quarta-feira, 25 de julho de 2018

QUAL A DIFERENÇA DO DÍZIMO E DA OFERTA? E QUAL A FINALIDADE, DESTINAÇÃO, DE CADA UM DELES?

 
O Dízimo é uma contribuição comprometida com sua comunidade que precisa ser feita periodicamente, normalmente, uma vez ao mês, conforme as condições de cada fiel. É um exercício de doação e partilha em que o cristão se mostra disponível a cuidar das dimensões religiosa, social e missionária.

Já a Oferta é algo que se dá além do dízimo, é uma entrega sem compromisso que podemos fazer em qualquer igreja, sem necessariamente ter uma periodicidade. Além da contribuição financeira, ela também pode ser feita por meio de doação de alimentos, materiais, roupas, entre outras coisas. É uma doação a mais que podemos fazer espontaneamente para auxiliar determinada igreja e até mesmo os irmãos mais necessitados que frequentam a comunidade.

Biblicamente falando, o dízimo são os primeiros 10% de tudo o que recebemos e de tudo o que nos vem às mãos e que devemos, pelas leis bíblicas, dar a Deus. A oferta é diferente, pois não existe nenhuma obrigação por parte do fiel. Ela é feita de livre e espontânea vontade. No dízimo, Deus vê a nossa fidelidade para com Ele; na oferta, o nosso amor e a nossa dedicação à Sua Obra. Porém, ambos representam a nossa disponibilidade de ajudar a nossa comunidade.

E O OFERTÓRIO NA MISSA?


O ofertório é o momento propício em que os fiéis podem demonstrar sua participação e seu comprometimento, pois apresentam os frutos de seu trabalho. Antigamente, o próprio povo levava o pão e o vinho de suas casas. Hoje, uma das maneiras de apresentar os frutos de nosso trabalho é essa oferta em dinheiro. Desta maneira, temos a oportunidade de unir nossa oferta, nosso sacrifício à oferta e sacrifício de Jesus que nos dá seu corpo e sangue.

"E isto afirmo: aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia com fartura, com abundância também ceifará. Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria”.
(2Cor 9, 6-7)

“A este lugar fareis chegar os vossos holocaustos, e os vossos sacrifícios, e os vossos dízimos, e a oferta das vossas mãos, e as ofertas votivas, e as ofertas voluntárias, e os primogênitos das vossas vacas e das vossas ovelhas”.
(Deuteronômio 12,6)

QUAL É A DESTINAÇÃO DO DÍZIMO?

Da mesma forma como acontece em nossas casas, onde existem necessidades básicas que precisam ser atendidas: conta de água, de energia, de telefones, IPTU, etc.; material escolar, vestuário, alimentação, transporte, lazer etc. Nas paróquias não é diferente: existem necessidades que devem ser atendidas e que se enquadram em três diferentes dimensões: RELIGIOSA, SOCIAL E MISSIONÁRIA.

Na DIMENSÃO RELIGIOSA enquadram-se as despesas relacionadas à manutenção e funcionamento da paróquia, suprindo suas necessidades básicas e mantendo todos os gastos da Igreja para que ela desenvolva de forma organizada a sua atividade fim. Nesta dimensão enquadram-se os salários dos funcionários da paróquia, compra de material litúrgico, material de expediente e material de limpeza, manutenção física do templo, obrigações fiscais (taxas e impostos), material para pastorais, pagamento das contas de água, energia e telefones, despesas com transporte, côngrua (salário do padre) e outras despesas referentes às atividades religiosas. Como pode ser visto, nesta dimensão estão contemplados todas as despesas efetuadas no exercício das atividades que visam alcançar o objetivo final da Igreja.

A DIMENSÃO SOCIAL contempla o atendimento aos mais necessitados que procuram a paróquia em busca de atendimento para minimizar suas carências. Este atendimento social pode ser realizado, por exemplo, através da doação de cestas básicas para os desempregados, remédios para os doentes carentes, programas de inclusão social e de inclusão digital dos integrantes da comunidade. Em suma, qualquer investimento que tenha como objetivo ajudar aos mais carentes, minimizando suas dores em momentos de maior necessidade.

Na DIMENSÃO MISSIONÁRIA, o investimento é nas pastorais diocesanas, mantendo os missionários que levam a palavra de Cristo ao mundo. Nesta dimensão está incluída a formação dos padres, porque a manutenção dos seminários faz parte da dimensão missionária. Explicando melhor: as comunidades contribuem com o seu dízimo para a manutenção das paróquias; por sua vez as paróquias com os seus dízimos mantêm as dioceses, que juntas são a Igreja de Cristo. As dioceses, com os valores dos dízimos recebidos das paróquias, sustentam os seminários e formam os missionários que se espalham pelo mundo com o intuito de evangelizar os povos. Logo, esta dimensão contempla um projeto maior de evangelização que é o objetivo e razão da Igreja. Assim, cabe a cada paróquia repassar à sua diocese uma porcentagem dos valores do dízimo.
Informar aos dizimistas das dimensões alcançadas por suas devoluções fará com que ele se sinta mais responsável pela manutenção destes trabalhos missionários e, também, pela formação dos padres e ministros.

O esforço realizado pelos dizimistas se concretiza na Eucaristia. Ele se sentirá responsável por aquele padre ou ministro presente no altar. Quanto mais nos encontramos com Deus mais nos alegramos e desejamos corresponder mais aos Seus desejos. Na liturgia dos sacramentos as pessoas celebram o amor de Deus e renovam o seu compromisso com Ele. É responsabilidade de todos manter esta tradição e esta esperança viva no coração da humanidade, despertando o sentimento de compromisso com a vida e com todos os que ainda não foram despertados para a presença de Deus em suas vidas.

E DAS OFERTAS?

As ofertas normalmente são destinadas às necessidades da própria paróquia, sem compromisso de valor ou regularidade. Quando em valor monetário elas integram os valores que a paróquia precisa para suas ações e atividades. Quando em alimento, roupa, etc., vão para a atender as carências sociais da comunidade.

Catequistas em Formação
Fontes diversas - Pastoral do Dízimo.

Postar um comentário