segunda-feira, 22 de julho de 2019

DEIXAR RASTROS SACRAMENTAIS


A Igreja católica ensina que são SETE os sacramentos:  Batismo, Reconciliação ou Penitência, Eucaristia, Crisma ou Confirmação, Matrimônio, Ordem e Unção dos enfermos.

São muitos os versículos que narram a vivência dos sacramentos nas comunidades antigas:

Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus” (João 3:5). 

“Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo” (Tito 3,5).

“Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra” (Efésios 5,26).

“Àqueles a quem perdoardes os pecados lhes são perdoados; e àqueles a quem os retiverdes lhes são retidos” (João 20, 23).

"E a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados” (Tiago 5,15). 

“Então lhes impuseram as mãos, e receberam o Espírito Santo” (Atos 8,17). 

“Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia” (João 6,54-55).

Os sacramentos  representam algumas obras que a Igreja ministra todos os dias em diversificados cantos do mundo. São ritos que impulsionam pessoas a viver sua fé em comunidade, criando uma tradição histórica da Igreja. No entanto, estamos presenciando uma geração que se desapegou desta tradição e que muitas vezes não vê importância de tal. Por que esse menosprezo à adesão dos sacramentos? Há culpados?

Culpado não é a palavra certa. É necessário entender que há pessoas descuidadas em dar o exemplo que prometeram. Há pais e padrinhos que, de tantas atividades que a vida impõe diariamente, esqueceram-se que por intermédio do Batismo além de receber o perdão do pecado original, se tornaram filhos de Deus e parte integrante da Igreja. Recebe-se a missão de ser cristão e de viver os ensinamentos de Jesus.

Os sacramentos nada mais são do que ensinamentos de Jesus. Um ensinamento que Ele concedeu pessoalmente aos apóstolos, que por sua vez, transmitiram aos seguidores que aderiram ao cristianismo.

Faltam exemplos. Falta tempo. Falta comprometimento. Falta compreender que é necessário tomar como estilo  de vida a fé recebida no Batismo. 

A catequese deve recordar os fiéis desse compromisso. É necessário ter catequistas vivendo esse batismo com mais intensidade, pois trabalhando em parceria com os pais, conseguirão transferir  por meio do exemplo, os benefícios de se ter uma fé ativa.

Missão áspera aos evangelizadores! Preparar crianças e jovens para receber seriamente  os sacramentos é uma responsabilidade dignificante e comprometedora. A partir do momento que um catequista abraça essa missão, abraça consigo a tarefa de viver o que ensina.

Reflita querido catequista, como tem recebido o Jesus que pregas?  

Recordo de um breve momento que fui agraciada durante uma missa. Em nossa comunidade é costume o sacerdote entregar Jesus Eucarístico não mão e dizer "Corpo de Cristo". Neste dia, a missa foi celebrada por um sacerdote vindo recentemente da África, no momento em que ele dispôs Jesus Eucarístico em minha mão, ele pronunciou algo que mexeu com meu espiritual. Ele disse: "Receba o Corpo de Cristo!". Fui para o genuflexório com aquela palavra "receba" martelando em minha mente. Ali senti fortemente a presença de Jesus me conduzindo em sua sabedoria. Receber é aceitar o que é oferecido. Eu recebi Jesus e naquele momento eu estava indo me ajoelhar com ele. E meu coração questionava: “Agora que O recebi, o que farei com Ele?”. O Espirito Santo embriagou-me e vivi de fato, pela primeira vez, o sacramento da Eucaristia (por volta dos meus trinta e dois anos)Compreendi que tinha recebido Jesus e agora tinha a missão de leva-lo comigo para todos os lugares. Eu era um sacrário ambulante! E não estava somente recebendo-O, eu estava aceitando-O na minha vida, na minha indigna morada! Minha fé nesse sacramento tornou-se mais intensa.”

Um simples exemplo, nos faz enxergar os sacramentos com maior fé e como sinal de amor de Deus por nós. Meros detalhes que Deus providencia em nossos rumos.

Quem foi seu exemplo de fé? Como te conquistou pra Jesus? Para muitos esses modelos de fé vieram da própria família. Porém, nem todos tem essa oportunidade neste novo molde social em que vive essa nova geração.

Que todo testemunho e o nosso catequizar sejam como rastros que ficarão no caminho onde se adere a Jesus, direcionando para os que vierem depois de nós. Principalmente para os que não têm exemplos dentro de casa.

Aproveitando o sagrado que há neste instrumento sacramental que o próprio Jesus ensinou. Já dizia São Francisco: "Evangelize, e se preciso use palavras".


Sandra Fretta Gomes Malagi
Laranjeiras do Sul-PR  /Paróquia Sant’Ana.




Um comentário:

Simone disse...

Exalar o bom odor de Cristo!