terça-feira, 30 de maio de 2017

CONTO MEU ENCONTRO: PROFISSÃO DE FÉ EM FAMÍLIA!


Esta semana, nosso encontro foi no sábado, na casa de uma das minhas catequizandas. Resumindo tudo: FOI MARAVILHOSO!

O encontro começou às 10h30. A família nos recebeu com carinho, preparando almoço e tudo mais para nós.

O ROTEIRO DO ENCONTRO:

- Oração: "Shemá Israel", convidando a família a participar, depois cantamos o mantra várias vezes. A mãe e a avó da catequizanda que nos recebia, acompanharam tudo atentas.

- Tema do encontro: Eucaristia: lembrando ainda os encontros de Jesus com os amigos, na mesa de refeição.

- Lembrar algumas passagens bíblicas: escolhi os discípulos de Emaús e contei como se fosse uma "história", sem ler da Bíblia. Depois, cada um procurou a passagem na sua Bíblia, leu em silêncio e comentou aquilo que mais achou interessante.
- Logo depois lembrei a eles o quanto estamos próximos de receber a Primeira Eucaristia. Faltam só oito meses.
- E falei também o que é preciso um católico saber de verdade para ser um bom católico (as quatro colunas da fé):
- Creio;
- Pai Nosso;
- Mandamentos e Bem-Aventuranças;
- E o sentido dos sacramentos.

Quando perguntei se eles já sabiam tudo, a coisa se enroscou. Ainda não conseguem separar muito sacramento de mandamento e nem conseguem lembrar todos, Bem-Aventuranças então, ninguém sabia nem do que eu estava falando. Prometi que vamos falar muito disso ainda.

Resolvi "apavorar" geral! Disse que o padre costuma conversar com eles na primeira confissão perguntando algumas dessas coisas. Nossa! Foi um auê! "Como, Tia? Ele pergunta mesmo? Tudo?" Não. Ele não vai fazer “prova oral” com vocês, mas, é importante conhecermos estas coisas porque elas fazem parte da vida do cristão católico.

- Então fomos brincar de "batata-quente". Aquele que ficava com a bola na vez, tinha que responder uma pergunta sobre sacramento, mandamento ou outra coisa da catequese. Quem fazia as perguntas eram as próprias crianças. Quando não sabiam eu falava ou corrigia. Eles se divertiram muito.

- Almoçamos todos juntos e após o almoço fiz a bênção da família e da casa. Todos participaram da oração, inclusive os padrinhos da minha catequizanda que foram convidados para o almoço também.

- Aí as crianças foram liberadas para brincar. Desta vez, sem que eu inventasse de colocar assunto da catequese no meio!

Os pais da minha catequizando, nos acolheram com a maior alegria. A Vovó Helena veio especialmente para a macarronada e o frango para as crianças. A irmãzinha da Rafaela, de sete anos me deixou muito lisonjeada ao perguntar se serei eu a catequista dela quando ela começar. Falei que, provavelmente só no terceiro ano, porque é essa a minha turma. Ela perguntou se ia "demorar muito"...

- Depois de mais de quatro horas "controlando" nove crianças, fiquei cansada. Mas valeu a pena! Desafiador e recompensador!

Obrigado meu Deus, por ter me chamado!

Ângela Rocha
Equipe Catequistas em Formação

*Este encontro aconteceu em 2015, quando eu ainda estava morando em Londrina – Pr.






Quer contar um encontro? 
Envie sua história com algumas fotos para o e-mail:
catequistasemformacao@gmail.com


SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO