quarta-feira, 23 de setembro de 2015

DIA DE CATEQUESE: Encontro e Memória...

Estávamos todos lá... 

Eu e vinte e uma cabecinhas em volta da pia batismal na Igreja. Quarenta e dois olhinhos e mãozinhas segurando verdadeiras preciosidades: as roupinhas, sapatinhos, toquinhas, velas, lembrancinhas e mantas que usaram no dia do batismo. Aqueles tesouros foram guardados por dez, onze anos por mães zelosas. E agora estavam ali novamente na igreja num dia, por que não? Muito especial também.

Círio aceso, água benta na pia, óleo e sal. Tudo pronto para fazermos memória do dia mais importante de nossa vida como cristãos: Nosso Batismo!

Naquele dia já distante, pais e mães, que transmitiram a vida às crianças e as receberam como dons de Deus, como verdadeiros presentes, foram perguntados: “Que nome escolheram para eles?”, e eles responderam o nome de cada um. E hoje cada um, novamente, repetiu o seu nome: Ângela, Laura, Flávia, Larissa, Guilherme, Gabriel, Letícia, Eliza, Evellyn, Maria da Graça, Luiz Henrique, Vítor, Gabriel, Leonardo, Larissa, Lucas, Gustavo, João Felipe, Marluza, Francisco, Gabriela e Mayara. E lembraram também que os pais pediram à Igreja o sacramento do batismo e prometeram ajudá-las a crescer na fé, observar os mandamentos e viver em comunidade como seguidores de Jesus. Padrinhos e madrinhas, prometeram ajudar os pais nesta missão e prometeram ser uma comunidade de fé e amor para eles.

Lembramos também da enorme responsabilidade que o Batismo nos deu: a propagação da nossa fé. Como batizados temos o dever de levar a nossa fé a todas as criaturas e jamais nos envergonhar ou renegar a nossa Igreja. Pelo batismo fomos chamados a ser sacerdotes, profetas e reis (pastores)! Sacerdotes porque “ligamos” as coisas do céu às coisas da terra; Profetas porque anunciamos o reino e denunciamos as injustiças; Reis que tem a responsabilidade de zelar pelos outros como os pastores com suas ovelhas,

E com o sinal da cruz foram marcadas. Escutaram a palavra e relembraram a instituição do Batismo feito por Cristo: “Em verdade Eu vos digo se alguém não nasce da água e do Espírito não pode entrar no Reino de Deus”. Naquele tempo lá longe, seu peito foi ungido com óleo e guardado pela força de cristo, como uma couraça. Com a água abençoada, os pais fizeram a promessa de renunciar ao mal e permanecer e crer na Igreja de Cristo. Derramada a água sobre nossas cabeças fomos batizados então, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Lembramos também que as roupas do batismo simbolizam que somos revestidos de Cristo, novas criaturas, livres da escravidão do pecado e filhos de Deus. Iluminados pela luz do círio, como batizados, podemos ser a luz do mundo. E assim, com nossos padrinhos segurando a vela recebemos a luz de Cristo. A nós também foi entregue o sal, para que fossemos o sal da terra, a fertilidade do mundo. O sacerdote no Èfeta tocou nossa boca e nossos ouvidos e disse: “Ó Senhor Jesus, que fez os surdos ouvirem e os mudos falarem, lhes conceda que possa logo ouvir sua Palavra e professar a fé para louvor e glória de Deus Pai. Amém!”.

Oramos então pelos pais, pelas crianças, pelos padrinhos e por toda nossa comunidade. E nos despedimos com a Oração do Pai Nosso, uma das riquezas nos deixada por Cristo.


Nem posso dizer como foi importante o encontro de hoje. Ao relembramos o nosso Batismo, segurando em nossas mãos, símbolos daquele que foi o dia em que fomos “apresentados” a Deus, sentimos novamente toda a emoção que nossos pais tiveram.

No final quando perguntei: “E quando vocês tiverem filhos? Vão querer também fazer essa cerimônia?” Recebi um “Sim!” bem alto e convicto.

Ângela Rocha
Catequista

(Encontro sobre o Sacramento do Batismo)inep enem 2016

SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO