quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

BATISMO DE CRIANÇAS EM IDADE DE CATEQUESE


Não é incomum, termos crianças inscritas na catequese que chamamos de “Eucaristia”, que ainda não receberam o batismo. Seja pela conversão tardia do pais ou abandono temporário da fé, seja por outro motivo. Consideremos aqui, que esta é, sem dúvida, uma oportunidade para convidar a família para o Catecumenato de Adultos, mesmo que os responsáveis/pais já tenham recebido todos os sacramentos da iniciação.

Como tratar a iniciação destas crianças e a que tempo deve ser o batismo destas crianças, é uma dúvida comum dos catequistas.

Observemos que, normalmente, cada diocese tem orientações para a sua Igreja Particular, a respeito dos sacramentos, que devem ser observadas. Estas orientações ou fazem parte dos Diretórios Litúrgicos, sacramentais ou catequéticos. Abaixo citamos as orientações da Arquidiocese de Curitiba que comumente, coincide com as de outras dioceses. Mas, antes de estabelecer normas no seu Diretório ou itinerário paroquial, é bom buscar as informações e orientações do Bispo de sua diocese.

O Diretório Arquidiocesano de Curitiba orienta o seguinte em seu Art. 41:

“Uma criança não batizada, que tenha idade suficiente para ser catequizada, só pode ser aceita para o batismo depois de pelo menos um ano de catequese. Com a devida preparação para este sacramento”.

Ainda no Art. 41, parágrafo único: (...) completados os 7 anos, desde que tenha uso da razão, a criança não deve ser batizada segundo o ritual para o batismo de crianças. (“Criança” nesse caso, é a pessoa que ainda não atingiu os sete anos, idade da razão segundo orientações do CIC  Cân 97 e 99).

Ou seja, os ritos do batismo são os do catecumenato (RICA), onde há um capítulo com orientações para o batismo de crianças em idade de catequese.

Apesar desta disponibilidade do Diretório Arquidiocesano, em se batizar as crianças com pelo menos 01 ano de catequese, vemos que, com apenas um ano elas ainda não estão preparadas para receber o sacramento. E é bom observar também que os pais, nestes casos, precisam de uma “iniciação à vida cristã” também.

Ao se prever o Batismo de crianças em idade de catequese, que cada comunidade/paróquia busque antes as orientações do seu Bispo, adequando da melhor forma possível, o sacramento ao processo de iniciação a vida cristã destas crianças e suas famílias.

Observe que a orientação na Arquidiocese de Curitiba de “no mínimo um ano de catequese”, nos dá a liberdade de colocar o sacramento conforme a evolução e amadurecimento da criança. Observamos assim, que o “ideal” é que o batismo das crianças na catequese, seja feito na 3ª Etapa, próxima ou junto da primeira eucaristia, onde já se nota uma maturidade maior por parte das crianças e também os pais, que já caminharam com as crianças nas 3 etapas da iniciação, não só acompanhando os filhos à Igreja como participando da catequese familiar.

Como se dá a catequese sobre o Batismo nas várias etapas:

- Na 1ª Etapa, o subsídio “Crescer em Comunhão” prevê um encontro sobre o Batismo de Jesus*, mas, sem conversar sobre o Rito e sem fazer preparação alguma. Como atividade pede-se que as crianças perguntem aos pais sobre o dia do batismo e comparem com o dia do nascimento civil (aqui trabalhamos a “identidade deles, quem eles são), perguntado aos pais para que serve os dois documentos. Não há aqui nenhum aprofundamento com objetivo de “batizar” as crianças não batizadas, mas, deve ser considerada como uma oportunidade para despertar os pais a respeito do batismo e também inserir o tema na catequese familiar. Começa aí a conscientização da importância do sacramento do batismo e a preparação (iniciação) dos pais das crianças não batizadas.

* Aqui a (o) catequista deve ter o cuidado de não gerar constrangimento ou expectativas nas crianças não batizadas. Elas não podem se sentir preteridas junto aos demais e sim, especiais porque vão participar ativamente do rito e ter os amigos junto com elas. Interessante é que se faça uma “pesquisa” antecipada antes de preparar o encontro. É um tempo de graça para todos e como tal deve ser considerado. Reforçando o que pede nossa Igreja:  que a catequese seja “iniciação à vida cristã” e não um curso preparatório para o sacramento.

- Nosso itinerário catequético e o subsídio Crescer em Comunhão, preveem a “catequese dos sacramentos” na 3ª etapa, onde se trabalha nos encontros, os sacramentos da Iniciação: focando o batismo, seus ritos e suas consequências, a Confirmação e a Eucaristia, agora como sinais da graça.

O ideal é que os pais participem dos encontros de batismo, também nesta fase. Aqui há mais maturidade da criança também com relação ao ensino dos conteúdos da fé.

OBS. O Diretório Arquidiocesano pede em seu Art. 34: que pais e padrinhos devem participar de encontros antes do batismo, preparados pela equipe da Pastoral do Batismo. E que esta preparação tenha inspiração catecumenal.

Os sacramentos como parte do processo de Iniciação à Vida Cristã:

A orientação da nossa Igreja, atualmente, é que se se utilize o processo catecumenal de Iniciação à Vida Cristã na catequese, e uma das observações que o Documento 107 da CNBB, recentemente publicado, faz, é que se busque a volta da “unidade” dos sacramentos, separados quando a Igreja começou a batizar os recém-nascidos. Ou seja, é uma oportunidade para que nossas crianças tenham a unidade dos dois sacramentos batismo e eucaristia, feitos, preferencialmente no tempo pascal.

Observemos que ao se batizar uma criança assim que ela comece a catequese, na 1ª etapa, ela ainda não está preparada para este sacramento, e ela tem condições de sê-lo ao longo da catequese junto com as demais crianças. Sem contar a maturidade cristã que ela vai adquirindo e o fato de que seus pais tem a “catequese familiar” também.

O rito do batismo das crianças da catequese se reveste de um momento único, tanta na vida da criança a ser batizada, quando na vida dos seus companheiros de turma, que podem acompanhar e ajudar o catecúmeno (não batizado) neste processo.

INSTRUÇÕES do RICA – Ritual de Iniciação Cristã – Cap. V – Rito de iniciação de crianças em idade de catequese

307. A iniciação dessas crianças supõe tanto a conversão e seu amadurecimento progressivo de acordo com a idade com o auxílio da educação necessária a essa idade. Deve, pois, ser adaptada ao itinerário espiritual dos candidatos, isto é, ao seu crescimento na fé, como à formação catequética que vão recebendo. Por isso, como a dos adultos, a iniciação deve prolongar-se, se for necessário, por vários anos, antes de se aproximarem dos sacramentos, distribuindo-se por diversos degraus e tempos com seus ritos próprios.

310. No que se refere ao tempo das celebrações, é para desejar que, na medida do possível, o último tempo da preparação coincida com o Tempo da Quaresma e que os sacramentos sejam celebrados na Vigília pascal. Mas antes de as crianças serem admitidas aos sacramentos nas festas pascais, tenha-se em conta se elas estão nas devidas condições e se o tempo para a celebração desses sacramentos está de acordo com o grau da instrução catequética que tiveram. Com efeito, procure-se, tanto quanto possível, que os candidatos se aproximem dos sacramentos da iniciação na mesma altura em que os seus companheiros já batizados são admitidos à Confirmação e à Eucaristia.

Aqui vemos, portanto, que o ideal é que se procure batizar as crianças em idade de catequese, quando estas se encontrem preparadas para receber também, a Eucaristia. Que se pese se a Vigília Pascal é o Tempo ideal, conforme os costumes da comunidade. Caso não seja, que a data do batismo dessas crianças seja marcada em outra oportunidade.

Importante é que se procure observar os aspectos referente à Iniciação à Vida Cristã, tanto das crianças, quanto dos pais ou responsáveis, sem atropelo, de forma que o sacramento do batismo seja acompanhado com a dignidade que ele merece.

Ângela Rocha

FONTES:

Crescer em Comunhão. Volume 1. Petrópolis: Vozes, 2014.
Crescer em Comunhão. Volume 3. Petrópolis: Vozes, 2014.
Diretório Arquidiocesano de Iniciação à Vida Cristã. Curitiba: Editora Arquidiocesana, 2013.
CNBB. Iniciação à Vida Cristã: Itinerário para formar discípulos missionários – Documento 107. Brasília: Edições CNBB, 2017.
RICA – Ritual de Iniciação de Adultos. Sagrada Congregação para o culto divino. São Paulo: Paulinas, 2003.


Conheça mais sobre o BATISMO em:


SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO