quinta-feira, 31 de agosto de 2017

SETEMBRO: O MÊS DA BÍBLIA NA IGREJA DO BRASIL


O Mês da Bíblia foi aberto como um espaço privilegiado para aprofundar um livro ou um tema bíblico, no contexto específico da realidade brasileira e da caminhada da Igreja no Brasil. A escolha do mês de setembro está associada à memória de São Jerônimo (30 de setembro), tradutor da Bíblia par ao latim (Vulgata) e modelo de divulgador dos estudos bíblicos. Naturalmente, o chamado “Mês da Bíblia” significa o “Ano da Bíblia”, no sentido de que não se pode limitar um tempo determinado para a leitura dela e a importância da sua divulgação.

Os textos produzidos para o Mês da Bíblia constituem material permanente para estudo, oração e vivência da Palavra de Deus. A Bíblia deve inspirar toda a ação evangelizadora da Igreja começando pela catequese, a preparação e a vida da Igreja, além de constituir a alam da teologia (Concílio Vaticano II. Dei verbum, n. 24).

Para o ano de 2017, o texto escolhido para aprofundamento é a 1ª CARTA DE SÃO PAULO AOS TESSALONICENSES, que retrata uma comunidade dos inícios do cristianismo, com dificuldades, resistências e superações. Esta comunidade está inserida na periferia de uma grande cidade do Império Romano, Tessalônica, onde Paulo busca transformar a sociedade vigente, com a força do anúncio do Evangelho.

Para o estudo, a CNBB lança um “Texto-base”, que é constituído pelo comentário à Carta, à luz do tema e do lema:

Primeira Carta aos Tessalonicenses

TEMA: Para que n’Ele nossos povos tenham vida”.
LEMAAnunciar o Evangelho e doar a própria vida”. (Cf. 1Ts 2,8).

A inspiração provém dos 10 anos da publicação do Documento de Aparecida (2007), intitulado “Discípulos missionários de Jesus Cristo, para que n’Ele nossos povos tenham vida”. Trata-se de um convite para conhecer Jesus e sua proposta de vida e partilh´-ala com as demais pessoas. O Documento de Aparecida estabelece esta conexão entre discipulado e missão como duas faces da mesma moeda. O discipulado leva necessariamente à missão e a missão se alimenta do discipulado.

O livro escolhido para refletir sobre este tema não poderia ser mais apropriado, a Primeira Carta de Paulo aos Tessalonicenses. A carta é cronologicamente, o primeiro escrito do Novo Testamento. Ela deixa transparecer os desafios e as propostas de uma Igreja em formação. Nela se encontram os temas mais fundamentais da fé cristã. É onde os fiéis se deparam com as tribulações da vida presente e com as esperanças da vida futura. Paulo expressa aí todo o seu afeto de discípulo missionário. A paixão pelo Evangelho o incentiva a ponto de estar disposto a doar a própria vida: “Anunciar o Evangelho e doar a própria vida” (1Ts 2,8).

O Texto-Base, bem como todo material para estudo neste mês da Bíblia, pode ser encontrado nas Livrarias Católicas, bem como no site das Edições CNBB: www.edicoescnbb.com.br

TEXTO - BASE
ROTEIRO ENCONTROS

ESTRUTURA DA 1ª CARTA AOS TESSALONICENSES:

É a partir da sinagoga (At 17,2) que Paulo inicia, com bons frutos, a evangelização de Tessalônica; mas a hostilidade judaica obriga-o a interrompê-la bruscamente (At 17,5-9). Por isso, o Apóstolo deixa uma comunidade apenas constituída, sujeita às seduções do paganismo de que proveio, na sua maioria (1,9) e à perseguição. Daí a inquietação que manifesta pela sorte dos crentes (2,17; 3,1.5).

CONTEXTO

Com os seus companheiros, Paulo parte para Bereia; e depois, sozinho, para Atenas e Corinto, onde se lhe vêm juntar Silas, ou Silvano, e Timóteo (At 18,5). Timóteo, entretanto, tinha sido enviado a Tessalônica (3,1) e traz boas notícias. É neste contexto que é escrita a 1ª Carta aos Tessalonicenses, provavelmente de Corinto e entre os anos 50 e 52.

TEOLOGIA

A nível cronológico, esta carta é o primeiro escrito do Novo Testamento, fato que lhe confere uma particular importância. É uma carta colegial, quanto ao remetente e às características gerais (veja-se o uso do plural), e eclesial, nos seus destinatários e na sua função (5,27); prolonga a obra da evangelização, que não é de um só, mas coletiva.
A tonalidade dominante é pastoral: não há polêmica, nem erros a corrigir. Com profundo reconhecimento a Deus por tudo o que Ele realiza, Paulo encoraja os cristãos a progredir. Revela uma grande intensidade afetiva, que é recíproca entre os missionários e os crentes. Nela sobressaem a gratidão, o entusiasmo, a confiança, a solicitude como de mãe e pai (2,7-8.11). E comunica ao leitor a generosidade e a grandeza de alma dos tempos iniciais, de fundação.

DIVISÃO E CONTEÚDO

I. Ação de graças (1,2-3,13), em 3 secções:
Saudação inicial (1,1)
Ação de graças pelo trabalho dos missionários e pela resposta dos tessalonicenses (1,2-2,16).
Missão de Timóteo, cujo êxito suscita reconhecimento a Deus (2,17-3,10).
Voto final (3,11-13).
II. Prática cristã “no Senhor Jesus Cristo” (4,1-5,24), em 4 seções:
Dois aspectos fundamentais da vida cristã: santificação e caridade (4,1-12).
Dois aspectos da expectativa escatológica: os mortos antes da parusia e o Dia do Senhor (4,13-5,11).
Outros conselhos úteis à vida cristã (5,12-22).
Voto final (5,23-24).
Saudação final (5,25-28).


CURIOSIDADE:
Hoje a Tessalônica, chama-se Salonica, em grego Θεσσαλονίκη ou Thessaloníki; ("Vitória sobre os tessálios"). É a segunda maior cidade da Grécia e a principal cidade da região grega da Macedônia. Em 2011, a população da área metropolitana era de 1.104.460 habitantes. O santo padroeiro da cidade é São Demétrio de Tessalônica e o seu santuário, a Igreja de São Demétrio (Hagios Demetrios), está classificado como Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO.A cidade foi construída por determinação de Cassandro, em 315 a.C., que lhe deu o nome da sua esposa, Tessalônica.  

Hagios Demetrios - Igreja de São Demétrio - Salonica - Grecia.

FONTES:
- Subsídio Texto-Base "Mês da Bíblia 2017" - Edições CNBB, 2017.
- www.capuchinhos.org/biblia/index.php 


quarta-feira, 30 de agosto de 2017

CATEQUESE DO PAPA


                ACENDER A CHAMA DA ESPERANÇA E DA ALEGRIA EM CRISTO
 “A memória da vocação reaviva a esperança”. Com este tema da sua catequese de hoje, o Papa Francisco voltou a presidir a Audiência Geral na Praça São Pedro, repleta, como sempre de fiéis e peregrinos provenientes de diversas partes da Itália e do mundo.

Recordar-se de Jesus, do fogo de amor com o qual um dia concebemos a nossa vida como um projeto de bem e reavivar com esta chama a nossa esperança, advertiu Francisco, é uma dinâmica fundamental da vida cristã.

O Papa Francisco concentrou sua catequese de hoje principalmente na questão da relação entre a memória e a esperança, com particular referência à memória da vocação. E para o ilustrar, usou como exemplo o chamamento dos primeiros discípulos de Jesus, uma experiência que ficou de tal forma impressa nas suas memórias, que o evangelista João, embora já idoso, recordava ainda com precisão a hora do evento: "Eram cerca de 4 horas da tarde".

Após a frase pronunciada nas margens do rio Jordão por João Batista, "Eis o Cordeiro de Deus", Jesus encontra dois novos jovens seguidores, a quem pergunta: "Que procurais?".

Jesus aparece nos Evangelhos como um especialista de coração humano. Naquele momento, tinha encontrado dois jovens que estavam procurando, com uma saudável inquietude! Com efeito, como pode haver uma juventude satisfeita, sem uma busca de sentido? Os jovens que não buscam nada não são jovens, estão já reformados, envelheceram antes do tempo. É triste ver jovens aposentados. E Jesus, em todo o Evangelho, em todos os encontros que realiza ao longo do caminho, aparece  sempre como um "incendiário" dos corações.

Por isso, prosseguiu o Santo Padre, Jesus faz a pergunta "que procurais?", justamente para “fazer emergir o desejo de vida e de felicidade que cada jovem traz dentro de si.

Francisco pergunta então aos jovens presentes na Praça São Pedro e à todos aqueles que acompanham a audiência geral través dos meios de comunicação social: “Tu, que és jovem, o que procuras? O que procuras no teu coração?”
E foi assim, acrescentou, que começou a vocação de João e de André, dando início a uma amizade com Jesus tão forte, que criou uma comunhão de vida e de paixão com Ele. E esta convivência com Jesus, transformou-os logo em missionários, tanto que os seus irmãos Simão e Tiago também passaram a seguir Jesus.

Foi um encontro tão tocante, tão feliz, que os discípulos recordarão para sempre aquele dia que iluminou e orientou a juventude deles", ressaltou o Papa recordando que a própria vocação neste mundo pode ser descoberta de diferentes maneiras, mas o primeiro indicador é a alegria do encontro com Jesus:

Matrimónio, vida consagrada, sacerdócio: cada vocação verdadeira inicia com um encontro com Jesus que nos dá alegria e uma esperança nova; e nos conduz, mesmo no meio das provações e dificuldades, à um encontro sempre mais pleno, àquele encontro, maior, o encontro com Ele e à plenitude da alegria.

O Santo Padre recordou então, que "o Senhor não quer homens e mulheres que o sigam de má vontade, sem terem no coração o vento da alegria. Neste sentido, Francisco perguntou aos presentes: “Vós, que estais aqui presentes na praça, tendes o vento da alegria? Cada um se pergunte: Eu tenho dentro de mim, no coração, o vento da alegria?”

Jesus quer pessoas que tenham experimentado que estar com Ele traz uma felicidade imensa, que pode ser renovada a cada dia da vida. Um discípulo do Reino de Deus que não é alegre, não evangeliza este mundo,  é um discípulo triste. Tornamo-nos pregadores de Jesus, não aperfeiçoando as armas da retórica. De facto, observou o Pontífice, tu podes falar, falar, falar, mas se não existe uma outra coisa, como podes tornar pregador de Jesus? Tendo, precisamente nos olhos, advertiu Francisco, o brilho da verdadeira felicidade. Vemos tantos cristãos, também entre nós, que com os olhos te transmitem a alegria da fé: com os olhos!

Por isso o cristão, acrescentou o Papa, tal como fez a Virgem Maria, deve proteger a chama do seu enamoramento.

Certamente, existem provações na vida, existem momentos em que é necessário seguir em frente não obstante o frio e os ventos contrários. Porém os cristãos conhecem o caminho que conduz àquele fogo sagrado que os acendeu uma vez para sempre.

Neste sentido, o Santo Padre alerta a todos para não darmos atenção à quem nos tira o entusiasmo e a esperança, mas a sonharmos com um mundo diferente e cultivarmos utopias saudáveis. Por favor, disse, não demos ouvidos às pessoas desiludidas e infelizes; não escutemos quem recomenda cinicamente para não cultivar esperanças na vida; não confiemos em quem apaga ao nascer cada entusiasmo, dizendo que nenhuma empresa vale o sacrifício de toda uma vida; não escutemos "velhos" de coração que sufocam a euforia juvenil.  Procuremos os velhos que têm os olhos brilhantes de esperança! Cultivemos, pelo contrário, utopias saudáveis.

 Deus, acrescentou, nos quer capazes de sonhar como Ele e com Ele, enquanto caminhamos bem atentos à realidade. Sonhar um mundo diferente. E se um sonho se apaga, voltar a sonhá-lo de novo, indo com esperança à memória das origens, aquelas brasas que, talvez, depois de uma vida não tão boa, estão escondidas sob as cinzas do primeiro encontro com Jesus. 

Antes de saudar os peregrinos de língua italiana, o Papa Francisco fez um apelo recordando aos presentes que depois de amanhã,  dia 01 de Setembro, recorre o Dia de Oração pelo cuidado da criação. Nesta ocasião, eu e meu querido irmão Bartolomeu, Patriarca ecuménico de Constantinopla, preparamos juntos uma Mensagem. Nela convidamos todos a assumir uma atitude respeitosa e responsável com a criação. Fazemos, além disto, um apelo àqueles que desempenham papeis influentes, para escutar o grito da terra e o grito  dos pobres, que são os que mais sofrem pelos desequilíbrios ecológicos.
Finalmente, e como de costume, Francisco saudou também os fiéis e peregrinos de língua oficial portuguesa presentes na Praça de S. Pedro:

Queridos peregrinos de língua portuguesa, disse, sede bem-vindos! A todos vós saúdo, especialmente aos membros da Associação Chapecoense de Futebol e aos alunos tanto do Colégio de São Paulo como do Colégio Pio Brasileiro de Roma, desejando-vos de prosperar na sabedoria que vem de Deus, a fim de que, tornados peritos das coisas de Deus, possais comunicar aos outros a sua doçura e o seu amor. Desça, sobre vós e as vossas famílias, a abundância das suas bênçãos.


RADIOVATICANA.VA

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

DIA DO CATEQUISTA: O DESAFIO DE SER CATEQUISTA NO TERCEIRO MILÊNIO


Chega mais um “Dia do Catequista”! E desta vez, vivendo como nunca, uma “mudança de época”, onde os paradigmas que nos sustentavam em nossa maneira de pensar, valorar e relacionar-nos tem sido questionados e substituídos por outros, criando em todos uma sensação de insegurança, instabilidade, desorientação, questionamento e crise.

A catequese enfrenta novos desafios, ocasionados, sobretudo, pelo desgate dos modelos de evangelização que vem sendo usados. O catequista é convocado a repensar um novo projeto de evangelização que leve em conta as necessidades atuais das pessoas, suas carências e projetos pessoais. E esta “convocação” pede que se faça uma leitura crítica e esperançosa dos aspectos que incidem de maneira direta na transmissão da fé, a fim de encontrar novas formas que nos permitam levar a Boa Nova a todos, seja no mundo real ou “virtual”.

Vários fatores precisam ser analisados e refletidos: começando pela nova cultura de uma sociedade que promove a visão de felicidade sem a presença de Deus. Somado a isso, uma pluralidade de ideias e pensamentos privilegia o relativismo e relega a vivência cristã ao plano íntimo e pessoal. E, na catequese, vemos o questionamento a respeito da densidade e profundidade dos conteúdos e práticas, que fazem do ato cateuqético um evento social superficial não precedido de conversão e que não conduz à vivência comunitária. Mais do que nunca é preciso uma mudança de paradigma, que nos leve a enfrentar o desafio de testemunhar com nossa vida que seguir Jesus em comunidade é exigente, mas, também, provoca uma alegria que é duradoura. É possível, porque a “presença” na vida uns dos outros, ainda é necessária.

O mundo e a vida das pessoas vem mudando de forma cada vez mais rápida. E essa rapidez pode levar a perda daquilo que temos de mais precioso: nossa identidade como cristãos.

Entre tantos fatores, a questão do exôdo também precisa ser levada em conta. Muitas pessoas buscam em outros lugares, que não os de origem, novas oportunidades de emprego e estudo, assim perde-se os valores e costumes culturais e religiosos. Amplia-se o universo próprio com novas formas de viver e de relacionar-se. Mas, desprender-se do que era conhecido leva a necessidade do encontro e essa necessidade precisa encontrar amparo em novas comunidades eclesiais, que precisam ser acolhedores e solidárias. Aliado a isso temos a globalização, que nos leva a sermos cidadãos do mundo e a enfrentarmos os efeitos disso no campo econômico e também missionário. Nunca as distâncias forma tão “curtas” e ao mesmo tempo, quase intransponíveis. A economia gera exclusão e desigualdade e pode aprofundar a separação entre as pessoas.

Os avanços tecnológicos, nesta nova era, proporcionaram ao ser humano um novo continente: o mundo digital. Novo espaço de “pertença” e “endereço”, as redes sociais passaram a ser uma extensão da vida de muitas pessoas. E o catequista, além de aproveitar este universo como fonte de informação, precisa usar este novo espaço como lugar de interação. Nossos catequizandos desenvolveram habilidades que lhes permitem fazer da internet sua casa e lugar de encontro, onde expressam seus sentimentos, desenvolvem suas ideias, muito mais do que no mundo “real”. E isso chegou a uma proporção tão grande que já nem podemos considerar as redes como mundo “virtual”, pois as pessoas realmente, passaram a EXISTIR nele. Já não há mais separação entre o que é real e o que seria virtual. Pessoas não têm contato físico, mas, se conectam por cabos, fios, redes e satélites, etc., sendo tão presentes na vida um do outro, quanto se estivessem ao lado fisicamente.

É um desafio para a catequese de hoje, incorporar as novas linguagens e oferecer a Boa Nova de Jesus aos que atravessam estes mundos. Temos o desafio de discernir quais conteúdos e métodos utilizar para acompanhar os processos de Iniciação cristã, nestes novos espaços, correndo o risco de, se não o fizermos, ficarmos para trás e, definitivamente, sem acesso às nossas crianças e jovens.

Por isso, convidamos nossos catequistas a “perceber” este desafio, a contemplar a realidade onde vivem discernindo qual é a melhor maneira de ainda ser “presente” na vida dos nossos catequizandos, mesmo sendo, talvez, uma presença mais nos meios digitais do que no meio físico.

Acompanhe alguns testemunhos...

Maurício, como é ser catequista neste novo milênio?

Estamos na era digital. A catequese não pode "ficar de fora desta". O catequista, consciente de seu chamado, precisa ser alguém que saiba usar bem as redes sociais, atento ao que posta, curte e comenta. Tudo está sendo observado para depois, no encontro, os catequizandos analisarem se é coerente o que o catequista faz e fala. Para evangelizar por meio das redes sociais e, também, para manter um contato "mais próximo" com eles, criei um grupo no whatsapp. Também criei um grupo com os pais, lá eu os informo das atividades dos encontros e, também, passo informações de interesse deles. Mas, tudo isto só surge efeito, se o catequista for alguém de fácil proximidade, alguém que acolhe e se mostra amigo, tanto das crianças, quanto dos jovens, adultos e dos pais. Nunca podemos ser professores.


Mauricio Fernandes – catequista de Crisma na Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus. Cidade: Cerqueira César- SP.


Nilva, como é ser catequista no mundo de hoje?

Hoje o páreo é difícil, e não só pela tecnologia avançada onde as crianças sabem mais que nós Catequistas lidar com todos esses avanços pois já nasceram dentro de tudo isso. Os pais por mais que sabem que é importante a intimidade com Deus não conseguem transmitir isso para seus filhos, então terceirizam para nós Catequistas. Se formos olhar só com a razão diria que já perdemos essa batalha. Mas prefiro olhar com a fé que tenho na Palavra de Deus, onde Jesus diz:(Mateus 16,18): "Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja e as portas do inferno nunca prevalecerão sobre ela." Por isso confio que nós homens deste milênio seremos inspirados pelo Espírito Santo de Deus para acharmos uma solução sim!

Nilva Mazzer tem 56 anos e é catequista há 8 anos – Coordenadora de Catequese em Maringá – Paraná, na Paróquia São José Operário. Além de ser catequista, Nilva também atua nas redes sociais sendo uma das Administradoras do Grupo Catequistas em Formação há cinco anos.




Zanja, como é ser catequista hoje, com tantas redes sociais disponíveis?

Acho que independente da era digital, o que é realmente importante é o contato com essas crianças, o acolhimento,um beijo, um abraço, ouvir o que eles tem a dizer sobre sua vida, sua família, isso faz com que tenhamos afinidade e confiança entre catequista e catequizando e, assim, podemos chegar verdadeiramente aos coraçõezinhos deles. Muitas crianças encontram em nós catequistas um afago, um carinho que muitas vezes não encontram em suas casas. Às vezes, um bom bate-papo vale mais que qualquer encontro muito bem elaborado.

Zanja Barros -  Hortolândia São Paulo - Paróquia Nossa Senhora Aparecida - Comunidade São Francisco Xavier. Catequista há mais ou menos 4 anos, tem 48 anos.



Jucelina, qual é o caminho para a catequese hoje, na era digital?

Penso que a ponte que permite o encontro entre Deus que busca e o ser humano, que se deixa encontrar, é a fé. Ela é que marca o encontro como acontecimento, uma revelação, um chamado a missão. Dai surge a necessidade do testemunho, para que sejamos capazes de gerar modelos culturais alternativos para a sociedade atual. Sabemos que os canais de comunicação, a familia, a comunidde, todos estão sendo a todo momento bombardeados por questões que desafiam a fé, a ética a esperança, precisamos estar de tal modo familiarizado com a palavra de Deus e com o Deus da palavra que mesmo abalado pelas pressões continuemos solidamente firmado em Cristo Jesus. E por nosso testemunho convertamos os corações que nos questionam. Não podemos esquecer que o caminho para evangelização é a proclamação da palavra que nos impele ao compromisso social e a promoção dos valores autenticamente humanos. Ela gera uma conversão e uma alegria não superficial mas, aquela que brota da certeza que só o Senhor Jesus tem palavra de vida eterna.Esse é o nosso caminho e nossa missão.

Jucelina Morais -  Itumbiara - Goiás - Paróquia São Pedro e São Paulo , Catequista na comunidade há 15 anos, tem 48 anos.



Rafael, como é ser catequista no terceiro milênio?

Existe uma palavra para responder como é ser um catequista neste milênio, considero que é: DESAFIO! Vivenciar sua fé cristã é difícil, mas não impossível. Penso que devemos conhecer nossos catequizandos, saber quem são, com quem vivem, conhecer suas famílias, ou seja, devemos ser amigos, vivenciar momentos cotidianos com eles, deixá-los próximos e é isso que procuro fazer. Criar uma amizade profunda, pois é uma das melhores formas de convidar eles a participar da comunidade. Utilizo de datas importantes, como o Natal, Corpus-Christi, e outras para fazê-los participar e sentir as alegrias e até mesmo as dificuldades do que é ser comunidade. Em questões tecnologias, não tenho uma dificuldade em relação ao seu uso, pelo contrário, tenho muita facilidade e procuro sempre que possível utilizar desses recursos tecnológicos para contribuir com meus encontros de crisma, deixando-os mais interessantes e atrativos. Uso dos meios de comunicação para interagir mais com meus crismandos e seus responsáveis, por meio de um grupo do WhatsApp. Conversamos, interagimos, passo recados aos responsáveis e até mesmo crio “brincadeiras dentro do grupo”, o primeiro que responde a uma pergunta corretamente ganha um brinde, que é entregue no encontro. Procuro ser exemplo, pensando 2 vezes antes de utilizar de redes sociais para fazer alguma publicação, imagino que esse local não é apropriado para se expor de forma íntima, constrangedora, não deve ser utilizado para falar mal das pessoas, fazer fofocas. Temos que ter SABEDORIA, analisarmos antes se aquela notícia espetacular e sensacionalista é verdadeira, se aquela mensagem realmente foi feita pelo Papa Francisco ou a pessoa que está relacionada ali, e claro, jamais, fazer uso de correntes. A realidade é que na maioria dos catequizandos não existe o apoio das famílias como antes, temos que fazer o impossível para aproxima-los da vida Cristã. A catequese tem que ser feita para levar os catequizandos para um verdadeiro encontro com Jesus, como propõe a catequese do início da igreja, ainda que na medida do possível tenha algumas adaptações para a realidade de cada paroquia. É necessário muito preparo do catequista, realizar constante formação para transformar o ensino em mistagogia, utilizando de linguagem dos símbolos, ritos e celebrações. É importante não perder o foco, sendo este a BÍBLIA, que por mais tecnologias que existam, é nosso alicerce, o que nos mantem e sustenta neste caminho: a PALAVRA sempre deverá ser centro de toda a catequese!

RAFAEL MONZANI – Marapoama SP, Paróquia divino Espírito Santo. Tem 25 anos,  catequista a seis anos.



Ângela Rocha
Catequistas em Formação

FONTES DE APOIO:

CELAM. A Alegria de iniciar discípulos missionários na mudança de época. Brasília: Edições CNBB, 2016.
CNBB. Iniciação à Vida Cristã: Itinerário para formar discípulos Missionários. Documento 107. Brasília: Edições CNBB, 2017.

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

HOMILIA: 21º DOMINGO DO TEMPO COMUM

                     “QUEM DIZEM OS HOMENS SER O FILHO DO HOMEM?” 

Jesus perguntou aos discípulos e pergunta a cada um de nós. Pedro disse: “Tu é o messias!” E nós, que respostas daremos? “Você é meu amigo, Você é aquele que me ajuda no momento de dor, Você é o meu alento, Você é aquele que me perdoa, aquele que está presente na Eucaristia”. 

São muitas respostas, porque Jesus é diferente em cada situação de nossa vida. O importante é que nossa resposta não saia pronta porque memorizamos uma fórmula do catecismo, mas a partir de nossa experiência. 

É no dia a dia, que descobrimos qual o significado da pessoa de Jesus. Pedro respondeu corretamente, a catequista daria parabéns a ele. Mas qual era a experiência que ele tinha de Messias? Um homem que veio para governar com poder e força, ou seja, Pedro não entendia o que estava dizendo. Isso porque Jesus não se enquadrava nesta imagem de Messias. Por isso, veremos na sequência do Evangelho, que Pedro teve que aprender quem era Jesus, verdadeiramente.

Também nós podemos ter um Jesus ao nosso gosto, longe do Jesus que se apresenta no Evangelho. É preciso que acolhamos este homem verdadeiro que amou e ama a ponto de dar a vida… 

Quem é Jesus para nós? Neste fim de semana, em todas as comunidades do Santuário São José, teremos a entrega do Credo. Os catequizandos da terceira etapa professarão a sua fé e receberão o pergaminho com a fórmula antiga que remonta a Igreja dos primeiros séculos. Para que tal gesto signifique é preciso que nossas comunidades sejam fervorosas em sua fé. A fé se transmite por “contagio”. Não como um vírus, mas como uma coisa boa que edifica a vida. Não queremos que nossos catequizandos saibam dizer quem é Jesus porque decoraram uma frase da Bíblia ou de um livro. 

Queremos que eles tenham no coração o amor de Jesus e creiam que só Ele é a razão da vida. 

Pe. Roberto Nentwig



DIGA LÁ...



Ângela Rocha ... o melhor caminho que já escolhi percorrer. Ainda acreditar que tudo é possível, mesmo que as coisas sejam todas contrárias. Não perder nunca a fé em si mesmo e nas pessoas ao seu redor.

Nilva Mazzer ...ser alguém que leva a palavra de Deus a outras pessoas!

Andréa Canassa É assumir com paixão a missão que Jesus nos confiou.

Bruna Basílio Ser instrumento dócil nas mãos de Deus para levar os que nos são confiados a ter um encontro com Ele!

Regiana Oliveira E regar plantinhas e muitas vezes até árvores.

wagner Campos Galeto Ser catequista é ser como uma rosa, bela que traz uma mensagem de alegria e amor, mas, é também ser uma bigorna que toma marteladas e permanece firme  e inabalável.

Mari E Reginaldo ... A missão para qual me sinto escolhida e minha resposta é SIM!

Selma Aparecida Pires Iasbik Ser instrumento nas mãos de Deus para fazer ecoar Sua Palavra.

Helena Marcolino Torres Anunciar a fé nas promessas divinas.

Rose Coppi Anunciar a boa nova.

Paulo Sérgio Alves Júnior ... a oportunidade de praticamos a conversão diária e ser instrumento de Deus para espalhar a Boa Nova.

Cida Landin Evangelizar com amor.

Nice Ribeiro Levar a outras pessoas o amor que eu tenho por Jesus. E fazer com que também façam essa experiência.

Arlete Cândido Maia Doar-se com amor a sua missão.

Cássia Cestaro Montilha ... Ser portador da luz de Cristo, que ilumina a vida de tantas pessoas que precisam de amor, acolhida, ternura!!! É Vocação!!! É Missão!!! amo ser catequista!!! 

Janaina Penteado É exercer o meu BATISMO. Ser o Sal da terra como o Pai me pede. Mesmo que eu falhe Ele estará a meu lado para me mostrar o caminho certo.

Sol Soliane É este anúncio... Formação ... Celebração ... Comunhão e Testemunho... Ir anunciar sem medo ser mártir.

Patrícia Ferreira Leite Franceschini É semear a boa semente.

Carmem Lucia Marques É pegar o catequizando pela mão e levar ao encontro pessoal com Jesus.

Erika Caetano Semear as sementes em abundância em todos os terrenos.

Cátia Salles Não entender porque Jesus continua te abençoando com os pequeninos que ele sempre manda para você. Falar de Jesus é uma benção!

Fernanda Strucks Ser instrumento nas mãos do Criador.

Iolanda Tomazini Semear! Liturgia de hoje...

Rosana Lima da Silva É ser um instrumento nas mãos do Senhor...

MariaCida Monteiro É a semente que caiu em terra boa.

Marcia Dos Anjos Uma longa caminhada semeando e colhendo.

Rosana Sobreira É ser convidada a ser discípulo e se sentir feliz por fazer parte de algo tão grandioso...

Rogério Bellini Se Catequese é fazer ecoar e conduzir pela mão, o catequista é um comunicador de Deus e companheiro de viagem na caminhada da fé.

Helena Aparecida Sansonovski Ser instrumento nas mãos de Deus ,para evangelizar nossas ovelhinhas.

Carmen Bueno Heron Oliveira Um presente de Deus.

Gildete Flores Ribeiro Lima Ser catequista.... Amar o próximo e mostrar quão grande é o amor de Deus por nós...

Daniely Fonte Ser abençoada com um dom divino de semear Jesus no coração dos pequeninos.

Penha Amadeu Ser sal e luz!

Solange Ribeiro Queiroz Levar Jesus Cristo ao outro com amor e alegria.

Rejane Amaral É ser, mais do que ter, é dar mais do que tem, é aprender mais que ensinar, é dar graças a Deus por um dom que só aumenta se doarmos mais.

Mariza Das Graças Freitas Vieira É ser semeador, é ser convidado a ser discípulos de Jesus, é levar a boa nova.

Cristiani Barros Ser a voz a transmitir a O Amor!

Sandra Voskelis É semear para que cresçam frutos bons e ajudar a criar um mundo melhor, com pessoas de bem e que aprendam desde cedo o maior dos mandamentos: amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo.

Cleide Maciel ... é amar Jesus, é querer que todos o conheçam e sintam esse amor.

Rosilene Luna .....Minha melhor escolha

Susana Lara Souza ANÚNCIO.

Rosana Priscila É exercer o que Deus nos proporcionou... que é a missão de ser catequista... ser catequista é você ensinar as crianças sobre Deus e Nossa Senhora.

Rosa Lucena Fazer ecoar a Palavra de Deus em todo lugar.

Adriana Bragion É a cada encontro, mais do que ensinar, aprender as coisas de Jesus. APREENDER MESMO....deixar se transformar para poder semear.

Carolina Lemos Ser Catequista é levar nossos catequizandos ao encontro do MESTRE JESUS e através dos catequizandos chegar a toda sua Família.

Lucilene De Souza Jardim É ser profeta, enxergar além, garimpar a presença de Deus nas labutas humanas, apontar com segurança, criatividade e ousadia o Caminho que nos leva ao Pai. Enfim, ser catequista é, acima de tudo, ser “ser-humano” obediente ao projeto do Pai, ser cristão consciente de sua missão de espalhar a Boa Nova do Reino a todas as criaturas.

Shirley Borges É Com amor colocar a serviço do irmão o chamado feito por Deus ao nosso coração.

Vanusa Nodari Luz na vida dos catequizandos. Ser o semeador.

Josi Silva Amar o próximo

Zanja Barros " é, acima de tudo, ser “ser-humano” obediente ao projeto do Pai, ser cristão consciente de sua missão de espalhar a Boa Nova do Reino a todas as criaturas."

Gildete Gomes P. Mendes Um chamado de Deus..

Fausta Regina Paz É ser comunicador do Amor!!!!É plantar sementes....É receber mais do que se doar...simplesmente amo!!!

Lourdinha Chaves Vivenciar a graça do encontro!

Fernanda Focosi Ser transmissora do evangelho de Jesus

Rita Melo É amar incondicionalmente o próximo, para que ele possa conhecer Jesus.

Edna Santos Ser catequista é estar em constante aprendizado e falar de jesus com os catequizandos é inexplicável...é vivenciar o doce amor de jesus!!!

Clenildes Santos Pereira Santos Se doar e ser um semeador constante.

Carmem Almeida Semear a palavra em terrenos fecundos. Corações ansiosos em conhecer Jesus.

Luzia Helena Rosa Borges .... Ser missionária sendo discípula de Jesus.

Nete Cassaro ... dizer: "Eis-me aqui Senhor"...

Maria José Lopes Guarçoni O Catequista é um mensageiro da Fé Cristã! Leva a todos a mensagem de Jesus e quem foi e é Jesus!

Sueli Ligieri Ter o privilégio de conhecer Jesus e dar esse prazer aos outros também. É viver a nova vida e mostrar o quão maravilhoso é você se entregar e viver a missão que Deus lhe confiou, ensinando e mostrando o grande amor Dele por nós.

Arcibelia Geronimo É cumprir uma missão a qual fomos chamados e aceitamos de livre e espontânea vontade sem olhar ou medir esforços em prol do próximo para levar ensinamentos ou aprendizados a quem procura por esses métodos de ensinos, pois catequista não só ensina como também aprende. Ser catequista é viver em união aprendendo e ensinando vivenciando o Evangelho e a missão que recebemos de Deus para ajudar o próximo.

Tarlene Pires de Oliveira É ser um lápis nas mãos do Senhor! Como dizia Santa Teresa de Calcutá. É deixar o Espírito Santo de conduzir e por meio de você transformar a vida do próximo, é um dom, é uma vocação, é uma missão!!! Eu sou apaixonada pela Catequese!!!!

IvanildaSilva Dos Santos Pinto ...E saber cultivar o próximo. É saber cultivar a terra com amor e lançar a semente para dar bons frutos!..isso é os corações.

Silvaneide Costa Anunciador ( a ) do Reino de Deus. Operaria na messe.

Heloisa Amorim É ser discípula de Jesus! É seguir seu chamado com td amor.

Cícera Pereira É responder o chamado de Deus, assumindo a missão.

Cristina Oliveira Ser catequista é semear a esperança com gestos e palavras, e leva-las a todas as pessoas!

Josane Ferreira É ser exemplo de Amor na vida do outro, evangelizar com sabedoria, Paciência.

Luiza Maia Ser catequista é uma vocação é viver com fidelidade o chamado de Deus e receber Jesus e dá-lo por inteiro como dom.

Margaret Severino Pereira Amar com todo o coração com todo o ser, viver, sentir, partilhar esse amor que nos define!

Maria Helena Pereira Andrade É querer que o mundo conheça a "paz que excede todo entendimento". É também se angustiar, achando que não vai dar conta da missão e falar pra Deus, me perdoa Senhor, pois quem faz a obra é o Espírito Santo e eu tenho que crer que tudo vai dar certo!

Ilca Gesselaine Munaretti da Costa Ser um discípulo de Jesus, foi o melhor acontecimento para mim. Amo demais SER catequista..

Maria Márcia Almeida SER Catequista é fazer ecoar a Boa Notícia e testemunhar Jesus Cristo em nossa vida e ajudar a cuidar da criação de Deus. O cuidado com a vida dos nossos irmãos.

Deise Tripodi É aquele chamado a apresentar o amor de Deus e a vivenciar a alegria de servir.

Catequista Eliane Strassacappa Aprender em cada encontro...Amar como Jesus amou quando ...

Vanderlice Monteiro Anunciar aos pequenos o evangelho do senhor

Fatima Medeiros É acreditar que Deus conta comigo

Maria Angela Guenka Ser catequista é testemunhar Jesus e seu reino !

Elma De Oliveira E ser discípulo de Deus. IDE ao mundo e anunciai o evangelho a todas as criaturas.

Dilnar De Sá Amar a Deus, acreditar no que diz, no que faz e principalmente ter um amor muito grande pela missão.

Rose Argolo Deixando o termo técnico de lado, eu digo: ser catequista é deixar de ser eu para ser como Cristo.

Marilene Brito É ser colaborador em favor do Reino de Deus.

Sonia Macario Ser o evangelho que o outro nunca ouviu falar!

Francilda Vieira A mais linda missão.

Cleusa Soler É uma experiência única, na qual você se enche de alegria, chora, se decepciona, alcança objetivos e muitas vezes o que acontece você não fica sabendo. Você não colhe os frutos, mas saber que você faz parte desse reino... ide pelo mundo e pregai o evangelho!! Nos abastece sempre!!!

Regina Cassel Ser Catequista é crer sem ver! É acolher com muito amor e ter uma ligação constante com Jesus.

Alânia Barbosa Meu melhor presente de Deushttps://static.xx.fbcdn.net/images/emoji.php/v9/f82/1.5/16/263a.png

Cida Santos Ser missionária, levar a palavra de Deus a todo canto do mundo não só na catequese mas, em casa, no trabalho, na escola etc. É dar testemunho de vida.

Maria Amélia Silveira Martins Saber doar-se sem olhar ao que e a quem.

Silvana Domingos da Silva Ser catequista é estar em missão.


Olgair De Araujo Cahin ser ... catequista é levar o evangelho a todos com amor e esperança.

Rosa Maria Lancellotti Educar na fé a todos, sem exceção!

Vercilene De Moura Duarte Ser perseverante diante dos obstáculos dessa missão.

Rosangela Aparecida Dos Santos Ser missionária, e espalhar a boa nova. Mostrar como é maravilhoso seguir os passos de Jesus.

Jaquelaine Motta Mudança de vida. É amar e ser amado, é doar e receber muito amor e gratidão em troca. É sentir ainda mais próximo de Jesus. Amo ser catequista.

Rosa Angelica ser missionário, anunciar Jesus com amor e muita fé, fazer a experiência de Maria.

Deusa Abreu E doar com amor os ensinamentos que de graças recebemos e de graça devemos partilhar, por isso ser catequista é tudo isso e muito amor!!

Lara Lopes Um SIM verdadeira de encontro com a verdadeira Alegria...

Vanessa Ribeiro É ir muito além da vocação, ir muito além de participar de uma pastoral.. É muito mais q dom.... É estar a um passo de Deus, conduzindo pessoas até o Seu filho Jesus. É amor!

Maria Vanda Melhor parte da minha vida e quando estou falando das maravilhas de Deus e Jesus o seu filho!

Silvana Carmona Rapsan da Silva Fazer ecoar a palavra de Deus...

Marcia Gervazi É atender ao chamado de um Deus amor e misericórdia.

Juliana Bellozo Ser catequista é ser eco da Palavra de Deus não só para nossos catequizandos mas, onde passarmos !

Reginaldo Borelli Se encontrar todos os dias com Jesus e mostrar aos nossos catequizandos a alegria desse encontro mesmo quando vivemos em uma tempestade.

Meire Silva Almeida É saber levar com alegria os ensinamentos de Jesus e fazer disso nossa missão de vida

Rosimeiry Costa É você dizer sim ao chamado de Deus. É uma experiência única, que por mais que você tente explicar é inexplicável. Amo.

Angela Souza Ser alguém que ama o próximo e quer levar Jesus na vida das pessoas. Ver Jesus no irmão.

Evanilda Miranda Cordeiro Ser instrumento de Deus em todos os momentos...

Suely Barbosa É aprender, é buscar é viver a cada dia um pouquinho do amor de Deus no sorriso de cada criança que partilha conosco a Palavra , o abraço fraterno.

Gorete Aquino ... ser semeador, semear e cuidar para que a semente cresça e produza copiosos frutos. Levar todos a vivenciarem o grande amor de Deus para conosco. É amar cada catequizando como se fosse seu filho.

Maria Jesus Gonçalves E espalhar sementes em terra boa. Fazer crescer arvores de frutos bons para germinar mais sementes para todos lugares.

Cleia Azize Aprender a amar mais a Deus a cada dia e continuar e evangelizar pois evangelizar é preciso e urgente.

Fatima Guedes Ser catequista em primeiro lugar tem que ter quatro plantas bem em enraizadas no coração:  1- amor, 2 – FÉ, 3 – humildadade, 4 – caridade e muito mais. Amor ao nosso Criador nem se comenta porque a catequista que não tem, pode ser tudo menos catequista.

Ana Maria A alegria de espalhar a palavra e servir de exemplo praticando-a alegremente, tendo fé, o que nos ajuda a ultrapassar os obstáculos e até mesmo os limites de nós mesmo, acabando por fazer o impensável sendo guiados pelo amor de Deus.

Erica Vieira missionário de cristo.

Helenildes S. Freitas Perrone Amar como Jesus amou!

Sandra Schmidt ... é ser luz no caminho de muitos.

Sylvia Helena M. Vieira Mardegan Ser catequista é um Dom, é uma missão é amor.

Maria Helena Moreira Ser catequista é fazer nascer no coração do outro o amor por Jesus, e semear com alegria seus ensinamentos para produzir bons frutos!

Carla Mv Oliveira Amar sem medida.

Mari Rodrigues Tudo de bom! Amoooooooooo...

Rita Talione  É uma doação de amor. Aprendemos mais do que ensinados. Não tem preço. Ser catequista é maravilhoso. Uma experiência sem igual.

M Penha Antunes Amar simplesmente Amar.

Isabel De Pin Ser catequista é buscar é aprender é doar-se totalmente ao semelhante.

Marlene Mendes ...Ser missionário.

Suelly Borges Amar como Jesus amou.

Luiza Lopes Ros Uma caminhada linda ,meu tudo onde jamais penso e desistir de seguir os passos do mestre.

Mirtes Medeiros Doação de tempo e amor!

Selma Costa Santa Rosa Fazer com que as pessoas conheçam Jesus e caminhem com Ele!

Patrícia Garcia Ser reflexo de mãe...Maria!

Iara Silva Se doar de coração sem pensar em você...só naqueles rostinhos em sua frente..

Maria De Carmen Zermiani Bogo Dizer sim ao chamado de Deus.

Mauricio Fernandes ... ser alguém consciente de que foi chamado por Cristo para anunciar o evangelho aonde Ele enviar, certo de que Ele vai conosco.

Andreia Antunes Colocar nossos dons a serviço, contribuindo assim com a construção do Reino de Deus.

Mônica Marques Saber que dificuldades teremos sempre, mas o Senhor que nos convidou a essa missão nos capacitará sempre.

Rosilene Lana Responder ao chamado de Deus, pedindo sempre a graça da generosidade para ser comprometido no serviço.

Marilene Fernandes Rodrigues Doar um pouco do seu tempo a serviço de Deus.

Maria Valdinete Dias é levar o Evangelho de Jesus Cristo com muito Amor aos pequeninos.

Jucilea Maria O melhor presente que Deus nos dá.

Elenir Melo É minha vida

Palmira Niseia Braz Muito bom, é gratificante pode passar a mensagem de Deus aos pequenos.

Suzana Lossurdo É aquele ser que fala sobre Deus aos filhos dos pais que não sabem como fazê-lo. Ser catequista é compromisso, missão, amor, paciência, alegria, tristeza. Ser catequista é ser você, só que bem melhorado.

Jaçi Lima Colocar os nossos dons em serviço! Amar, semear a palavra de Deus no coração de cada pequenino, até alcançar o coração.

Maria Cecilia Teixeira Dias Medeiros É anunciar Jesus com amor e alegria... Buscando sempre aprender...

Angela Maria Chaves Zambuzzi Plantar a sementinha do amor de deus nos corações. Dadiva de Deus. Amoooo!

Marcia Diz Machado Se doar para levar a palavra e o Amor de Deus a quem precisa.

Neusa Bernardes Sala A melhor escolha que eu já fiz amo.

Angela Maria Semear o amor.

Jeniffer Batista Uma linda e importante missão!

Simara Aguiar Avelino doação, querer apresentar Jesus a tantos que precisam, inseri-los nos verdadeiro caminhos, amar a igreja Jesus Maria, é ser amor e amar o outro como se fosse seu próprio filho.

Catharina Russo Pessoa que testemunha sua fé, engajada na comunidade ,aberta e sensível aos problemas da humanidade, autêntica, sincera, não vive apenas por si e para si, mas por Deus e em Deus. Faz ecoar o conteúdo da Catequese, priorizando sempre o Catequizando, conduzindo-o a uma experiência de Jesus Cristo e a uma adesão madura a Ele. Ser Catequista é uma resposta generosa ao chamamento de Deus!

Neusa Gluchowski É se doar sem medida.

Carina Ramos Ser Catequista é amar a Deus sem medida, amar de todo o coração, de toda a alma... Um amor tão grande, que não cabe dentro de nós e por isso é preciso espalhar pelo mundo. Ser catequista é querer que o outro conheça o bem, a felicidade, é querer que o outro faça a experiência da intimidade e sinta o quanto é bom, o quanto nos faz bem...Ser catequista é atender o chamado, sem olhar para trás e descobrir que Ele é o único caminho, a verdade e a vida, a vida em essência...Ser catequista é amar o outro, é doar-se a Deus para que se faça a Sua vontade, é deixar-se ser moldado pelas mãos do Senhor... É encantar-se com o sorriso dos pequenos, é ser feliz por espalhar o amor, é ser feliz por ver a alegria das crianças no encontro com o nosso Deus.. Ah! ...Ser catequista, é ser discípulo, é ser testemunha do amor ...Ser catequista é ser bom, é ser humilde, é compreender o outro, é a busca constante para nos tornar melhores para os outros, é aprender todos os dias um pouco mais sobre Deus, estudar, buscar a sabedoria incansavelmente... É querer ser luz, ser paz... É entregar sua vida para o bem do próximo...Sem dúvida, ser catequista é amar, amar o Amor... É ser feliz por ser instrumento nas mãos do Autor, do grande Amor.

Elenilda Policarpo Amar a missão e viver segundo os ensinamentos de Cristo.

Kelly Cristine É aceitar de coração apaixonado, a unção do espírito Santos em nossas vida, para evangelizar a todos e em todo lugar...

Lúcia Marta de Lira é plantar uma sementinha a espera de colher bons frutos.

Maria Zilda Moraes é "amar por primeiro"...ir até o outro e lançar a semente...

Jeane Roepke "É ser semeador. Acreditando e plantando com a certeza de que mesmo a longo prazo a semente germinará. "

Silvana Chavenco Santini Semear a boa semente em todos os terrenos que encontrarmos...

Dino Iza Ser um semeador, um mensageiro da palavra de Deus...e colocar toda sua vida a serviço da igreja e deixar que o Espírito Santo te direcione.

Raquel Angela Carissimi Ser catequista é ajudar cada pequenino cuidar da sementinha do bem que já carrega no coração. É falar de vida, respeito, compromisso, perdão, AMOR, ser catequista é falar de Deus.

Sol Soliane É aquela q trabalha pela palavra, é aquele que deixa trabalhar pela palavra.

Gizelia Ferreira Nós aqui costumamos dizer, muita doação sem pedir nada em troca.

Rosa Maria Dias Um chamado inexplicável do senhor uma caminhada com muitos aprendizados e descobertas, Um dom do Espírito Santo.

Luiza Baladore Ser Catequista é fazer Jesus conhecido para ser Amado.

Vera Lucia Correa S Siqueira Dar testemunho de Jesus Cristo e sua Igreja no mundo.

Renata Ferreira Da Silva Nata é ensinar ,divulgar a vida de deus e seus ensinamentos para aqueles que tem sede de conhecimento da palavra.

Cleci Fachi Encantar e ser encantada pela pedagogia do grande Mestre Jesus.


Ana Cristina Lamberg Coopera com plano de Deus aqui na terra!

Daniela Aguila Amar tanto o que Jesus ensina, sentir o Amor dele e não conseguir guardar só dentro de si!

Leila Lima Ser catequista e como ser mãe... é padecer no paraíso. Kkkkkk amo ser catequista.

Maria Jesus Gonçalves Ser missionária de Jesus e fazer o chamado da Boa Nova.

Arcibelia Geronimo Aceitar desafios! Sair e catequizar quem precisa ser catequizado adultos ou criança! É ser igreja missionária!!! É cumprir um chamado de Deus sem medir consequência! É espalhar amor em todo lugar em que foi enviado. É viver e ser misericórdia todo tempo.

Ines Aparecida Poupe discípulo de Jesus...

Adeilton Santos É ser portador da palavra de Deus e está a serviço do Reino de Deus.

Ivone Passeri ... a alegria de viver e anunciar o evangelho.

Gloria Pessi É se esvaziar de si mesma e encher da graça de Deus e ser testemunha de seu reino.

Antonia Emilia Dedicar sua vida aos irmãos...em nome de Jesus Cristo..

Sandra De Souza Schuincki Ter vocação e responder com amor e responsabilidade a esse chamado.

Iara Silva Se doar com muito amor ,em tudo que fizer...

Miracy Mota Queiroz Ser fiel ao chamado e a vocação, doação, amor dedicação compromisso, ser verdadeiramente uma catequista que dá bons testemunhos e exemplos do que faz e vive.

Maria De Carmen Zermiani Bogo Ser catequista é achar o melhor de mim e ver que apesar de tudo ainda vale muito apena compartilhar um pouco com nossos jovens.

Adriana Zambillo Mostrar através de exemplos e palavras a necessidade de conhecer o amor de Jesus por todos nós

Sandra Voskelis Acreditar que pode contribuir com o futuro... plantar, amar, somar

Fatima Medeiros É remar contra a maré, é dá testemunho com a própria vida, é amar o CRISTO na pessoa do catequisando.

Ivone Regina Bazanella Araujo ...é levar a Palavra de Deus com alegria, com entusiasmo, ...é mostrar um Deus que é puro Amor e Misericórdia falando de coração aberto, com sinceridade nas palavras e no olhar ....é demostrar esse encantamento, essa paixão por Jesus, que aquece o peito e faz brilhar a esperança.

Sonia Maria Sartori Tudo de bom, maravilhoso amooooo!

Luciene Chaves É descobrir Jesus em cada criança

Marcia Gervazi É ser discípula e missionária de um Deus amor e misericórdia.

Alânia Barbosa Meu maior tesouro.

Sueli Ligieri Amar primeiro a Jesus e levá-lo aos outros com todo amor que existe, que exala, que transborda.

Maria Do Carmo Bertoldo É levar os ensinamentos de Jesus as crianças

Marilucia Carvalho E sentir o coração arder quando Ele fala e explica as escrituras.

Marilene Brito É agradecer a Deus pela vida  .É servir com alegria.


Contribuições do Grupo Catequistas em formação!


SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO