terça-feira, 2 de outubro de 2018

A PUREZA DO CATEQUISTA: Refletindo com São João da Cruz



"Porque guardando as portas da alma, isto é, os sentidos, igualmente se guarda e aumenta a tranquilidade e pureza dela".  (São João da Cruz)

Dito esta frase deste grande doutor da doutrina católica, me coloco a refletir onde ela se encaixa na missão catequética.

A vocação do catequista é grandiosa! Para muitas das crianças, jovens ou adultos catequizados, o catequista é considerado o único modelo de fé em seu convívio. Sendo assim, vale lembrar que toda fala, todo gesto, todo sorriso ou cara feia é por eles gravado e transformado em memórias que possivelmente ficarão registradas em seu subconsciente. E um dia, por si próprios poderão formar a sua opinião do sentido da fé e da sua existência. Catequista tem poder de marcar história também. 

É evidente que o catequista precisa ser prudente em sua missão. Deve cuidar-se, amar-se, fortalecer-se na graça diante de Deus. Precisa estar em Deus. Precisa sentir o amor de Deus para poder transmiti-lo. E para que tudo isso ocorra dentro de si, o catequista precisa cuidar do que "alimenta-se". O que tem entrado pela porta de sua alma catequista? Que músicas tem ouvido? Que programas ou filmes tem visto e recomendado? Que aromas tem sentido? Só de rosas ou o aroma do catequizando sem desodorante que bate a sua porta? Quais suas leituras? De que tem falado fora do seu compromisso catequético? E o que fala na catequese tem aderido em sua vivencia?

Inúmeras perguntas poderiam ser feitas para nos levar a uma abertura á reflexão desta entrada da alma. Nossos sentidos podem nos proporcionar diversificadas sensações, gostos, aromas e descobertas, porém nem tudo nos convém. O senhor nos orienta a orar e vigiar sempre. O catequista mais do que nunca!

A oração deve ser o guardião desta santa porta da alma. É esse vigia que fará perguntas aos diversos sentidos que nos são apresentando constantemente. E, em oração o catequista terá resposta divina para abertura ou não da porta da alma. Jesus fez isso! Todas as vezes que se sentiu ameaçado, retirou-se no silencio e orou. Ele sentiu fome no deserto e o sentido do paladar foi atiçado. O seu ideal era o jejum para Deus. Sua alma tinha esse objetivo, e Jesus concretizou  fechando a porta da alma para a tentação ao seu paladar, clamando á Deus. E ele conseguiu? Sim, ele fechou a porta com autoridade.

Jesus foi tentado a opinar sobre uma adultera em público. Seu sentido foi novamente atiçado. Ele se pôs em silencio e em seu coração orou. A porta da alma foi fechada para as tentações e ele brilhou na resposta diante daqueles que o queriam envergonhar. Jesus foi mestre no controle de entradas e saídas da porta de sua alma, por isso transmitia tranquilidade, pureza, paz e mansidão. Ele é o mestre dos mestres!

E se Jesus não tivesse filtrado os sentidos que adentrariam em sua alma? Acredita-se que não teria sido digno da vitória na cruz. Talvez, não tivesse chegado lá sufocado pelo sentido do medo, da dor e da vergonha do povo que o crucificara dias depois de o terem aclamado como rei na entrada á Jerusalém.

Catequista tem como vocação evangelizar. Evangelizar é falar de Jesus. Para falar de Jesus é necessário ama-lo e segui-lo. Portanto, todo catequista que queira cuidar de sua alma, deve olhar para o mestre e vigiar a porta de entrada da sua alma. A Palavra de Deus nos ensina e passa detalhes minuciosos para tal. Basta ter aquele encontro pessoal com o mestre todo momento que for possível.

Você catequista precisa mostrar a pureza de sua alma. Que sua alma seja tão semelhante à de Jesus, ao ponto de que você precise de poucas palavras para evangelizar. Que seus sentidos transpareçam o Jesus que pregamos e despertem curiosidade aos seus catequizandos. Que você tenha a graça do discernimento em suas escolhas. Lembre-se que tudo posso, mas nem tudo me convém. Que a pureza de sua alma seja tão perfeita ao ponto de ser referencial para os que virão depois de você. 

Jesus apontou o caminho para os que viriam depois dele. Aqui estamos! Agora é sua vez de apontar o caminho para os que ainda não conhecem ou desejam conhecer melhor o mestre do amor: Jesus.

Catequista Sandra Fretta Gomes Malagi - Paróquia Sant’Ana- Laranjeiras do Sul-PR

Catequistas em Formação

SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO