sexta-feira, 21 de março de 2014

DIDAQUÉ - Capítulo IV

A pessoa inserida na comunidade

[NOTA: 1-14: Centralizada no amor a deus e ao próximo, a vida cristã é essencialmente uma realização comunitária, onde tudo é partilhado fraternalmente.].

1 - Meu filho, lembre-se dia e noite daquele que anuncia a palavra de Deus para você e honre-o como se fosse o próprio Senhor, pois o Senhor está presente onde é anunciada a Sua soberania. (Hb 13, 7).

[NOTA: As comunidades ainda não conhecem os Evangelhos escritos. O Evangelho é uma palavra viva, preservada e anunciada por pregadores itinerantes, que servem as comunidades e, ao mesmo tempo, dependem dela.]

2 – procure estar todos os dias na companhia dos fiéis, para encontrar apoio nas palavras deles.

3 - Não provoque divisão. Pelo contrário, reconcilie aqueles que brigam entre si. Julgue de modo justo, corrigindo as culpas sem fazer diferença entre as pessoas. (Dt 1,16s; Prov 31,9).

[NOTA: A comunidade é o ambiente vital dos cristãos, onde eles partilham a vida e encontram apoio para perseverar. Sendo ela mesma o valor máximo,a comunidade deve ser preservada de qualquer divisão, que provém principalmente da competição pelo poder, da busca de privilégios e de sectarismo. A preocupação com a reconciliação é um dever de todos, e supõe imparcialidade quando aprecem conflitos.]

4 - Não fique hesitando sobre o que vai acontecer ou não.

5 - Não seja como os que estendem a mão na hora de receber e a retiram na hora de dar.

6 - Se você ganha alguma coisa com o trabalho de suas mãos, ofereça-o em reparação por seus pecados.

7 - Não hesite em dar e, dando, não o faça reclamando, pois algum dia você reconhecerá quem é o verdadeiro remunerador da sua recompensa.

8 - Não rejeite o necessitado. Divida tudo com o seu irmão, e não diga que são coisas suas. Se vocês estão unidos nas coisas que não morrem, tanto mais nas coisas perecíveis. (At 4,32; Heb 13,16).

[NOTA: A comunidade cristã reconhece que, tudo o que ela é e possui, é dom de Deus. Ao mesmo tempo, desde a sua origem, ela se voltou para acolher os pobres e marginalizados. Ora, estes dependem estritamente do espírito de dom e partilha. O importante é que na comunidade o espírito de posse é totalmente superado pelo conceito de necessidade do uso e partilha: Deus dá tudo, para que todos repartam tudo, segundo as necessidades de cada um. Viver em comunidade, portanto, supõe que cada um confie plenamente no dom de Deus, libertando-se da preocupação individual e calculista com o amanhã.]

9 - Não se descuide de seu filho ou de sua filha; pelo contrário, instrua-os desde a infância no temor de Deus.

[NOTA: Viver em comunidade supõe educação para isso. E o ponto fundamental é a instrução no temor de Deus. Não se trata de ter medo de Deus, mas de reconhecer que Deus é o Senhor e doador da vida, e seu projeto é que todos repartam a vida entre todos. A educação cristã começa por aqui, mostrando para as pessoas que elas não são auto suficientes e independentes, mas interdependentes, complementando-se mutuamente na partilha do que cada um é e tem.]

10 - Não dê ordens com rudeza ao seu servo ou à sua serva, pois eles esperam no mesmo Deus que você, para que não percam o temor de Deus que está acima de todos. Com efeito, Ele não virá chamar a pessoa pela aparência, mas segundo a preparação do espírito.

11 – Quanto a vocês, servos, sejam submissos aos seus senhores, com respeito e reverência, como a imagem de Deus. (Ef 6,1-9; Col 3,20-25).

[NOTA: O projeto de Deus é a fraternidade, que desfaz toda e qualquer desigualdade entre as pessoas, para formar a grande família humana. Isso não quer dizer que as pessoas se tornem idênticas; cada um é original e tem sua função própria dentro da sociedade, em proveito do bem comum. Função diferente não quer dizer que uma pessoa seja mais que a outra ou que tenha mais direitos ou privilégios, em vista do que é, do que faz ou produz. Todos são necessários e todos têm direito ao necessário para viver dignamente. No item 11, vemos que as comunidades nascentes ainda não tinham consciência de que o Evangelho exige transformações estruturais para acabar com a desigualdade e a exploração. Todos devem ser respeitados, porque todos são imagem de Deus.

12 - Deteste toda a hipocrisia e tudo o que é desagradável ao Senhor.

13 - Não viole os mandamentos do Senhor. Guarde o que recebeu, sem nada acrescentar ou tirar.

[NOTA: Defender uma doutrina sem se preocupar com a prática é hipocrisia, um dos grandes males que ameaçam a comunidade. Por outro lado, guardar os mandamentos não é simplesmente repeti-los de cor, mas fazer o que eles ordenam. Trata-se certamente do mandamento de amar a Deus e ao próximo.]

14 - Confesse as suas faltas na reunião de fiéis, e não comece a sua oração com má consciência. Este é o caminho da vida.

[NOTA: A confissão aqui aparece como sacramento juridicamente estruturado. Provavelmente, os cristãos declaravam seus pecados em comunidade, e esta era responsável pelo perdão. Para que a comunidade esteja viva são necessários a confissão e o perdão, que abrem sempre a possibilidade de se converter ao projeto de Deus. A oração autêntica é feita dentro do projeto de Deus e em vista da sua realização (1 Jo 5, 14).]

SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO