segunda-feira, 16 de novembro de 2015

E POR FALAR EM 10 MANDAMENTOS...


Os Dez Mandamentos ou o Decálogo (hebraico = 10 palavras e grego e latim = decálogo) é o nome dado ao conjunto de leis que segundo a Bíblia, foram originalmente escritos por Deus em tábuas de pedra e entregues à Moisés (as Tábuas da Lei). As tábuas de pedra originais foram quebradas, de modo que, segundo Êxodo 34,1, Deus teve de escrever outras. Encontramos primeiramente os Dez Mandamentos em Êxodo 20, 2-17 e, depois, em Deuteronômio 5, 6-21, usando palavras similares.

O Decálogo são as palavras que resumem a Lei dada por Deus ao povo de Israel, no contexto da Aliança, por meio de Moisés. Este, ao apresentar os mandamentos do amor a Deus (os três primeiros) e ao próximo (os outros sete), traça, para o povo eleito e para cada um em particular, o caminho de uma vida liberta da escravidão do pecado.

Ao anunciar nos Evangelho o Reino de Deus, Jesus levou à sua "perfeição e cumprimento" a Lei de Deus e, portanto, também os Dez Mandamentos. Isso quer dizer que ele interpretou plenamente e deu o sentido último às verdades reveladas por Deus ao longo do Antigo Testamento e renovou a aliança entre Deus e os homens, instaurando assim o Novo Testamento (ou a Nova Aliança). Para Jesus, toda a Lei de Deus cumpre-se e resume-se no duplo e único mandamento do amor a Deus e ao próximo: "Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração, com toda a tua alma e com toda a tua mente. Este é o maior e o primeiro dos mandamentos. E o segundo é semelhante ao primeiro: amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos depende toda a Lei e os Profetas". (Mt. 22, 37-40).

Abaixo um resumo, em relação ao conteúdo, dos mandamentos, indicando os versículos de Êxodo 20. Em seguida ao número, os mandamentos como aprendemos desde criança, no Catecismo.

a. Mandamentos 1 e 2: falam da relação com Deus:
1. Amar a Deus sobre todas as coisas - Texto bíblico: Não terás outros deuses diante de mim (1-6).
2. Não usar o Santo Nome de Deus em vão - Texto bíblico: Não pronunciarás em vão o nome de Iahweh teu Deus (7).

b. Mandamentos 3: falam do culto, dos lugares sagrados e das festas:
3. Guardar domingos e dias de festa - Texto bíblico: Lembra-te do dia do sábado, para santificá-lo (8-11). [i] (Ver nota no final do texto).

c. Mandamentos 4 e 5: Falam da família, do grupo em que se vive:
4. Honrar pai e mãe - Texto bíblico: Honra teu pai e tua mãe (12).
5. Não matar - Texto bíblico: Não matarás (13).

d. Relação da pessoa com o próprio corpo:
6. Não pecar contra a castidade – Texto bíblico: O corpo, porém, não é para a impureza, mas para o Senhor e o Senhor para o corpo. (1 Cor 6, 13).
OBS. No texto bíblico sobre os 10 mandamentos, encontramos aqui “Não cometerás adultério” (14).

e. Mandamentos 7, 8, 9 e 10: Fala dos direitos humanos gerais. Protegem o próximo, no sentido físico e espacial.
7. Não roubar - Texto bíblico: Não roubarás (15).
8. Não levantar falso testemunho - Texto bíblico: Não apresentarás um testemunho mentiroso contra o teu próximo (16)
9. Não desejar a mulher a mulher do próximo - Texto bíblico: Não cometerás adultério (14).
10. Não cobiçar as coisas alheias - Texto bíblico: Não cobiçarás a casa do teu próximo; não cobiçar a mulher do teu próximo, nem o seu escravo (...) nem o seu boi...(17).

TABELA COMPARATIVA

A passagem dos mandamentos no Êxodo contém mais que dez afirmações, totalizando 14 ou 15 no total. Enquanto a própria Bíblia assina a contagem de "10", usando a frase hebraica aseret had'varim - traduzida com as 10 palavras, afirmações ou coisas, essa frase não aparece nas passagens usualmente apresentadas como sendo "os Dez Mandamentos". Várias religiões dividem os mandamentos de modo diferente. A tabela abaixo aponta essas diferenças.

Divisão dos Dez Mandamentos por religião/denominação
Mandamento
Judaico
Anglicano, Presbiteriano e demais protestantes
Ortodoxo
Católico Romano, Luterano*
Adventista do Sétimo Dia
Amar a Deus sobre todas as coisas
1
Prefácio
1
1
Baseia-se do 1º ao 10º
Não terás outros deuses além d'Ele
2
1
1
Não farás para ti nenhum ídolo
2
2
2
Não dirás em vão o nome do SENHOR, o teu Deus
3
3
3
2
3
Lembra-te do dia de sábado para o santificar
4/domingo**
4/domingo**
3/domingo**
Honra teu pai e tua mãe
5
5
5
4
5
Não matarás
6
6
6
5
6
Não adulterarás
7
7
7
6
7
Não furtarás***
8
8
8
7
8
Não darás falso testemunho contra o teu próximo
9
9
9
8
9
Não cobiçarás (a mulher do teu próximo)
10
10
10
9
10
Não cobiçarás (nada do que pertença a teu próximo)
10

Notas:
*
Algumas igrejas luteranas usam uma divisão levemente diferente entre o Nono e o Décimo Mandamentos (9. Não cobiçarás a casa do teu próximo; 10. Não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem seus servos ou servas, nem seu boi ou jumento, nem coisa alguma que lhe pertença.)
**
A Igreja entende o dia de domingo como o principal dia na Nova Aliança, pois foi o dia que Jesus Cristo ressuscitou. O imperador Constantino, no dia 7 março do ano 321 d.C. adotou a observância do Domingo como feriado, no ano de 364 d.C. (Concílio de Calcedônia) ele foi ratificado. “O Mandamento da Igreja determina e especifica a Lei do Senhor: Aos domingos e nos outros dias de festa de preceito, os fiéis têm a obrigação de participar da missa.” – Catecismo da Igreja Católica item 2180; edição revisada de acordo com o texto oficial em latim (Edições Loyola, 10ª edição, julho de 2000), p. 570.
***
O judaísmo afirma que essa é uma referência ao sequestro, enquanto para o cristianismo (Levítico 19,11), é a referência bíblica ao furto de propriedade.
****
Para os cristãos quando Jesus diz: "Amar a Deus sobre todas as coisas" (Mateus 22, 37) ele refere-se ao 1º, 2º, 3º e 4º mandamentos (pois tem a ver com o nosso amor com Deus), quando ele diz "Ame aos outros como você ama a você mesmo."  Ele se refere ao 5º, 6º, 7º, 8º, 9º e 10º mandamentos (pois tem a ver com o nosso amor para com o próximo). Em Mateus 22, 40, Jesus diz: "Toda a Lei se resume nesses dois mandamentos.", ou seja, ele “atualiza” os mandamentos da Lei de Deus.








[i] A questão do DOMINGO como o DIA DO SENHOR:

Apesar de encontrarmos no texto Bíblico, o 3º mandamento como a guarda do Sábado, como dia santo, por várias razões a Igreja determinou o Domingo como o Dia do Senhor e dia de celebração cristã. Uma das razões é que Jesus ressuscitou no Domingo.

O domingo, por fundamentação bíblica e etimológica, é considerado o primeiro dia da Semana. É o dia de descanso para a maioria das pessoas no mundo ocidental. A palavra é originária do latim Dies Dominicus, que significa "dia do Senhor".

No ano de 321 d.C, o imperador Constantino, decretou que o domingo seria observado como dia de repouso civil obrigatório: “Que no venerável dia do sol os magistrados e as pessoas residentes nas cidades descansem, e que todas as oficinas, estejam fechadas, No campo ainda assim que as pessoas ocupadas na agricultura possam livremente continuar seus afazeres pois pode acontecer que qualquer outro dia não seja apto para a plantação de vinhas ou de sementes..."

Durante a Reforma do Calendário Romano substituiu-se o nome de Solis Dies, que significa Dia do Sol - forma como os pagãos se referiam ao domingo - para Dominicus Dies.

Em 325 d.C., o primeiro Concílio de Nicéia, estabelece universalmente o primeiro dia da semana como dia sagrado. O nome do primeiro dia da semana foi modificado de Prima Feria para Dies Domenica. Decisão mantida pela maioria das denominações cristãs até a atualidade. A Igreja Católica em 364 d.C, através do Concílio de Laodicéia, ratifica o Domingo (dia do Senhor) abolindo o Sábado, que eles alegaram ser somente dos judeus.

Ângela Rocha
Catequista

Fonte de pesquisa:
Diversas na internet.


SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO