CONHEÇA!

terça-feira, 23 de março de 2021

PARTE IV - ESTUDO DO CATECISCO DA IGREJA CATÓLICA - COMPENDIO

Imagem: Livraria

Não se pode falar do Catecismo da Igreja Católica, sem falar um pouco do "Compêndio do Catecismo da Igreja Católica. Como o nome já diz, é uma "síntese" ou "resumo" do catecismo no formato de perguntas e respostas (dialogal). Vamos conhecer um pouco deste documento.

Catecismo da Igreja Católica - PARTE IV

O COMPÊNDIO DO CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA

O Compêndio é uma versão sintética do conteúdo do Catecismo da Igreja Católica. Em forma de perguntas e respostas, trata-se de uma versão popular, breve e direta da doutrina da Igreja, ou seja, daquilo que ela crê e vive.

O objetivo do Compêndio é proporcionar aos católicos e outras pessoas interessadas uma explicação clara e direta da doutrina da fé católica, sem entrar em discussões ou exposições teológicas”. (Dom Odilo Sherer, CNBB).

O Compêndio do Catecismo da Igreja Católica é um resumo do Catecismo da Igreja Católica (CIgC), sob a forma de perguntas e respostas, publicado pela Igreja católica em 2005, e que contém de forma resumida os principais elementos da doutrina e moral católicas.

Destina-se a apresentar "de maneira concisa, todos os elementos essenciais e fundamentais da fé da Igreja, de forma a constituir uma espécie de vademecum, que permita às pessoas, aos crentes e não crentes, abraçar, numa visão de conjunto, todo o panorama da fé católica" (Bento XVI). A sua publicação deu resposta à necessidade "de um Catecismo resumido, breve, que contivesse todos e somente os elementos essenciais e fundamentais da fé e da moral católica, formulados de uma maneira simples, acessível a todos, clara e sintética". (Bento XVI)

Foi elaborado por uma comissão presidida pelo Cardeal Joseph Ratzinger, então prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, nomeada em Fevereiro de 2003 pelo Papa João Paulo II. Foi o mesmo Joseph Ratzinger, já como Papa Bento XVI, que aprovou e promulgou o Compêndio, através dum motu proprio publicado em 28 de junho de 2005.

A estrutura do compêndio é exatamente a mesma do Catecismo da Igreja Católica, sua fonte. Divide-se em quatro grandes partes:

  •   A profissão da fé (doutrina), a partir do Credo apostólico;
  • A celebração do mistério cristão (liturgia), a partir dos sacramentos;
  •  A vida em Cristo (moral), a partir do Decálogo;
  •  A oração cristã, a partir do Pai Nosso.

Em um apêndice, apresenta ainda algumas orações comuns e fórmulas de Doutrina católica.

São três as características principais do Compêndio: a estrita dependência do Catecismo da Igreja Católica; o gênero dialogal; a utilização das imagens na catequese.

1. Dependência do Catecismo:

 

Como o Catecismo, também o Compêndio se divide em quatro partes, de acordo com as leis fundamentais da vida em Cristo.


A primeira parte, intitulada  “A profissão da fé”, é uma síntese adequada da lex credendi, isto é, da fé professada pela Igreja Católica.

A segunda parte, intitulada “A celebração do mistério cristão”, apresenta os elementos essenciais da lex celebrandi. O anúncio do Evangelho encontra a sua resposta privilegiada na vida sacramental. Nela os fiéis experimentam e testemunham em cada momento da sua existência a eficácia salvífica do mistério pascal, por meio do qual Cristo realizou a obra da nossa redenção.

A terceira parte, intitulada “A vida em Cristo”, chama a atenção para a lex vivendi, isto é, para o empenho que os batizados têm de manifestar nas suas atitudes e nas suas opções éticas de fidelidade à fé professada e celebrada. Os fiéis são chamados pelo Senhor Jesus a agir de acordo com a sua dignidade de filhos de Deus Pai na caridade do Espírito Santo.

A quarta parte, intitulada “A oração cristã”, apresenta uma síntese da lex orandi, isto é, da vida de oração. A exemplo de Jesus, o modelo perfeito do orante, também o cristão é chamado ao diálogo com Deus na oração, de cuja expressão privilegiada é o Pai-nosso, a oração que o próprio Jesus nos ensinou.

 

2. Gênero dialogal:

 

Uma segunda característica do Compêndio e a sua forma dialogada, que retoma um antigo género literário da catequese, constando de pergunta e resposta. Trata-se de repropor um diálogo ideal entre o mestre e o discípulo, mediante uma sequência de interrogações que envolvem o leitor convidando-o prosseguir na descoberta de aspectos novos da verdade da fé. O gênero dialogal concorre também para abreviar notavelmente o texto, reduzindo-o ao essencial. Isto poderia ajudar a assimilação e a eventual memorização do conteúdo.

 

3. Utilização de imagens na catequese:

 

A terceira característica reside nas imagens, que assinalam a organização do Compêndio. Provêm do riquíssimo patrimônio da iconografia cristã. A tradição secular e conciliar diz-nos que também a imagem é pregação evangélica. Os artistas de todos os tempos apresentaram à contemplação e à admiração dos fiéis os fatos salientes do mistério da salvação, no esplendor da cor e na perfeição da beleza. Indício de que, hoje mais do que nunca, na época da imagem, a imagem sagrada pode exprimir muito mais que a palavra, pois é muito mais eficaz o seu dinamismo de comunicação e de transmissão da mensagem evangélica.

 

O Compêndio não é uma obra autônoma, pois não pretende, de modo nenhum, substituir o Catecismo da Igreja Católica: pelo contrário. remete continuamente para ele, quer mediante a indicação, ponto por ponto, dos números a que se refere, quer através da contínua referência à estrutura, ao desenvolvimento e aos seus conteúdos. Além disso o Compêndio pretende despertar um renovado interesse e fervor em relação ao Catecismo, que, com a sua sábia exposição e a sua unção espiritual, permanece sempre o texto de base da catequese eclesial de hoje. 

(Bento XVI, Motum próprio de publicação do Compêndio)

LINK de acesso ao COMPENDIO


FONTES:

BENTO XVI. Motu próprio para a aprovação e publicação do Compêndio do Catecismo da Igreja Católica. 28 jun 2005. Encontrado em http://www.vatican.va/archive/compendium_ccc/documents/archive_2005_compendium-ccc_po.html . Acesso 25 de janeiro 2021.

 

BENTO XVI. Discurso de apresentação do Compêndio do Catecismo da Igreja Católica. 28 de jun 2005. Encontrado em http://www.vatican.va/content/benedict-xvi/pt/speeches/2005/june/documents/hf_ben-xvi_spe_20050628_compendium.html . Acesso 25 de janeiro 2021.


COMENTE, FAÇA SUAS CONSIDERAÇÕES, EXPONHAS SUAS DÚVIDAS!!
Aqui no no grupo do Facebook!



40 comentários:

catequistas em formação disse...

Queridos catequistas, peço que observem bem a "qualidade" dos comentários postados... não basta dizer que "é muito bom", que o Catecismo "precisa ser conhecido", etc. É preciso comentar o CONTEÚDO da publicação, o texto lido, o que despertou em vocês, se sabiam, não sabiam, se será útil ou não, se ficou dúvidas, etc e tal... Isso é que validará a formação de vocês!

Carla Bassoto disse...

O CIgC contém a exposição da nossa fé em suas quatros dimensões: a fé professada, a fé celebrada, a fé vivida e a fé orada. No compêndio as quatro partes são apresentadas em formas de perguntas e respostas, uma versão "enxuta" recordando os primeiros catecismos. Também existe o Youcat, abreviação do Catecismo Jovem da Igreja Católica, que vem em forma de perguntas e respostas destinado aos jovens e recentemente o Youcat para crianças, catecismo católico para pais e filhos. Ambos os catecismos para jovens e crianças são ricos em imagens e desenhos lúdicos e contém os ensinamentos básicos para estes fieis.
Carla Bassoto - Paróquia São Judas e São Dimas - Bauru/SP

Nelita Onilia Pegoraro Schneider disse...

Não conhecia esse documento. Na parte III desta formação diz que o CIgC é destinado principalmente aos responsáveis pela catequese em primeiro lugar aos bispos que são os doutores da fé e pastores da Igreja e depois aos sacerdotes e catequistas. A aprovação do Compêndio do Catecismo da Igreja Católica pelo Papa Bento XVI diz que foi destinado a todos os católicos e outras pessoas interessadas em uma explicação clara e direta sobre a doutrina da fé católica. Isso não seria uma abertura para que nós fiéis católicos pudéssemos entender melhor a doutrina de nossa fé e assim transmitir para nossos filhos e conhecidos através de nosso testemunho? Percebo que a Igreja ainda está conservadora demais em relação de transmitir a doutrina católica para seus fiéis, estamos caminhando para mudar isso, já tem formações para leigos como teologia, cursos bíblicos entre outros, mas ainda estamos engatinhando. Como diz Papa Francisco devemos sais de nossa área de conforto e levar a Palavra de Deus as pessoas. Temos que continuar nos atualizando, fazendo essas formações e não esperar que nosso pároco faça isso, claro é sempre muito bom ter o apoio do padre ele até pode nos mostrar o caminho, mas é nós que temos que percorrer.

ewersson oliveira disse...

Eu também não conhecia esse documento, o quanto tempo perdemos por tentar fazer com que o catequizando se interesse pelo catecismo, acho que devemos ter uma aula de catecismo utilizando esse documento afim de fortalecer a fé dos nosso catequizando. Muito obrigado por compartilhar esse documento.

Clarice disse...

Eu utilizo o Compêndio, acho muito esclarecedor, ajuda muito depois de ler o CIgC ir até o Compêndio e verificar o que consta lá. É mais fácil de memorizar. Muitas perguntas que as pessoas fazem sobre a Igreja estão lá, respondidas. Também gosto de usar imagens na Catequese, principalmente com os menores, primeiro pergunto o que eles vêem, depois explico o que é eles interagem e compreendem melhor.

catequistas em formação disse...

Interessante esta sua observação Clarice. Porque o Compendio é o resumo do Catecismo, dando a você o nº da citação no CIgC para aprofundamento, ou seja, o contrário do que você faz.

catequistas em formação disse...

Carla, bem lembrado. Falarei sobre os Youcats num próximo texto e quais os objetivos deles.

Sabrina Oliveira disse...

A cada nova parte deste aprofundamento, conheço novos livros que nos auxiliam na nossa missão. Cada um com sua particularidade, mas com o mesmo objetivo, nos ajudar a conhecer melhor nossa doutrina.
Sabrina Pedrotti de Oliveira

Rose olipe disse...

Bom dia, gostaria de saber qual o significado da letra G. Visto que CIC ( Catecismo da Igreja Católica),não entendi o G. Aguardo uma resposta. Grata

Anônimo disse...

Eu usei o compêndio no início da minha caminhada como catequista aprendi muito com ele. Hoje utilizo o CIgC por ser mais completo
Edna Aparecida Moreira Christofolletti

Mônica Konzen disse...

Usamos o Youcat app para indicar as criancas e jovens da catequese. É um app intuitivo e atrativo. Mas confesso, assim como outras pessoas, que nao sabia
da existência do Catecismo e do Compêndio.

Anônimo disse...

Eu já ouvi falar do Compêndio em algumas formações aqui na minha cidade, porem , efetivamente nunca o usei, por não te lo.
Pelo que li, ele é mais " facilitado" no sentido de serem perguntas e respostas, sendo mais direto na duvida. Correto?
Lesley Adami - Campinas Sp

Clarice disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Clarice disse...

Obrigada pela observação, vou me atentar nisso. As vezes começo a ler tudo ao mesmo tempo, e faço confusão.

miraci mota queiroz disse...

Documento muito significativo e valioso para nós catequistas. Confesso que não tenho muito aprofundado neste documento. Devido não ter agente só olha algumas partes.

Márcio disse...

Foi através do compendio que comecei a utilizar o Catecismo, no inicio achava mais facil para encontrar sobre determinados assuntos, e a principio a resposta era mais a compreensão, porém me aprofundando, vi que faltava algo naquela resposta, e comecei a ver que no Catecismo a resposta estava mais clara.

Anônimo disse...

Não conhecia e também não sabia da existência do Compêndio, como ele é bem mais simples que o CIgC, acredito que possamos está utilizando em grupos de estudos na Igreja com as diversas Pastorais e Serviços e dessa forma está levando à todos uma explicação clara e direta da doutrina da nossa fé católica, que infelizmente poucos tem esses conhecimentos ou se interessam por eles. Tenho conhecimento do CIgC, utilizei bastante na minha pós graduação em Pedagogia Catequética. Maria Cátia Brito da Costa - Paróquia São Lourenço Vila do V / Porto acre - Acre.

Ju Lima disse...

Em relação ao Compêndio,não tinha conhecimento. Agora vou procurar me integrar dele,pois como sendo um resumo do catecismo é um auxílio que facilita o conhecer ao catecismo,já que tem uma linguagem clara e direta.Mas de qualquer maneira,o catecismo não pode ficar de lado.O compêndio será somente uma base para esclarecer o catecismo em relação à doutrina e a fé...

Unknown disse...

Eu não conheço o compendio, conheço o YOUKAT e confesso que não goste.Achei muito resumido.

Edivane Bertulino disse...

Ângela, hoje fiz a leitura das quatro partes do Estudo realizado até aqui e comentei em cada uma. Não tenho muito o que dizer, só que mais uma vez tudo é esclarecedor para mim. Já havia ouvido falar sobre o compêndio, mas nunca tive acesso (nem procurei).
O gênero dialogal é sem dúvida mais atrativo às pessoas em geral. Nos dias atuais mais ainda. A população está ficando cada vez mais mal acostumada com a "parte fácil" da internet, preferem fazer perguntas para serem respondidas por vídeos. Ex: Resposta Católica do Padre Paulo e do Professor Felipe Aquino. Com isso também acabam caindo em "ciladas" de outros, pois acreditam em quaisquer pessoas que demonstrem um linguajar mais compreensível e fluente. Por isso a leitura dos documentos certos deve ser muito valorizada durante a catequese para os adultos.

Andrea Canassa disse...

Não há dúvidas sobre a importância do CIgC, as vezes que tive dúvida, consultei. Já sabia o que era o Compêndio, imaginei que poderia ser mais fácil entender, mas confesso nunca tive a curiosidade ou mesmo a oportunidade de ao menos folheá-lo. Agora após a leitura, fui ver o compêndio na publicação. Fiquei maravilhada. Achei que, como o próprio texto, bem sucinto. De fato, muito mais fácil de entender, bem objetivo. Acredito até que seria muito mais fácil de um leigo ou catequista tenha interesse em conhecê-lo e aprofundar seus conhecimentos. Atrevo até em dizer que o catequista deveria ter o Compêndio com princípio de estudo e,ter o CIgC, quando já com conhecimento básico, num estudo para um aprofundamento do seu conhecimento. É minha próxima aquisição para a catequese.

Glória Santos disse...

Sim. O Compêndio do Catecismo da Igreja Católica é um resumo do Catecismo da Igreja Católica, sob a forma de perguntas e respostas, portanto em uma forma mais dialogal que prefiro. Tenho os dois, uso mais o Compêndio.

Solange Borges disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
roseliktqz disse...

Sobre a iconografia, a arte como catequese. Muitas pessoas, acreditam que a fu ção das pintutas, dos vitrais, são somente devorativas, quando na verdade servem para comunicar a vida de santos ou do próprio Jesus. Imagem&Mensagem que comunica o conteúdo, principalmente para as muitas pessoas analfabetas, dos séculos passados. Minha avó materna era analfabeta e lia os figuras-ícones das Igrejas e contava as histórias para mim. Uma vetdadeira catequese transmitida pelos icones. Muita gente consideta os ícones imagens feias, de certo, não sabem ler as mensagens neles contidas. Dois exemplo: o ícone da Trindade e do Pai Misericordioso são riquíssimos em conteúdo na mensagem contida nos detalhes. Vale a pena pesquisar e conferir.

Fabiana Vendrusculo disse...

O catequista tem muito material para realizar sua catequese, podendo embasar seus conteúdos e toda a doutrina da nossa igreja utilizando o CIC ou o compêndio e tantos matérias que temos.
Achei didático a forma como foi colocada aqui sobre o Compêndio, visto que utiliza de imagens e de uma linguagem mais direta de forma simplificada.

Jin disse...

O 1* contato que tive com o Catecismo foi atraves desse compendio
Interssante que como aprendizado em forma de curso foi bem legal
É como o YOUCAT (mais voltado a jovens) perguntas e respostas
E exatamente isso de perguntar e responder me facilitou na hora dos encontros de catequese com adolecentes em alguns temas.
Mas o que me fez compreender a nossa doutrina foi a versão completa. Não tem como fugir disso

Unknown disse...

Muito me chamou a atenção o parágrafo que trata do "Uso das imagens na Catequese" pois me era totalmente desconhecida. Embora já tenha usado Catecismo várias vezes, mas nunca me adentrei plenamente nas suas páginas para aprofundar conhecimento. Sempre o tive como fonte de pesquisa para sanar dúvidas e ia somente direto ao assunto. Á media que vou lendo, vou aprofundando conhecimentos. Interessante que me fez voltar ao tempo e recordar uma frase que o pároco da minha cidade natal dizia que às vezes não precisamos de palavras, basta fixar bem o olhar na imagem e nela meditar, trazer para dentro de si a mensagem que ela transmite.

Elano disse...

O que me chama a atenção neste estudo é no gênero dialogal, nos colocando na dinâmica de perguntas e respostas, entre mestre e discípulo. E como o próprio estudo diz: nos ajuda a memorizar o conteúdo. Isso facilita o estudo. Sem contar que o compêndio pretende despertar um interesse em relação ao Catecismo

Samara disse...

Gostei de saber que o compêndio é um resumo do catecismo, de forma mais simples e que utiliza o gênero dialogal, acredito ser mais fácil entendimento. Já irei adquirir.

Vanessa Angelim disse...

É interessante o compêndio do catecismo, pois fica mais fácil as crianças e jovens como também os leigos assimilarem melhor os ensinamentos da igreja. A igreja católica tem trabalhado bastante para trazer conteúdos atuais que envolva de maneira geral a sociedade, nós como catequistas sabemos a dificuldade que é para transmitir esses ensinamentos e esse documento em forma dialogal tem ajudado bastante como também os youcat

Unknown disse...

O compendio do CIgC é outra novidade pra mim, ao ler o texto me chamou a atenção o numero 3 a respeito das imagens,tínhamos um padre aqui na paroquia que estava sempre nos proporcionando ensinos e me lembro que ele comentou sobre estas imagens por que uns tem facilidade pra aprender co a audição e outros com a visão.
Gleides Pacheco Paroquia Nossa Senhora da Graças Governador Valadares MG

Anônimo disse...

Apesar de eu nao ser muito culta pra comentários eu tenho aprendido e conhecido um pouco mais desses documentos. Confesso que sou catequista a muitos anos e só de 4 anos pra cá eu tenho tido um maior contato com o CIgC, por intermedio do material do IVC que temos. Pous ele sempre sugere um aprofundamento do tema nos parágrafos do CIgC. O compêndio eu nunca vi..e tantos outros documentos que sao importantes conhecer.
segundo a explicacao da Angela o compêndio nao deve ser usado pelo catequista, mais é um documento importante de se ter e conhecer.

Anônimo disse...

Apesar de eu nao ser muito culta pra comentários eu tenho aprendido e conhecido um pouco mais desses documentos. Confesso que sou catequista a muitos anos e só de 4 anos pra cá eu tenho tido um maior contato com o CIgC, por intermedio do material do IVC que temos. Pous ele sempre sugere um aprofundamento do tema nos parágrafos do CIgC. O compêndio eu nunca vi..e tantos outros documentos que sao importantes conhecer.
segundo a explicacao da Angela o compêndio nao deve ser usado pelo catequista, mais é um documento importante de se ter e conhecer.
Elaine Silva
Paróquia
Guarulhos SP

Responder

Suzana Lossurdo disse...

Rose Olipe, o G é acompanhado I, C = Catecismo, Ig = Igreja, C = Católica.
Esta na parte III, item 2.

Suzana Lossurdo disse...

Eu não conhecia o Compendio e pelos comentários, percebi que é de grande ajuda. Pelo link na publicação, estou conhecendo-o.
Suzana Lossurdo, paróquia de São José, Barra Bonita/SP.

Eliane Cristina disse...

Sempre utilizei o Catecismo e youcat, o compêndio para mim erra desconhecido até então

Eclair Santina disse...

Bom dia!!? Chegando atrasada para está partilha.
Como fala o documento é uma síntese do CIgC.
A maioria das pessoas não conhece, pois não é incentivado a buscar esses documentos para ler, entre tantos outros. Mas é muito bom, tem toda sua peculiaridade para não deixar o catequista sem as informações necessárias.
Vejo que o foco hoje está muito no que e como fazer IVC. E se esqueceu totalmente da procura de documentos que nos auxila a tudo isso. Está formação está sendo muito boa. Nós lembra que podemos buscar o conhecimento em documentos suscintos que nos remete em como faço agora? O que vou responder se me perguntarem?? Vale a pena buscar os documentos da igreja. Nos mantém a mente aberta.

Eclair Santina disse...

Bom dia!!? Chegando atrasada para está partilha.
Como fala o documento é uma síntese do CIgC.
A maioria das pessoas não conhece, pois não é incentivado a buscar esses documentos para ler, entre tantos outros. Mas é muito bom, tem toda sua peculiaridade para não deixar o catequista sem as informações necessárias.
Vejo que o foco hoje está muito no que e como fazer IVC. E se esqueceu totalmente da procura de documentos que nos auxila a tudo isso. Está formação está sendo muito boa. Nós lembra que podemos buscar o conhecimento em documentos suscintos que nos remete em como faço agora? O que vou responder se me perguntarem?? Vale a pena buscar os documentos da igreja. Nos mantém a mente aberta.

Jaque disse...

Jaqueline - Paróquia São João Bosco - S A Monte - MG - Muito interessante! Não conhecia o Compêndio, e a partir da leitura deste texto pude ver que é um resumo do CIgC, porém de forma alguma pretende substituí-lo, e sim, de ser uma versão mais clara, mais popular da doutrina da Igreja Católica através de perguntas e respostas. Acredito que através da leitura do Compêndio, nos tornamos mais interessados no CIgC.

Cileine Silva disse...

Sou Cileine Silva, Belo Horizonte-MG, catequista na Paroquia N.Sra. Fátima e São Miguel.
Antes desta oportunidade de estar apreendendo neste curso, eu conhecia CIgC como um dos documentos da Igreja, em algumas vezes, utilizei para consultar temas específicos, por exemplo o Credo.
Na verdade é muito mais que um manual de consultas, é de fundamental importância para o Catequista.
Mas de início, tenho uma dúvida, o Diretorio Nacional da Catequese,que é um outro documento, o seu conteudo está fundamentado no CIgC ?
Agradecida,