sexta-feira, 1 de novembro de 2019

COMO SER UMA PESSOA SANTA, HOJE?


No dia 01 de novembro os católicos celebram a festa de todos os santos. Mas, o que é ser santo? É possível eu e você sermos pessoas santas, hoje?

Em se tratando da festa de todos os santos tomo a liberdade de dirigir a você, a seguinte pergunta: “cada dia mais santo (a)?” Como seria para você responder-me dizendo: “mais que ontem e menos que amanhã!”?

Ao dizer que está mais santo que ontem e menos que amanhã você estará se reportando a um processo. De fato, a santidade é um processo, uma caminhada de busca da vontade de Deus. Ao afirmar que a santidade é um processo estamos dizendo que a santidade acontece a cada dia, a cada instante, em cada ato, de forma lenta e gradual. A cada dia o cristão é chamado a ser mais santo, isto é, a fazer a vontade de Deus através das pequenas e grandes coisas, dos pequenos e grandes gestos, desejando e esforçando-se para amar a todos que se encontram à sua volta.

É bom lembrar que a santidade é projeto de Deus para todos. São Paulo, na carta aos Efésios diz que antes da criação do mundo, Deus Pai nos escolheu em Cristo para sermos santos e irrepreensíveis (cf. Ef 1,3-4). São Pedro, em sua primeira carta nos exorta dizendo “a exemplo da santidade daquele que vos chamou, sede também vós santos em todas as vossas ações [...]” (1Pd 1,15).

O Concílio Vaticano II reforça a ideia de que todos são chamados à santidade: “[...] todos os cristãos de qualquer condição ou estado são chamados pelo Senhor, cada um por seu caminho, à perfeição da santidade pela qual é perfeito o próprio Pai” (LG 31), o texto conciliar diz também que todos são chamados a viver a santidade como plenitude da vida cristã e perfeição da caridade (cf. LG 101,102). Segundo o Concílio viver a santidade à perfeição da caridade é promover “na sociedade terrestre um modo mais humano de viver” (LG 102). Portanto, eu e você também somos chamados a sermos pessoas santas e a promover a construção de uma sociedade mais justa, humana e humanizadora.

O mundo atual precisa urgentemente de santos. Segundo o Papa João Paulo II precisamos de Santos que gostem de cinema, de teatro, de música, de dança, de esporte. Precisamos de Santos sociáveis, abertos, normais, amigos, alegres, companheiros. No dizer do papa "precisamos de Santos que estejam no mundo; e saibam saborear as coisas puras e boas do mundo, mas que não sejam mundanos". Você topa essa parada?

Em 20 de novembro de 2014, na audiência geral, o Papa Francisco afirmou que “para ser santo, não é preciso ser bispo, sacerdote ou religioso: não, todos somos chamados a ser santos! Muitas vezes somos tentados a pensar que a santidade só está reservada àqueles que têm a possibilidade de se desapegar dos afazeres normais, para se dedicar exclusivamente à oração. Mas não é assim! Alguns pensam que a santidade é fechar os olhos e fazer cara de santinho! Não, a santidade não é isto! A santidade é algo maior, mais profundo, que Deus nos dá. Aliás, somos chamados a tornar-nos santos precisamente vivendo com amor e oferecendo o testemunho cristão nas ocupações diárias. E cada qual nas condições e situação de vida em que se encontra”.

Na festa de José, no dia 19 de março de 2018, o Papa Francisco lançou a Exortação Apostólica Gaudete et Exsultate, sobre o chamado à santidade no mundo atual. Assim afirma Francisco: “[...) o que quero recordar com esta Exortação é sobretudo a chamada à santidade que o Senhor faz a cada um de nós, a chamada que dirige também a ti [...]” (GE, n. 10). Mais adiante o papa enfatiza que todos somos chamados à santidade, ao dizer que “Para ser santo, não é necessário ser bispo, sacerdote, religiosa ou religioso. [...]
Todos somos chamados a ser santos, vivendo com amor e oferecendo o próprio testemunho nas ocupações de cada dia, onde cada um se encontra” (GE, n. 14).

Quando o ser humano se coloca no processo de busca e de prática da vontade de Deus está trilhando o caminho da felicidade. Santidade e felicidade andam juntas, são amigas inseparáveis. Estou convicto de que a santidade é a condição para uma felicidade plena. Todos podem ter momentos felizes, mas só as pessoas santas são felizes plenamente. Vamos ser mais santos?

Com ternura.

Autor: Denilson Aparecido Rossi.
(Teólogo, Filósofo, Professor e Palestrante).

Um comentário:

SANDRA MARIA disse...

Obrigada Denilson pelo belo texto, bem escrito,claro e motivante ... Eu quero ser a cada dia mais santa!