segunda-feira, 18 de maio de 2020

PEDAGOGIA: QUAL É A SUA?


PEDAGOGIA E CATEQUESE

O QUE É PEDAGOGIA?

Origem da palavra: A palavra Pedagogia tem origem na Grécia antiga, paidós (criança) e agogé (condução). Paidagogus era o condutor da criança, ele era um paternal "cuidador", e guiava a criança até o local de ensino e, metaforicamente, em direção ao saber. Entretanto, a prática educativa é um fato social, cuja origem está ligada à da própria humanidade

No decurso da história do Ocidente, a Pedagogia firmou-se como correlato da educação e da ciência do ensino. Nós nos apropriarmos da palavra para dizer que a pedagogia é a ciência da "condução" ao saber. Pedagogo é aquele que conduz. Então, nossa pedagogia é a forma como "conduzimos" o outro ao saber ou na direção correta.

Sendo assim, a Pedagogia é a ciência ou disciplina cujo objetivo é a reflexão, ordenação, a sistematização e a crítica do processo educativo.

Estatueta produzida na Grécia Antiga em terracota representando o escravo pedagogo.

Na Grécia antiga, o velho pedagogo (παιδαγωγός) com sua lanterna, conduzia a criança (παιδόσ) até a palestra (παλαίστρα) e exigia que ela realizasse as lições recomendadas. Esse παιδόσ (criança) tinha a idade entre sete e quatorze anos e era sempre do sexo masculino. Hoje, a figura do pedagogo clássico converteu-se no professor generalista das séries Iniciais do Ensino Fundamental e nos educadores não docentes que atuam na administração escolar, mas com formação em pedagogia.



Mas, vamos agora, "transportar" a palavra pedagogia para o nosso modo de "evangelizar", ou seja, levar a nossa "criança" (que muitas vezes é um adulto), para o ensino da fé. Em se falando de ensino da fé, temos como exemplos máximos a pedagogia de Deus, de Jesus e do Espírito Santo. Inspirada nestas pedagogias, a Igreja tem a sua própria que também leva a uma pedagogia catequética.

1.  PEDAGOGIA DE DEUS (DNC 138-139)

- Educador da fé – procura interação com o povo;
- Um sábio que assume as pessoas nas condições em que estão, liberta do mal e chama para viver o amor para crescer na fé;
- Se comunica por meios dos acontecimentos da vida do povo, de acordo com a situação pessoal e cultural de cada um;
- Parte da realidade das pessoas, acolhendo-as e respeitando-as com suas vocações e dons, chamando-as para a conversão;
- Forma eficiente de catequese narrativa e celebrativa, que transmite a fé e os ensinamentos do Senhor, de geração em geração, para o povo se deixar guiar por seu projeto de amor (Ex 24,10; Dt 5,2-4; Js 24,17; Is 51, 1b).

2. PEDAGOGIA DE JESUS (DNC 140)

- Modelo da pedagogia catequética;
- Convivência com as pessoas, continuidade da pedagogia do Pai;
- Jesus por meio de sua vida, palavras, sinais e atitudes; levou a plenitude a revelação Divina do Antigo Testamento;
- Motiva as pessoas a viverem de acordo com os seus ensinamentos, planta a semente da comunidade/ Igreja, que passa de geração em geração a mensagem da salvação e a pedagogia que ele ensinou com a vida.

2.1 Traços da pedagogia de Jesus que inspira a catequese:

a) Acolhimento as pessoas, pobres, pequenos, excluídos e pecadores (Mt 18, 12-14) – opção preferencial pelos pobres;
b) Anúncio do Reino: boa nova de verdade, da liberdade, do amor, da justiça, que dá sentido à vida;
c) Convite amoroso para viver a fé, esperança e caridade com a conversão e seguimento;
d) Envio dos discípulos para semear a Palavra e transformar a sociedade (Somos enviados e ao mesmo tempo mestres de outros discípulos);
e) Assumir a radicalidade do mandamento do amor, princípio pedagógico fundamental: Mt 17,20; Lc 13,16; Jo 13,24; Lc 10,29-37.
f) Atenção as necessidades e situações de vida das pessoas, valores culturais, provocando reflexão para mudança de vida;
g) Conversa simples, acessível, narrativas, comparações, parábolas e gestos, adaptando-as aos interlocutores e seguidores;
h) Firmeza diante das tentações, das crises, do sofrimento, buscando força na oração.

