domingo, 7 de junho de 2020

COMO ESCREVER UMA EXEGESE BÍBLICA


A palavra exegese vem do grego e significa literalmente ‘tirar fora’ (ex-ago). Concretamente tem o sentido de extrair o significado, interpretar o texto. Na bíblia, a exegese é o estudo da interpretação gramatical e sistemática das Escrituras Sagradas.

Uma exegese é um ensaio focado em determinada passagem bíblica. Uma boa exegese apresenta uma lógica, pensamento crítico, e fontes secundárias que aprofundem a compreensão do texto. Pode ser que você precise escrever uma exegese na disciplina de estudo bíblico ou apenas para aguçar seu entendimento das Sagradas Escrituras. O primeiro passo é ler a passagem e tomar notas, de maneira a preparar um esboço. Depois, agregue sua interpretação às pesquisas feitas. Por último, faça uma revisão e certifique-se de ter dado o seu melhor.

COMEÇANDO...

1. Leia a passagem bíblica em voz alta. 

Leia a passagem em voz alta para si mesmo algumas vezes, prestando atenção em cada palavra. 
Confira diferentes traduções do mesmo texto, a fim de obter um senso geral do texto. Você escolherá uma delas para basear sua exegese, mas ao olhar outras traduções, você só tem a ganhar.

2. Tome notas a partir da leitura. 

Conforme lê a passagem, anote quaisquer palavras que não conheça, e procure-as em dicionários e glossários bíblicos, procurando compreender o uso delas no contexto. 
Leve em conta a gramática e a sintaxe da passagem. Observe a estrutura das frases, os tempos verbais, e a relação de coesão e coerência entre todos os elementos do texto. 
Circule, por exemplo, palavras como "semear", "raiz" e "solo", caso entenda que elas são importantes. 
Talvez você perceba que a passagem termina com a expressão "Quem tem ouvidos, ouça", que costuma aparecer no fim de parábolas bíblicas.


 3. Leia textos externos relacionados à passagem. 

       Informe-se sobre o assunto também com fontes secundárias, tais como artigos teológicos e comentários em jornais e livros. Use como um apoio um dicionário bíblico, vá a uma livraria religiosa e adquira livros, leia periódicos online. Você provavelmente encontrará muito material sobre o assunto. 
        Procure por artigos, ensaios e comentários sobre o gênero literário da passagem, assim como temas e ideias que a permeiem.

4. Faça um esboço de seu ensaio. 

Todo ensaio precisa ter introdução, desenvolvimento e conclusão. Antes de começar a composição, faça um esboço de cinco partes. Um exemplo seria:
Parte 1: Introdução. 
Parte 2: Notas a partir da leitura. 
Parte 3: Interpretação do texto. 
Parte 4: Conclusão. 
Parte 5: Bibliografia.

ESCREVENDO...

5. Faça uma introdução da passagem bíblica. 

Transcreva a passagem inteira e coloque-a em contexto, sem se esquecer de especificar a parte da Bíblia em que ela aparece. 
Mencione o gênero literário. Pode ser que a passagem seja, por exemplo, um hino, como em Cantares de Salomão, ou uma parábola, como as de Jesus.

6. Inclua uma declaração de tese. 

A declaração servirá como um guia para a leitura da exegese, e o objetivo dela é resumir os principais argumentos do ensaio em uma única frase. Coloque-a no final da introdução do texto. 
Eis um exemplo de declaração de tese: “Nessa passagem bíblica, aprendemos sobre o valor das raízes e da tradição para um crescimento saudável interior e exterior.”

7. Comente os versículos da passagem um a um. 

Faça uma leitura atenta da passagem, focando na gramática e na sintaxe, e discorra sobre a linguagem e a estrutura dos componentes do texto. Observe e apresente como o gênero literário da passagem influencia no significado dela. 
Por exemplo, se estiver escrevendo sobre Mateus 13, 1-8, comente a escolha de palavras e a fraseologia da parábola. Mencione como a passagem usa a natureza como uma metáfora para o crescimento pessoal.

8. Interprete a passagem como um todo. 

Reflita sobre os temas sobressalientes no texto, levando em consideração os ensinamentos bíblicos comuns. Discuta o significado teológico da passagem, e pergunte a si mesmo: “Como posso aplicar esse ensinamento em minha vida? Que diz essa passagem sobre minha fé?” 
Se quiser, inclua no ensaio uma reflexão que abarque um contexto maior, incluindo o significado histórico e social do texto. Leia e cite pensadores, teólogos e acadêmicos.

9. Agregue citações à exegese. 

        Use citações diretas para fortalecer seus argumentos. Procure fontes de boa reputação e cite-as para agregar valor ao ensaio. Se estiver escrevendo a análise para uma aula, pergunte ao professor qual estilo de citação deve ser utilizado.

10. Faça as declarações finais e conclua o ensaio. 

Para terminar, teça comentários sobre a passagem como um tudo, faça as considerações finais e repita sua declaração de tese. Agora não é hora de agregar novas ideias – e sim de concluir o que já foi apresentado.

11. Faça uma bibliografia. 

A exegese precisa ter uma bibliografia contendo todas as fontes consultadas. A formatação precisa conter o nome do autor e o título do artigo, periódico ou livro, assim como a data de publicação.
O professor talvez especifique um tipo específico de formatação da bibliografia.

APERFEIÇOANDO...

12. Faça uma revisão do ensaio, conferindo a ortografia, a gramática e a pontuação.

Leia o texto em voz alta para detectar possíveis erros, corrija erros de pontuação e observe atentamente a ortografia e a gramática. Caso contrário, a exegese pode perder pontos de confiança e parecer ter sido feita às pressas.
Leia a exegese de trás para frente a fim de encontrar erros ortográficos. Esse método funciona, pois, você terá que prestar atenção em cada palavra individualmente.

13. Peça a opinião de terceiros. 

Antes de entregar o texto, mostre-o para amigos, colegas de classe e professores. Indague se a exegese está clara, organizada e detalhada o suficiente. Esteja aberto a críticas construtivas.

14. Revise a exegese em relação à clareza e o tamanho. 

Depois de ouvir a opinião de pessoas confiáveis, faça uma revisão final. Observe se as frases estão coesas entre si, e se o raciocínio está fácil de acompanhar. Cubra todos os aspectos, gerais e específicos, da passagem.
A revisão também deve garantir que o artigo não esteja muito longo. Fique atento à contagem de palavras, para não exceder o limite estabelecido pelo professor.


FONTES DE PESQUISA:

STUART, Douglas; FEE, Gordon D. Manual de exegese bíblica: Antigo e Novo Testamentos. São Paulo: Vida Nova, 2008.

GORMAN. Michael. Introdução à exegese bíblica. Trad. Wilson de Almeida. São Paulo: Thomas Nelson Brasil,  2017.

Um comentário:

Alberto disse...

Muito bom.
Obrigado pelas dicas.