domingo, 23 de março de 2014

DIDAQUÉ – CAPÍTULO VII

B. CELEBRAÇÃO DA VIDA

É um antigo ritual litúrgico, com instruções para administração do batismo (VII), sobre o jejum e a oração (VIII) e sobre a celebração eucarística (IX e X).

Capítulo VII

O batismo

1 - No que diz respeito ao batismo, procedam assim: Depois de ditas todas essas coisas, batizem em água corrente, em nome do Pai e do Filho e do e do Espírito Santo. (Cf Mt 28,19).

2 - Se não tiver água corrente, batize em outra água; se não puder batizar em água fria, faça-o em água quente.

3 - Na falta de uma e outra, derrama três vezes água sobre a cabeça, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

4 - Mas, antes do batismo, o que batiza e o que é batizado, e se outros puderem, observem o jejum; ao que é batizado, deverá se impor um jejum de um ou dois dias.

[NOTA: Nesse tempo, a administração do batismo era feita depois de uma etapa de catequese (“depois de ditas todas essas coisas”), representada, certamente pelos capítulos I a VI. Antes da cerimônia, fazia-se um jejum, do qual participavam o batizando, aquele que batizava e outras pessoas que pudessem. A cerimônia propriamente dita era realizada em comunidade. O ritual é simples e se reduz ao batismo com a água e à invocação da Trindade. A menção de diversas possibilidades faz supor que o mais usual era a imersão em água corrente (rio), ou em outra água (piscina, reservatório). Na impossibilidade disse, bastava derramar três vezes água na cabeça do batizando. A instrução e o jejum mostram que o batismo era administrado somente para pessoas adultas. A administração do batismo parece não estar restrita a um ministro especial.]

* * * *

SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO