida concreta a vitória de Cristo sobre o pecado e a morte, atrairemos também sobre a criação a sua força transformadora.


Franciscus

FONTE: vaticano.org
www.vaticannews.va/pt 

COMO SE LÊ A BÍBLIA?

COMO LER A BÍBLIA: um texto maravilhoso e cheio de "dicas" preciosas para o catequista e todo aquele que quer conhecer melhor as Sagradas Escrituras.


Existe uma questão que é bom, logo de cara, a gente internalizar: Para uma boa formação bíblica, para “aprender” a Bíblia, temos que ler a Bíblia! E por mais que a tenhamos lido várias vezes, encarar esta leitura como se fosse a primeira. E aí vem a pergunta: COMO SE LÊ A BÍBLIA?


Esta resposta eu encontrei num site dos padres Redentoristas de Portugal, onde fiz uma “deliciosa” viagem de conhecimento ao universo bíblico. E está aqui as primeiras orientações para se LER A BÍBLIA como ela deve ser lida.

Peço que vocês façam este exercício de leitura, não para mim, mas, para VOCÊ, para sua FORMAÇÃO!

Não se acanhe se, à medida que for lendo, encontrar algum lugar um pouco “escuro” e de difícil acesso; tem aqui uma “amiga” que conhece um pouquinho mais estes caminhos e, quem sabe, pode te guiar. Então, se quiser, fique à vontade para trazer para nós as suas dúvidas e as suas impressões sobre a leitura. Devagar, com paciência e persistência.

COMO SE LÊ A BÍBLIA?
*(Pe. Rui Santiago, cssr)

E se a pergunta é um COMO, a resposta é e um ASSIM: 

Ponto 1: a bíblia existe traduzida em português; 
Ponto 2: quem faz esta pergunta é sempre quem sabe ler; 
Ponto 3: então... 

Na pergunta está o reconhecimento de que há na bíblia “qualquer coisa” que soa a “estrangeiro”, lugar desconhecido. Ainda que tenhamos o texto em português, ele transporta ainda muitas coisas estranhas, que precisam de uma tradução mais profunda do que a tradução linguística. Sim, precisamos também de uma tradução cultural e uma interpretação simbólica que só nos é dada pelo contato concreto com esse mundo. E não podemos esquecer, claro, que todos os textos da bíblia foram escritos num contexto de fé, mesmo quando estão lá experiências de fé, muito diferentes das nossas. Por isso, só numa leitura “crente” chegamos a tocar de verdade o corpo da bíblia. A regra é simples e antiga: a bíblia deve ser lida no mesmo espírito em que foi escrita. Assim como acreditamos na Escritura Inspirada, precisamos de uma Leitura Inspirada e uma Audição Inspirada. 

Como se aprende uma língua estrangeira? 

A pergunta pode transformar-se nesta, sim. Porque a resposta é igual. O que é mais fundamental é a convivência! Ir lá onde se fala essa língua, conviver com pessoas de lá. Arranjar bons guias de viagem e livros simples nessa língua, ir à internet ver vídeos desse lugar e ouvir gente conversando, a ver se apanhamos o cantar da língua e o estilo da comunicação, mesmo que a princípio não entendamos quase nada. Ir lá e comer as comidas de lá, vestir-se com as roupas de lá, apanhar o sotaque de lá e o tom de pele que o sol de lá te der. Aprender uma língua estrangeira é uma questão de proximidade. 

Assim, tal e qual, é com a bíblia. Precisamos “visitar” este país estrangeiro. Entrar nesse mundo, ir lá de visita muitas vezes (é mais fácil e barato que qualquer outro destino!), e é preciso arranjar companheiros que conheçam esse “lugar” melhor que você e lhes dar ouvidos, aproveitar para estar com eles e aprender. Faça amigos por lá também, crie sua história por ali, pessoal, solitária. Vai passear sozinho a ver o que encontra. Os lugares mais inesquecíveis são aqueles em que nos perdemos, do mapa ou de amores. 

GUIAS E DICAS PARA A LEITURA DA BÍBLIA

1. Arrume uma Bíblia que seja a SUA bíblia, de preferência uma edição recente, com boa tradução e boas notas. Conheça-a bem, mexa por todos os lados, olha os índices, os suplementos, os mapas, as introduções a cada livro ou conjunto de livros. Só aí, você vai ver quantas ferramentas de ajuda as edições atuais das bíblias já trazem.

DICA: em português, as melhores são Bíblia de Jerusalém, Bíblia dos Capuchinhos, Bíblia Paulus. 



2. Crie RITMOS DE LEITURA, organize-se, marque na agenda se quiser, coloque um alarme no celular para não esquecer a hora da leitura. Porque é preciso compreender que: Você não vai entrar no mundo bíblico de maneira espontânea e natural a princípio; por isso precisa de ritmo, método e perseverança. 

DICA: organize-se com o tempo que você tem, quantas vezes por semana e quanto tempo de cada vez, defina em que momento do dia vai fazer a leitura e trace objetivos.



3. Quando pegar a sua bíblia para ler um pedaço, faça um momento de silêncio interior e fale com Jesus. Diga-lhe o que pretende, com toda a simplicidade. Diga-lhe só que quer se encontrar com Ele por meio daquela leitura, como se cada palavra fosse uma porta que se abre. Num momento breve e simples, coloca-se em AMBIENTE DE ORAÇÃO e confie a sua leitura à inspiração do Espírito Santo.

DICA: inspirar e expirar profunda e lentamente ajuda, como se sorvesse a presença Daquele que te ama em cada inspiração e se transferisse para dentro Dele em cada expiração.

4. Descontraia-se, leia sem nenhuma pressão interior; que isto não seja mais uma “atividade” obrigatório que você arrumou, mas, um descanso sossegado; LEIA DESCONTRAIDAMENTE, sem querer entender tudo à primeira vista, sem se preocupar com o que não entendeu, sem empancar nem se fixar naquilo que parece esquisito ou sem sentido (encolha os ombros e siga!); não se assuste com o que não gosta nem tire conclusões precipitadas sobre o que não entende (por enquanto). E não se deixe dominar por certezas antigas que estão sempre prontas a te dar respostas rápidas (e quase sempre pobres) sobre tudo. Deixa-se ir, apenas, lendo, convivendo com a bíblia, acariciando as páginas, estabelecendo amizade com o texto que já apaixonou tanta gente durante milênios…

DICA: Leia em voz alta! Só para você, claro, mas de maneira que você se ouça falando. A Bíblia é Palavra de ouvir, mesmo que esteja a ler sozinho. 

5. APANHE O TODO DA NARRATIVA, o fio condutor mais do que o fragmento de texto, mais a História do que o versículo, mais os Movimentos, Ações e Atitudes do que as palavras ditas. Ainda não é a fase de se deter nos detalhes que sente que são complicados. Pelo contrário, é hora de entrar no espírito e movimento da Palavra bíblica, que é viva e ágil, e muito mais simples e entusiasmante do que você pensava.

DICA: atenção aos “Verbos”, aos “Mas” e ao “antes e depois” de cada cena, porque é aí que costuma estar o segredo de tudo e a Boa Notícia reservada para você. Risca a tua bíblia, sublinha, faz bolinhas e setinhas, apontamentos e chamadas de atenção, sem receio. Tudo isso são vestígios de que nessa página você e Jesus já se encontraram e estiveram a conversar, e a Palavra aconteceu. Complete a sua bíblia! Você a comprou, ela é sua, mas, ainda lhe falta VOCÊ!

6. NÃO LEIA MUITA COISA DE UMA VEZ SÓ, não se empanturre. A Palavra de Deus é de comer, sim, mas precisa ser bem mastigada. Não leia “de metro” nem passe pela Palavra a voando. Por outro lado, TAMBÉM NÃO PETISQUE APENAS meia dúzia de versículos de cada vez, por enquanto. Essa leitura de degustação é mais para frente, quando você já tiver outra cumplicidade com a bíblia, porque normalmente tem outras exigências e técnicas.

DICA: E se a Bíblia é uma fruta gostosa de comer, guarda os caroços! É nos caroços que está a semente que há de dar fruto. Guarde-os! Quando você “come” a Palavra, os caroços são aquelas duas ou três frases ou expressões ou movimentos que claramente tiveram mais impacto em você. O que você, quando está lendo, pressente que é uma coisa para saborear mais longamente, como quem guarda na boca o caroço da cereja para ir roendo e remoendo enquanto faz outras coisas. Arranje um caderno pequeno e o mantenha sempre junto da bíblia, ou umas folhas pequenas avulsas que pode por lá dentro, e aí você pode guardar os caroços sempre, isto é, pode ir escrevendo essas coisas que são “de guardar” como quem recolhe sementes.

7. Aproveite as oportunidades que tiver para fazer FORMAÇÃO BÍBLICA e TEOLÓGICA, porque isso vai dar a você possibilidades novas, ferramentas, raciocínios e lógicas, olhos e linguagem onde sozinhos não chegamos!

DICA: a internet é uma ótima fonte, desde que não nos percamos em tanta tralha que só complica e desinforma. 
Algumas propostas:
No youtube: pesquisar Frei Carlos Mesters
Livros: é sempre ótima leitura o Pe. Tolentino Mendonça, biblista e poeta, e outras coisas boas em português. 
E “encontros” de formação OU sites como este e tantos outros com qualidade que se fazem por aí.

8. Última dica de leitura para a bíblia, quando se quer aprender a sério: TENHA PACIÊNCIA! Há tempo! Não vá se atrapalhar com a pressa. Não perca o rumo em perguntas consecutivas e impacientes. Dê a si mesmo esse presente do tempo, já que todo mundo quer te tirar. Deus o dá a você. Colabore com Ele. Siga em frente! Não entende agora? Lá na frente vai entender, quase sem se dar conta. Sente que não está aproveitando nada? Continue, perseverante e tranquilo. Garanto que na hora certa vai perceber em você as mudanças que aconteceram.

DICA: é claro que você vai falhar no ritmo que vai marcar consigo mesmo. É claro! Acontece sempre. Então, faça assim: quando acontecer de falhar uma vez, continua na vez seguinte naturalmente e fale disso com Jesus. Mas, quando acontecer de falhar duas vezes seguidas, você tem que compensar isso, deve arranjar um tempo especial, que não estava marcado, para recuperar o ritual. Caso contrário… a partir da segunda, a terceira fica mais fácil, e a quarta mais ainda, e depois... perdeu o bonde. E este é um bonde que não passa sempre.

ITINERÁRIO DE LEITURA BÍBLICA SUGERIDO...

1. Evangelho de Marcos: o mais antigo e primeiro a ser escrito.
2. Carta de Paulo aos Gálatas
3. Carta de Paulo aos Filipenses
4. Salmos do Hallel (salmos 113 a 118)
5. Evangelho de João
6. Primeira carta de Paulo aos Coríntios
7. Segunda carta de Paulo aos Coríntios
8. Livro da Consolação de Isaías (Isaías, capítulos 40 a 55)
9. Evangelho de Lucas
10. Livro dos Atos dos Apóstolos
11. Livro do profeta Jonas
12. Carta de Paulo aos Efésios
13. Carta de Paulo aos Romanos
14. Primeira carta de Paulo a Timóteo
15. Segunda carta de Paulo a Timóteo
16. Salmos das Subidas (salmos 120 a 134)
17. Carta aos Hebreus – escritos deliciosos
18. Primeira carta de João – o máximo que já se disse do amor, de Deus
19. Livro do Cântico dos Cânticos - depois que conhecemos este Deus de amor vamos ao principio das coisas... convivência com esse Deus enamorado que sabe tanto de amor... no principio ... estamos preparados para ler... cabedal espiritual interior que não precisa mais de itinerário...
20. Gênesis

Agora você está por sua conta... rsrsrrsrs...

DICA FINAL: Ler a introdução dos livros: contexto, objetivos, ano, história...

Pe. Rui Santiago, cssr – CER Portugal.

* * * * * *

Vamos lá! Uma boa viagem a este mundo maravilhoso da Palavra!



Ângela Rocha
Catequistas em Formação


sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

HOMILIA DO DOMINGO: SEDE MISERICORDIOSOS COMO O VOSSO PAI DO CÉU É

                    HOMILIA DO 7° DOMINGO DO TEMPO COMUM – ANO C

Solidários ao “primeiro Adão” (2ª leitura), de algum modo somos seres divididos, devedores de alguma coisa. Sempre existe dentro de nós algo que clama por ser melhorado, integrado, reconciliado. E diante deste drama temos um Deus rico em misericórdia que vem sempre ao nosso encontro e nos oferece o perdão. A misericórdia de Deus é infinita: Deus perdoa sempre, perdoa qualquer coisa, perdoa de modo gratuito, ama de modo gratuito, não pede nada em troca.

Jesus nos pedirá o mesmo coração do Pai: “Sede misericordiosos como o vosso Pai do Céu é misericordioso” (Evangelho). Diante do amor gratuito de Deus, exige-se a nossa gratuidade: dar sem receber nada em troca, amar e rezar pelos inimigos. É o que faz Davi (1ª Leitura). Ele poderia se vingar do rei que o perseguia, tinha diante dele seu inimigo indefeso, é tentado por Abisai para dar o golpe de morte, mas prefere o perdão, prefere guardar a espada e deixa-lo viver.

Estamos na sociedade da troca, do consumo, do lucro, da luta pelo sucesso, da vingança. Neste mundo, existem muitas oportunidades de destruir o outro, de crescer em troca do insucesso alheio. Ainda existem vozes que gritam pela pena de morte, pelo castigo aos culpados (sobretudo assassinos) ... Não perguntamos as razões da violência, fazemos pouco pela promoção da concórdia. Estamos dispostos a fazer o bem aos que não podem recompensar? Existe a oportunidade de oferecer o perdão a alguém que nos prejudicou?

O ódio nos destrói por dentro, prejudica até a nossa saúde. Não é possível amar a Deus sem amar o irmão. Precisamos evoluir nossa consciência sobre o que é pecado e sobre a reconciliação. Parece que boa parte das pessoas deseja uma consciência tranquila diante da confissão de alguns pecados como falta de oração, pensamentos impuros; quando se fala do amor ao próximo, pensa-se logo nos que estão na nossa família. É preciso uma maior atenção no amor aos irmãos, que passa necessariamente pelo perdão. Se existe algum perdão para oferecer, este é o dia, pois estamos celebrando “o sacrifício da perfeita reconciliação”. A missa, o sacramento da reconciliação, as celebrações penitenciais e os gestos concretos de caridade são caminhos de reconciliação. Não devem, contudo, ser atos vazios de sentido, mas meios para uma verdadeira reconciliação.

Podemos ainda falar de outras reconciliações. Além da reconciliação com Deus e com os irmãos, é preciso se reconciliar consigo mesmo. Existe dentro de nós muita coisa que não aceitamos. Posso me destruir por não aceitar os meus limites, a minha história com tanta sombras, o meu comportamento. É preciso se amar, para amar a Deus e amar a todos!

Como diz São Paulo: “Deixai-vos reconciliar com Deus” (2Cor 5, 20). Abramos o coração para receber e dar o perdão. Perdão que vem de perdonare (per = através de; donare = dar, dom), significa ser atravessado pelo dom de Deus. Quem é atravessado por este amor é capaz de ser reconciliado cada vez mais até chegar à eternidade, o Reino dos reconciliados!

Pe. Roberto Nentwig
Arquidiocese de Curitiba - PR



FONTE: NENTWIG, Roberto. O Vosso Reino que também é nosso. Reflexões Homiléticas - Ano B. Curitiba; Editora Arquidiocesana, 2015. pg. 79.

* Adquira os livros com as homilias completas!


Palavras sobre o Reino na vida a partir dos Evangelhos. São três livros: Ano Litúrgico A, B e C. Cada livro tem o valor de R$ 15,00. Kit com os três livros: R$ 30,00 + frete.