3. PEDAGOGIA DO ESPÍRITO SANTO (DNC 142 a 144)

- Princípio inspirador da atividade catequética;
- “Mestre interior”, faz compreender as palavras e gestos de Jesus;
- Pedagogia interior do coração; a catequese procura a união do conhecimento intelectual e a experiência amorosa da vida em Deus;
- A mensagem das Sagradas Escritura, na Tradição, na Liturgia, no Magistério, nos sinais dos tempos, precisa ser conhecida: A Catequese estimula a vivência no Espírito para que o catequizandos viva na liturgia, no Ano Litúrgico e na oração cotidiana o caminho de crescimento na fé;
- Experiência existencial, pessoal e comunitária de Deus: da vida, do coração, da contemplação, da relação com si mesmo e com o outro, com a natureza e com Deus. É a marca do amor de Jesus, caminho da catequese, iluminado pela ação do Espírito Santo;
- Anuncia a verdade revelada: cria meios para a comunhão filial com Deus, com a comunidade, justiça, solidariedade e fraternidade.

4. PEDAGOGIA DA IGREJA (DNC 145):

- Mãe e educadora da fé;
- Cria comunidade, exemplo dos valores do Evangelho;
- Vida dos Santos e Mártires são testemunhos catequéticos (pedagogia do herói);
- A dedicação dos seus missionários é uma Catequese movida pela força do exemplo;
- Sua ação no mundo transmite o que ela é e crê;
- Seus fiéis são chamados a transformar o mundo segundo o Evangelho;
- Comunidades precisam ser coerentes com o Evangelho;
- A pedagogia eclesial (Igreja) precisa demonstrar que é possível viver com autenticidade o seguimento de Jesus.

5. PEDAGOGIA CATEQUÉTICA (DNC 146 a 148):

- A pedagogia catequética tem uma originalidade específica, que é ajudar às pessoas no caminho rumo a maturidade na fé, no amor e na esperança;
- A Igreja é mediadora do encontro entre Deus e a pessoa humana e em seu nome, os catequistas sentem a responsabilidade de serem mediadores especiais para que catecúmenos e catequizandos cheguem ao conhecimento da verdade e da salvação;
- O catequista precisa estar entusiasmado por aquilo que crê, alegre por estar em processo de permanente conversão, disposto a fazer diferença num mundo marcado por tanta coisa contrária ao projeto de Deus.

5.1 Objetivos alcançados pela catequese inspirados na pedagogia da fé (DNC 147):

a) Adesão livre e total a Deus;
b) Conhecimento vivo da Palavra de Deus contida na Bíblia, desenvolvendo as dimensões da fé contidas no Catecismo da Igreja Católica;
c) Discernimento vocacional para que assumam na Igreja e na sociedade, o seguimento de Jesus de acordo com seu potencial, aspiração e escolhas existenciais.

5.2 Atitudes do catequista frente a dimensão espiritual da pedagogia da fé (DNC 148):

a) Clima de acolhimento e docilidade, humildade e obediência; muitas vezes o catequista deverá refugiar-se no silêncio, na discrição e, sobretudo, na oração, sabendo respeitar e esperar a ação do Espírito;
b) Ambiente espiritual de oração e recolhimento; não significa perda do espírito crítico nem da racionalidade, mas, alegria interior de uma atividade aberta ao Espírito;
c) Palavras ditas com autoridade e fortaleza: o catequista é um profeta guiado pelo Espírito e pronuncia palavras corajosas, criativas e seguras, pois tem consciência de ser enviado por Deus; diante desta missão o catequista precisa de sólida formação, humildade, senso de responsabilidade, espiritualidade e inserção na comunidade.

5.3 Fidelidade a Deus e a pessoa humana (DNC 149):

A catequese, inspirada na Pedagogia de Deus busca incentivar a participação ativa dos catequizandos, pois eles são os sujeitos do processo educativo. A catequese tem a missão permanente de inculturar-se, buscando uma linguagem capaz de comunicar a Palavra de Deus e a Profissão de fé (Credo) da Igreja, conforme a realidade de cada pessoa. Nisso segue o exemplo do Verbo Divino, que se fez carne, assumiu a natureza humana e a cultura de um povo conforme o seu tempo.


Ângela Rocha
Catequista e formadora, estudante do 3º período de teologia da PUCPR.

FONTE:
- Pedagogia Catequética: Resumo do DNC – Diretório Nacional de Catequese – Cap. 5.

Nenhum comentário: