quinta-feira, 26 de dezembro de 2019

CELEBRAÇÃO - ESPIRITUALIDADE



Já que falamos hoje aqui de "Espiritualidade", de desânimo e desaponto também, coloco aqui uma sugestão de celebração para fazermos com o nosso grupo de catequistas:

ESPIRITUALIDADE do CATEQUISTA

Reunir o grupo e convidar alguém para dirigir...

1-Espiritualidade é a capacidade que temos de viver guiados e animados pelo Espírito de Deus, na intimidade com o Seu Projeto. É um ardor, uma energia de Vida, um sopro que nos motiva e impulsiona em direção a Deus. Ele se revela e nos unifica.

Vamos SOPRAR BOLAS DE SABÃO? Perceberam que quanto mais sopramos mais as bolas se unificam? Mais ficam bonitas e voam pelo ar? É o sopro do “espírito” que nos faz voar, subir ao céu...

Depois da brincadeira, vamos dizer todos juntos contemplando e repetindo a frase do salmo 86,11 : “Senhor, unifica o meu coração!”

2- Uma vida de espiritualidade, cheia de fé, ajuda a realizar melhor a missão da catequese. Temos que perseverar na oração e viver a nossa espiritualidade que é baseada nos seguintes ponto:

Na Trindade - O catequista vive em comunidade assim como o nosso Deus é comunidade.
Temos que experimentar o Deus que nos cria e ama: PAI;
que nos salva e caminha conosco: o FILHO JESUS;
e que nos santifica: o Espírito Santo.
Façamos nossa dedicação à Trindade com o sinal da cruz (todos: em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, Amém!)

A Espiritualidade do catequista é BÍBLICA: Somos porta-voz da Boa Notícia, vamos recebê-la cantando: (Entrada da Bíblia com um canto).
A Espiritualidade do catequista é eclesial, litúrgica: A Igreja se reúne para celebrar e testemunhar o mistério de Cristo, vivo e ressuscitado. Por isso estamos aqui reunidos.

A Espiritualidade do catequista é Eucarística: A Eucaristia como ato central da sua vida, o sacramento da caridade que nos trás a salvação! (Cantar uma frase eucarística, um mantra). Fazer uma entrada com uma bandeja de pão e vinho (suco).

A Espiritualidade do catequista é mariana: Realiza na humildade o serviço, acolhendo a Palavra como nossa mãe Maria no seu Sim a Deus. Digamos todos agora o nosso sim levantando as mãos ao céu:

“Eis aqui a serva do Senhor! Faça-se em mim segundo a tua palavra”.

(No ambiente pode ser colocada uma imagem de Maria)


A espiritualidade do catequista é vivencial e não abstrata: A mensagem que transmite vem acompanhada sempre do próprio testemunho, comunicando amor, coerência de vida, oração e ação. Vamos nos dar o cumprimento da paz, nosso calor humano aos que estão ao nosso lado com um caloroso abraço.

A Espiritualidade do catequista é LIBERTADORA: revela a Boa Nova, a dignidade de cada filho de Deus. Trás alegria e Esperança, ânimo para perseverar na caminhada!

Tendo uma Espiritualidade baseada em todos esses traços, (dirigente aponta pra todos os símbolos) o catequista torna-se a LUZ e SAL na construção de uma nova sociedade.

(Entra a vela e o sal)
CANTO:Ó luz do Senhor que vem sobre a Terra, inunda meu ser, permanece em nós...”

DEUS nos convida a sermos a LUZ de nossa comunidade, de nossos catequizandos, a refletirmos a LUZ de Cristo. 

CANTO:Ó luz do Senhor...”


(Após o mantra, alguém vem e sopra apagando a vela).

Assim como um sopro de ar enche um corpo de vida, uma vela também se apaga com um pequeno sopro. A vida cristã, a nossa fé pode apagar-se diante das dificuldades de nossa missão. O que queremos pedir agora a Jesus é que a sua luz não se apague em nós. Que nosso “sopro” seja sempre de vida, para “dentro” e nunca um suspiro de desânimo, de cansaço e desalento.
Vamos colocar em voz alta, com uma palavra apenas o que precisamos: (ex: coragem, perseverança, etc... deixar falar...) Novamente, levantemos as mãos ao alto pedindo, todos juntos agora: “Ouvi-nos Senhor!”.

JESUS nos ensina a ouvir primeiro o que Deus quer de nós, vamos então em posição de alerta, de atenção(em pé) ouvir a Sua Palavra. (leitura de Mt 5,13-16 )
Após a leitura, um pouquinho de silêncio... Começa um canto e entrega pequenas lembranças: um saquinho de sal e uma vela decorada.
Convidar a todos para confraternizarem-se e partilhar do pão e do suco.

Um abraço e boa celebração

DICA: nunca façam um encontro assim, que pretende ser "espiritual" junto com uma reunião para "passar recado" ou uma formação com conteúdos mais complexos. A gente pode se reunir só para ser "espiritual", por que não?



Ângela Rocha
Administradora do Catequistas em formação

Um comentário:

JU disse...

Muito boa para fazer em um retorno de ano catequético