segunda-feira, 1 de abril de 2019

E O QUE VAMOS FAZER NO DOMINGO DE RAMOS?


Nós podemos, evidente, fazer a leitura do Evangelho do Domingo e conversar com as crianças sobre o significado deste dia. Mas, se já fizemos isso lá no ano passado, e nos outros anos passados também... CHEGOU A HORA!


De PARTICIPAR da Procissão do Domingo de Ramos com as crianças e as famílias! 

Não se vive a vida cristã na teoria somente. Não é mesmo?

Digo isso porque, normalmente, a preocupação de todo catequista, seja em que fase estiver os catequizados (1ª, 2ª, 3ª...), é "falar" do Domingo de Ramos. Contar, explicar, de onde veio, para que serve... Falar, falar, falar... "Eles esquecem!" vão me dizer alguns. "A catequista anterior não trabalhou!" dirão outros. Sim, eles esquecem. Esquecem mesmo tudo que o eles não veem utilidade. E a catequista "anterior" deve passar para a próxima o que fez. Ou não? Cadê o itinerário/planejamento das etapas?

Então, se vocês já falaram sobre o Domingo de Ramos, nada está perdido, aliás "tudo o mais pode ser acrescentado". Agora nós vamos: Fazer um Domingo de Ramos! Faltam quase duas semanas, ainda dá para preparar um convite para a festa, preparar com carinho os ramos para serem usados, bem como cartazes para levar na procissão, ensaiar uns cantos, dar uma olhadinha no rito para não ficar perdido (Isso é para o catequista...).





E se os seus catequizandos são adolescentes, estão na perseverança, crisma e já estão "carecas" de ouvir falar, já viram, participam sempre, que tal promover um "debate" mais adulto?
       - Por que será aqueles que deram "Hosana ao rei!" num domingo, dali 5 dias, no julgamento, disseram: "Crucifica-o!".
        - Ah! Não foram os mesmos? Foi quem? Por que? Qual era o interesse da época? Não seriam "políticas públicas"?

É isso aí gente, uma verdadeira INICIAÇÃO vai à fonte, fala e experimenta, experimenta e gosta, gosta e faz sempre.

Ângela Rocha
Catequista Amadora

Um pouco de História...

BÊNÇÃO DE RAMOS

O Domingo de Ramos é uma festa móvel cristã celebrada no domingo antes da Páscoa. A festa é um evento mencionado nos quatro evangelhos: Marcos 11,1; Mateus 21, 1-11; Lucas 19, 28-44; e João 12, 12-19.

A Bênção de Ramos acontece antes da missa e é parte integrante da celebração do Domingo de Ramos, que faz memória da entrada triunfal e solene de Jesus em Jerusalém.

O primeiro formulário para as Bênçãos de Ramos encontra-se no Sacramentário de Bobbio, do século VIII. Como nem sempre encontravam ramos ou palmas para serem abençoadas, o povo começou a levar ervas aromáticas e flores, de onde surgiu o nome de "Pascha Floridum" (Páscoa das Flores) ou "Dominica Florum" (Domingo das Flores).

Os antigos textos litúrgicos atribuíam aos ramos um sentido simbólico de vida, esperança e vitória de Jesus Cristo. O povo, porém, a partir da Idade Média, sem nenhuma catequese e por motivos supersticiosos, começou a atribuir aos ramos bentos poderes especiais. Para afastar mal olhado, os ramos bentos eram pendurados na sala da casa; batiam no gado e nos animais domésticos como ramos bantos para afastar doenças e pestes dos animais; em dias de trovoada e granizo, as pessoas queimavam os ramos bentos para afastar o perigo das plantações e das casas. E, para uma proteção total da casa, o costume popular era (e ainda é assim em muitos locais) amarravam os ramos bentos em uma cruz, que deveria ficar ou na sala ou no quarto do casal.

Além destes efeitos protetores, as pessoas atribuíam aos ramos bentos poderes curativos. Mas os ramos bentos não têm os poderes mágicos, que muitos acreditam. Trata-se de um símbolo da vitória do Reino de Jesus Cristo.

Outro sentido muito bonito, que está presente na primeira fórmula da bênção dos ramos é a esperança que também aqueles que levam os ramos bentos nas mãos compreendam-se como caminheiros para a Jerusalém celeste, através de uma vida repleta de boas obras (segunda fórmula da bênção de ramos).

Por este valor simbólico, os ramos não devem ser jogados fora depois da procissão, mas devem ser levados para as casas e lá guardados com respeito ou queimados. As cinzas, que são usadas na quarta-feira de cinzas, são feitas com os ramos bentos no Domingo de Ramos do ano anterior. Um costume que vem deste do século XII.

Fonte: Arquivos da internet.


Nenhum comentário: