domingo, 21 de janeiro de 2018

"AULA DE CATEQUESE", "ALUNO" e "MATRÍCULA"...


Estamos aqui num grupo que pretende ser de FORMAÇÃO DE CATEQUISTAS, correto?

Então, vamos corrigir algumas "falas" nossas.

Sei que é uma prática difícil da gente mudar, mas, vamos tentar pensar nas crianças da catequese como nossos "CATEQUIZANDOS" ou até mesmo "INICIADOS", e não como "alunos". E não vamos fazer "matrícula" de ninguém, a catequese não é escola e nem curso. Vamos fazer a "inscrição" daqueles que estiverem interessados.

Ah! E vamos prestar muita atenção ao escrever a palavra "Catequizando": ela é com Z e não com "s" como se pensa.

Os documentos da nossa Igreja vem pedindo para que não usemos as expressões: "aluno", "aula de catequese" ou "curso de catequese", "professor de catequese", "matrícula", para que realmente comecemos a pensar a catequese como INICIAÇÃO CRISTÃ, mais do que "ensino de sacramento", é um "processo" que dura a vida toda.

Parece que são só palavras e que não importa como falamos, mas, se começarmos a ver o quanto um catequizando difere de um "aluno", e o quanto uma "aula", difere de um encontro, vamos perceber que realmente estamos indo ao ENCONTRO do outro e proporcionando a ele aquele outro encontro maior, que é com a PESSOA DE JESUS CRISTO.

Não somos "professores" de nada na Igreja, somos discípulos missionários com a responsabilidade de catequizar. Portanto, estão todos "proibidos" de se referir aos seus catequizandos como ALUNOS e aos seus encontros como AULAS.

Senão, a Tia Ângela aqui, vai puxar as orelhas de vocês! (risos).

Ângela Rocha
Catequista

SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO