segunda-feira, 19 de agosto de 2019

SEMEAR, PLANTAR: CATEQUIZAR!



Mateus 13,1-9.

Um dia um jovem conquistou uma cidade por sua mansidão, coragem e caráter forte. Ele não veio ao mundo para agradar pessoas. Ele foi enviado e mostrou-se diferente de qualquer ser humano antes visto. Suas atitudes e palavras eram coerentes a todo tempo. Sendo amável e incentivador no olhar, palavras e aconselhamentos. Esse jovem tinha preferência em falar de seus propósitos em meio à natureza que o cercava e, nunca precisou de microfone, transmissões online ou qualquer tipo de mídia. Ele era naturalmente um bom pregador em meio a poucos recursos da técnica da oratória.

E desta forma, estava ele andando tranquilamente à beira de um lago. Horas olhava para a terra, horas para a água. Via a imensidão. Via o céu azul e o sol forte escaldante.  Analisava o solo e os mistérios que a criação daquele lugar disponha. Pensava calado, observava tudo, e quando percebeu uma multidão de pessoas o seguia, e surgiam mais e mais pessoas conforme ele caminhava. Dentre a multidão, estavam também alguns amigos queridos por ele. Estes anunciavam que o jovem pregador logo ia ensinar. Os que ali estavam, tinham sede de agua doce e de ouvir as palavras saírem da boca daquele jovem sábio.

Percebendo que já estava quase cercado, parou e adentrou em uma barca que ali encontrou, e sentou-se. Silenciou-se, olhando para o lago instigando as pessoas presentes a fazerem o mesmo.

"O que será que ele tanto olha para as águas?" Alguns se perguntavam. Outros invejavam sua forma de agir. E havia aqueles que sentiam paz em estar ali e tinham "sede" de ouvi-lo. Viram nele, florir a esperança. O jovem tocava a terra, pegava um punhado e deixava-a escoar entre os dedos. Cavou um pequeno buraco com o dedo, tirou do bolso uma semente e ali enterrou.

Então, depois de um longo tempo em silencio, ele começou a observar o rosto de cada um que ali estava. Sorria discretamente e transmitindo amor com os olhos. Pedia que os pequeninos se aproximassem mais. Acariciava a cabeça ou o ombro de um ou outro. E, em voz alta e forte iniciou a sua história:

Um Semeador que se preze, tem que sair. Não há como plantar estando no conforto de sua casa. Não dá para semear no mesmo lugar, é necessário um passo de cada vez. A plantação inicia dentro de casa, com o planejamento e estudo da semente. Mas, a ação se concretiza no "SAIR". Sair e lançar. Essa é a função do semeador! O semeador deve preocupar-se com a qualidade da semente, sair e lançar. Há diversos terrenos por aí.

Hoje, por exemplo, estamos diante desse lago. Neste momento estou lançando sementes aqui.  Imagino que muitos de vocês estejam pensando que, semear aqui seja tolice, pois determinadas sementes aqui não terão vida. No entanto, é possível ver ao longe, flores e determinados tipos de vegetações florindo nesta imensidão. A sabedoria de Deus fecundou sementes para que aqui tivessem vida, e vida em abundância. Aqui essas sementes têm sua função e fazem parte do ecossistema. Algumas inclusive, no fundo deste lago. Outras ainda no fundo do mar, na imensidão da água salgada, que aos nossos olhos humanos, seria impossível.

O semeador é contratado para semear. Outra pessoa virá para colher o que o semeador plantar. Assim sendo, aconselho o semeador a amar sua tarefa e faze-la bem-feita. Sair e ir lançando sementes de amor, de paz, de perdão, de compaixão, de misericórdia, de amizade, de abraço, de afetos, de sorrisos, FÉ e tantas outras sementes boas, em todos os terrenos que avistar.

Não importa se o terreno é composto de areia, pedra, espinhos ou de terra boa. A semente deve ser jogada aqui e agora. O semeador não se preocupa com a colheita, confiando que seu contratante saberá fazer isso com maestria. Aquele que semeia é apenas um servo, que não pode cansar de lançar as sementes.

Então, hoje eu vos digo: sejam semeadores da semente fecunda! Joguem sementes por meio da palavra, de gestos caridosos, de bondade, de afetos, do amor! Essas sementes foram altamente preparadas, cuidadas, para serem fecundas em qualquer tipo de solo. Só não crescerá, se o dono do solo não permitir. E mesmo que não permita, quando o supremo maior desejar, ele age! Ide pelo mundo, semeie o evangelho a toda criatura.

O jovem encontra no meio da multidão duas mulheres que estavam paralisadas, pensando em tudo o que acabaram de ouvir.  Ele virou-se para elas, olhou-as amavelmente e decifrou seus pensamentos, completando:

Queridas amigas semeiem na sua comunidade com todo o amor que existir dentro de vocês. Tenham coragem para enfrentar as dificuldades e superar seus medos. A semente é a Palavra de Deus. Lancem-nas sem medo para todos os solos envidados a você. Algumas pedras no caminho vão surgir, então recomendo que se abaixem, tirem-nas do caminho e prossigam. Seus ouvidores, nem sempre lhe escutarão. Mas, a semente que vocês plantarão será fecunda e um dia dará frutos para aquele que colhe no tempo certo.

Alguns saíram sem entender a mensagem do jovem pregador, diziam que ele falava por códigos e não era compreensivo. Outros saíram encantados, foram para casa, mas, acharam que não teriam tempo para "semear". Outros ainda, no caminho mesmo, já entraram em discussão e decidirão que a história era uma loucura. No entanto, aquelas duas mulheres que foram instigadas pelo jovem com amor sem igual, foram tocadas profundamente. Foram para casa, tomaram posse da Palavra e saíram a semear como nunca antes tinham semeado...

Queridas e queridos catequistas, vamos semear?

Você dispõe neste momento de muitos recursos tecnológicos, e mesmo que não disponha, Jesus ensinou que é possível, pois o que muda tudo é a quantidade de amor que você deposita na missão. Leia a Palavra, dedique-se a conhecê-la e medita-la e SAIA do lugar! Um passo de cada vez, devagar, jogando pequenas as sementes, que foram preparadas com o mais puro ingrediente: o AMOR. Você planta e Deus colhe!


Catequista: Sandra Fretta Gomes Malagi
Paróquia Sant’Ana- Laranjeiras do Sul-PR


Nenhum comentário: