sexta-feira, 15 de abril de 2016

DINÂMICA DA "FONTE DOS DESEJOS" - CRISMA

Esta dinâmica é indicada para a catequese de Crisma. Para turmas que estão iniciando o último ano de preparação ao sacramento.

(Aqui, na Arquidiocese de Londrina, salvo exceções, o Ano Catequético, começa no Tempo Pascal, mais ou menos na 3ª ou 4ª Semana da Páscoa).

Você vai precisar de:

- Uma cesta decorada como “Fonte dos desejos” (imagem ilustrativa);


(O papel onde está escrito “Fonte dos desejos”, deve estar dobrado em dois de modo a ocultar que, por dentro, está escrito a palavra “DEUS”.

- Papelzinho recortado colorido para escrever os desejos (quadrado de 7X5 cm), que serão jogados na “fonte” (uma palavra de otimismo por exemplo);

- Papel recortado colorido (outra cor) para escrever o desejo para si mesmo;
- Envelope para guardar os desejos;
- Moedas e chocolate.

DESENVOLVIMENTO:

- Pedir para cada um que escreva num papel o que deseja para si mesmo, neste último ano de catequese, dobre o papel e guarde por enquanto*.
- Solicitar que cada um jogue na “Fonte dos Desejos” uma moeda (de chocolate) e escolha um desejo para o outro, que está no cartãozinho, dobre e jogue também na fonte;


- Depois que cada um jogou o desejo na “Fonte”, em silêncio, fechar os olhos e fazer uma oração para que o seus desejos cheguem até o coração do outro;
- Depois, cada um pega uma moeda e oferece ao colega ao lado, junto com um desejo dos desejos dobradinhos;
- Agora pegue o papel da “Fonte dos desejos”, desdobre, e mostre para eles quem é que vai nos ajudar a realizar nossos desejos... É DEUS! E Ele vai nos ajudar se, diariamente, orarmos para que o que desejamos, aconteça.
- Fechar com a oração do Pai-Nosso.

* Os desejos escritos para si mesmos, ficam lacrados em um envelope que será aberto no final do ano catequético, perto da crisma.



No final da dinâmica entregar esse texto:

DESEJOS

Desejo primeiro que você ame e que amando, também seja amado, e que se não o for, seja breve em esquecer e esquecendo, não guarde mágoa.

Desejo, que não nunca esteja só, mas que quando estiver, saiba estar sem se desesperar. Desejo também que tenha amigos e que, se alguns provarem maus e inconsequentes, os perdoe; e pense que sempre haverá em quem confiar; e que confiando, não duvide nunca de sua confiança.

E porque a vida é assim, desejo ainda que você tenha inimigos, nem muitos, nem poucos, mas na medida exata para que, algumas vezes, você se interpele a respeito de suas próprias certezas. E que entre eles haja pelo menos um que seja justo, para que você não se sinta demasiadamente certo.

Desejo ainda que você seja tolerante, não com os que erram pouco, porque isso é fácil, mas com os que erram muito e irremediavelmente, e que essa tolerância, não se transforme em aplauso nem em permissividade, para que assim fazendo um bom uso dela, você dê também um exemplo para os outros.

Desejo que você, sendo jovem, não amadureça depressa demais, porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor, e é preciso deixar que essas duas coisas, aconteçam dentro de nós.

Desejo que você seja triste, mas não o ano todo, nem em um mês e muito menos numa semana, mas, apenas por um dia. Mas que nesse dia de tristeza, você descubra que o riso diário é bom, o riso habitual é insosso e o riso constante é insano.

Desejo que você descubra, com o máximo de urgência, acima e a despeito de tudo, talvez agora mesmo, mas se for impossível, amanhã de manhã, que existem oprimidos, injustiçados e infelizes, e que estão à sua volta, e que você pode fazer alguma coisa a respeito. Desejo, depois, que você seja útil, mas não insubstituivelmente útil, mas razoavelmente útil. E que nos maus momentos, quando não restar mais nada, essa utilidade seja suficiente para manter você de pé.

Desejo ainda que você afague um gato, que alimento um cão e ouça pelo menos um pássaro em seu canto matinal; porque assim você se sentirá bem por nada. Desejo também que você plante uma semente, por mais ridícula que seja, e acompanhe o seu crescimento dia-a-dia, para que você saiba de quantas muitas vidas, é feita uma árvore.

Desejo também, que você tenha dinheiro, porque é preciso ser prático. E que, pelo menos uma vez por ano, você ponha uma porção dele na sua frente e diga: "Isso é meu". Só para que fique bem claro quem é dono de quem.

Desejo que você dê valor aos seus pais, que estão sempre a sua volta, seja você bom ou mau, a envolvê-lo num manto de carinho e proteção; que aprenda com eles, porque um dia, caberá a você este papel.

Desejo que viva o hoje, mas, lembre que sempre há o amanhã, o depois, o dia seguinte, e mais outro... E o que você faz hoje vai refletir em todos estes outros amanhãs.

Desejo, por fim, que você cresça, em tamanho, sabedoria e graça; e que se algum dia duvidar, duvide só por segundos, que tem Alguém Maior e Divino, que olha por você, em momentos de dor (principalmente!), incerteza, dúvida, tristeza e alegria.

E desejo, de agora até o próximo ano acabar, que mesmo exausto, esteja sorridente, porque tem mais um ano para recomeçar. 

E se isso só acontecer, não tenho mais nada para desejar.

Sua Catequista de Crisma

* O texto pode ser adaptado, deixado mais curto, acrescentado, a critério do catequista...


Ângela Rocha
Paróquia Sagrados Corações - Londrina Pr.

*Dinâmica pedagógica adaptada à catequese. Texto também adaptado.

SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO