sexta-feira, 18 de agosto de 2017

SEMANA DA FAMÍLIA - 6º DIA


SEMANA NACIONAL DA FAMÍLIA 13 A 19 DE AGOSTO DE 2017

SEXTA-FEIRA – 18 DE AGOSTO:

TEMA: SERVIÇO CRISTÃO AO MUNDO

Mais uma vez a Semana da Família nos pede para refletir nosso papel como cristãos no mundo.

DEUS NOS FALA: Mateus, 13, 33.

“E contou-lhes mais uma parábola: “O Reino dos céus é como o fermento que uma mulher pegou e escondeu em três porções de farinha, até que tudo ficasse fermentado”. (Mt.  13, 33).

Estre trecho nos lembra que Jesus também diz: “Vós sois o sal da terra... Vós sois a luz do mundo”, e ainda: “Eu sou a Videira verdadeira (...) e vós, os ramos” (Jo 15, 1-8).

A vitalidade dos ramos depende de sua ligação á videira, que é Jesus Cristo: “quem permanece em mim e eu nele, dá muito fruto, porque sem mim não podeis fazer nada” (Jo 15, 5).

Daí a necessidade de pertença a uma comunidade de fé, a qual se alimenta da Palavra de Deus, dos sacramentos e da vida comunitária. O discípulo missionário de Jesus Cristo, necessariamente, vive sua fé em comunidade, em íntima união ou comunhão com as pessoas, que vivem a comunhão entre si e com Deus Trindade.

Sem vida em comunidade não há como viver efetivamente a proposta cristã. Comunidade implica convívio, vínculos profundos, afetividade, interesses comuns, estabilidade e solidariedade nos sonhos, nas alegrais e nas dores. A comunidade eclesial acolhe, forma e transforma, envia em missão, restaura, celebra, adverte e sustenta.

Ao mesmo tempo em que hoje se constata uma forte tendência ao individualismo, percebe-se igualmente a busca por vida comunitária: esta busca nos recorda como é importante a vida em fraternidade. Mostra também que o Espírito Santo acompanha a humanidade, suscitando, em meio às transformações da história, a sede por união e solidariedade.

Nessa perspectiva: “É missão do povo de Deus assumir o compromisso sociopolítico transformador que nasce do amor apaixonado por Cristo. Desse modo, se incultura o evangelho”. (Doc. 105, nº 161). A atuação cristã nos meios social e político, é serviço cristão ao mundo na perspectiva do Reino. Isto não desmerece nem diminui o seu valor, que é da ordem de testemunho, respeitando a legítima autonomia das realidades terrestres e do cristão nelas envolvido. (Doc. 105, nº 162).

Assim, a participação consciente e decisiva dos cristãos em movimentos sociais, entidades de classe, partidos políticos, conselhos de políticas públicas e outros, sempre a luz da Doutrina Social da Igreja, constitui-se num inestimável serviço à humanidade e é parte integrante da missão de todo o povo de Deus.

Os cristãos são cidadãos e, como tais, junto com as pessoas de boa vontade, são interpelados a assumir ativamente esta cidadania em toda a sua amplitude. Esta cidadania brota do coração da missão da Igreja, inspirada no núcleo do Evangelho: “e a palavra se fez carne e veio morar entre nós” (Jo 1, 14).

Ser cristão, sujeito eclesial e ser cidadão, não podem ser vistos de maneira separada. O cristão leigo expressa o seu “ser Igreja” e o seu “ser cidadão” na comunidade eclesial e na sua família, nas opções éticas e morais, no testemunho de vida profissional e social, na sociedade política e civil e em todos os âmbitos da sua vida. Busca sempre a coerência entre ser membro da Igreja e ser cidadão, consciente da necessidade de encontrar mediações concretas – quer sejam políticas, jurídicas, culturais ou econômicas – para a prática do mandamento do amor, de forma especial em favor dos marginalizados, visando a transformação das estruturas sociais injustas. (Doc. 05, nº 165).

Permanecendo na Igreja, como ramo da videira, o cristão transita do ambiente eclesial ao mundo civil para, como sal, luz e fermento, somar com todos os cidadãos de boa vontade, na construção da cidadania plena para todos. Não é preciso “sair” da Igreja para ir ao mundo, como não é preciso sair do mundo para entrar e viver na Igreja.

Levemos como compromisso, assumir a missão de ser família cristã atuante no Serviço ao Mundo, testemunhando com a própria vida a sua atuação como leigo e cidadão fiel ao Evangelho de Jesus Cristo.

Conceda-nos Senhor, sermos famílias cristãs que se evangelizam na fé e no amor cristão, para estar e agir no mundo, transformando a realidade conforme o projeto de amor do Criador.
Subsídio “Hora da Família 2017” – Pastoral familiar do Brasil – CNBB.





SUGESTÃO DE COMENTÁRIOS PARA A MISSA:

INICIAL: Estamos no 6º Dia da Semana da Família e somos convidados hoje a refletir sobre o SERVIÇO CRISTÃO NO MUNDO. É na pertença a uma comunidade de fé, que se alimenta da Palavra de Deus, dos sacramentos e da vida comunitária, que exercemos nosso papel de discípulos missionários de Jesus Cristo.

FINAL: Conceda-nos Senhor, sermos famílias cristãs que se evangelizam na fé e no amor Cristão, para estar e agir no mundo, transformando a realidade conforme o Projeto de amor do Criador. Levemos como compromisso hoje, assumir a missão de ser família cristã atuante no Serviço ao Mundo, testemunhando com a própria vida a sua atuação como leigo e cidadão fiel ao Evangelho de Jesus Cristo.


SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO