terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

A PÁSCOA E SUAS MUDANÇAS NO CALENDÁRIO


"Quem é o que celebra a Páscoa, senão quem crê Naquele que padeceu na terra, para reinar com Ele no céu?"
(Santo Agostinho)

Origens da Páscoa

Muitos povos antigos tinham por costume comemorar o fim do Inverno e o início da Primavera com festas durante as noites iluminadas pela Lua Cheia. A primeira noite de Lua Cheia, após a entrada da Primavera, era para eles uma noite especial.

Foi durante a noite, numa dessas comemorações, que ocorreu o Pessah (passagem, em hebraico), relatado na Torah dos hebreus e no Antigo Testamento da Bíblia Cristã. Foi quando o anjo da morte passou sobre o Egito e todos os primogênitos dos não hebreus foram mortos. A esse acontecimento, seguiu-se a libertação dos hebreus do Egito, liderados por Moisés. A comemoração da data da Pessah (passagem), que viria a dar origem à Páscoa dos cristãos, foi diretamente ordenada por Deus a Moisés.

Na tradição Cristã, a Páscoa é igualmente importante, pois quando Jesus retornou a Jerusalém para participar das comemorações do Domingo da Pessah (Páscoa), foi capturado e, depois, crucificado, tendo morrido na sexta-feira e ressuscitado no domingo. Alguns historiadores relatam que a ressurreição de Jesus se deu na lua cheia da primavera (no nosso caso, hemisfério sul, no outuno).

A Páscoa, como festa cristã comemorativa da Ressurreição de Jesus Cristo, foi instituída pela Igreja Católica somente no ano 30 d.C. e, originalmente, coincidia com a Páscoa (Pessah) dos hebreus.

Já, o Carnaval tem sua origem ligada à Páscoa Cristã. Às vésperas da Quaresma, prestes a passar 40 dias sem comer carne, os povos antigos instituíram uma festa para fartarem-se o quanto pudessem durante 3 dias com comidas, bebidas e, é claro, de carne.

A palavra “carnaval” provavelmente tem origem na expressão latina “Carne Vale”, que significa que “se pode comer carne”. O Carnaval (originalmente) começa no domingo, a exatos 49 dias antes do Domingo de Páscoa, termina na Terça-Feira Gorda, à véspera da Quarta-Feira de Cinzas, quando começa a Quaresma.

A Páscoa no calendário

Primeiramente a Páscoa Cristã, coincidia com a Páscoa Judaica. Mas com a instituição do calendário Juliano começaram a ocorrer algumas diferenças, uma vez que o calendário cristão é diferente do calendário judaico. O calendário cristão é solar (baseado na movimentação da Terra em volta do Sol). O calendário judaico é lunissolar: os meses são baseados nos ciclos da lua, mas as estações do ano no movimento solar, nele o ano pode ter 12 ou 13 meses, dependendo do ciclo.

Como a Páscoa Judaica passou a não coincidir com a Páscoa Cristã, a igreja,  para obter consistência na data da Páscoa decidiu, no Concílio de Nicea em 325 d.C,  definir a data relacionada a uma Lua imaginária, conhecida como a "Lua eclesiástica", uma série de projeções da posição da lua feita pelos estudiosos da época.

Com isso, surge uma variabilidade decorrente da precisão da lua cheia eclesiástica. A situação melhorou com a entrada do calendário gregoriano, mas a coincidência entre a lua teórica e a real ainda não é perfeita. Por tudo isso, é que a data da Páscoa pode variar entre 22 de março e 25 de abril, e a do carnaval caminha junto com ela, fixada sempre sete domingos antes.

O dia da Páscoa cristã, que marca a ressurreição de Cristo, de acordo com o  decreto do Papa Gregório XIII instituído 1582, (seguindo o concílio de Nicéia), é o primeiro domingo depois da Lua Cheia que ocorre no dia ou depois de 21 março ou 22 de março, época em que ocorre o equinócio de Primavera (ou de outono no hemisfério sul) e consequentemente a mudança da estação (equinócio é o ponto da órbita da terra em que se registra igual duração do dia e da noite).

Esse fenômeno ocorre no dia 21 de março e no dia 23 de setembro. Lembrando que, a data da Lua Cheia não é a real, mas a definida nas Tabelas Eclesiásticas, que, sem levar totalmente em conta o movimento complexo da Lua, pode ser calculada e está próxima da lua real.

Com relação a Páscoa Judaica (Pessah), ela ocorre 163 dias antes do ano novo judaico, na primeira lua cheia da primavera do hemisfério norte. No calendário judaico cada mês (que podem ser de 29 ou 30 dias) se inicia com a lua nova. Comparado com o calendário gregoriano (solar), ocorre a cada ano uma diferença de aproximadamente 11 dias. Para compensar essa diferença a cada ciclo de 19 anos acrescenta-se um mês inteiro (Adar II) em sete destes anos. Essa adaptação acontece, também, para que a Páscoa judaica sempre aconteça na Primavera (hemisfério norte), já que as estações do ano obedecem ao ciclo solar. Os anos que possuem treze meses, no calendário judaico, são chamados de Embolísticos. Pelo calendário judaico estamos no ano de 5.774, da criação do mundo e o ano novo se dará em setembro/outubro.  Complicado isso, né?

Normalmente a Páscoa judaica é próxima da Páscoa Cristã. Este ano a Páscoa cristã será no dia 20 de abril e a Páscoa Judaica, dia 15 para 16 de abril.

Interessante é que, há mais de 1600 anos, os sábios do Talmude (coletânea de livros sagrados que contem as leis judaicas), que não contavam com o auxílio de computadores, calculadoras ou outros aparelhos sofisticados, deixaram por escrito o cálculo das datas do calendário judaico até o ano 6000 da Criação do mundo, que corresponde a 30 de setembro de 2.239.

Festas móveis do calendário Cristão

Para calcular a data da Páscoa para qualquer ano no calendário Gregoriano (o calendário civil), usa-se uma fórmula matemática bastante complicada.  Essa fórmula é do astrônomo francês Jean Baptiste Joseph Delambre (1749-1822). Um dado importante é que a fórmula calcula a data da Páscoa a partir de 1583, ano em que foi instituído o calendário gregoriano.

Fixado, assim, a festa da Páscoa para determinado ano, todas as outras festas também se movem desde a septuagésima (65 dias antes da páscoa) até o Corpus Christi. A Quarta-Feira de Cinzas ocorre 46 dias antes da Páscoa e, portanto, a Terça-Feira de carnaval ocorre 47 dias antes da Páscoa.  Vamos ver o calendário das principais festas até o ano de 2020:

Ano
Cinzas
Paixão
Páscoa
Ascenção
Pentecostes
Corpus Christi
2014
05/03
18/04
20/04
01/06
08/06
19/06
2015
18/02
03/04
05/04
17/05
24/05
04/06
2016
10/02
25/03
27/03
08/05
15/05
26/05
2017
01/03
14/04
16/04
28/05
04/06
15/06
2018
14/02
30/03
01/04
13/05
20/05
31/05
2019
06/03
19/04
21/04
02/06
09/06
20/06
2020
26/02
10/04
12/04
24/05
31/05
11/06

Todos esses cálculos e projeções parecem confusos, mas vale lembrar que a Festa da Páscoa além de ser uma tradição milenar, é a festa da Ressurreição, da passagem da morte para a vida, da escravidão para liberdade e é interessante que todos os povos a comemoram juntos (ou o mais próximo possível).

Antecipadamente eu desejo: Uma feliz Páscoa a Todos!

Angela Rocha
angprr@gmail.com

SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO