domingo, 29 de maio de 2016

GOTAS DE PAZ - HOMILIA


"Todos comeram até ficarem saciados e se recolheram doze cestos de sobras." Lc 9, 17 
Em muitos países se celebra nestes domingo a solenidade de Corpus Christi, em outros já se celebrou na quinta feira. De qualquer modo, proponho uma singela reflexão sobre este grande mistério. Certamente, a eucaristia é, entre os dons de Deus confiados a Igreja, um dos mais preciosos, e isto nos vem confirmado pelo próprio nome: "Santíssimo Sacramento". Jesus encontrou um modo simples, mas muito forte de permanecer em nosso meio, para poder alimentar-nos durante a nossa caminhada para Deus.

A primeira recordação que nos vem em mente é o "maná" do deserto, que, doado por Deus todos os dias, de modo igual a todos, e não podendo ser acumulado, fez com que o povo mudasse sua mentalidade e aprendesse a partilhar, vencendo o egoísmo e sendo solidário. Também a eucaristia quer ser esta escola divina. Por meio da comunhão freqüente, Deus quer ir transformando nossos valores, nossos projetos, nossas atitudes e nossos sentimentos até que se tornem os mesmos que Jesus pregou e viveu. Comunhão que não é apenas comer, mas também meditar, rezar e sentir-se desafiado a dar um novo passo na direção do Único Bem.

Em segundo lugar, a eucaristia é memorial permanente da paixão, morte e ressurreição de Cristo. "É corpo entregue por vós... é sangue derramado por vós..." Não é um corpo qualquer, é corpo entregue, doado, sacrificado... não é um sangue qualquer, é sangue derramado, oferecido, vertido. Nos faz recordar um projeto de vida. Nos desafia: "Façam isto em memória de mim." Enquanto tantas vezes apenas pensamos em nós mesmos, "como ganhar mais?, onde posso tirar vantagem?, como posso me vingar?", a eucaristia é sacramento da doação completa. É proposta de outra lógica para viver neste mundo.

Em terceiro lugar, a eucaristia e a Igreja participam do mesmo mistério: ambas são corpo de Cristo, ambas fazem presente Jesus em nossas vidas. Estas realidades estão intimamente ligadas, a tal ponto que não se pode fazer eucaristia sem a Igreja, mas também sem a eucaristia, a Igreja não pode sobreviver. Santo Agostinho dizia que, quando comungamos, recebemos aquilo que nós já somos. Não podemos dissociar e crer que se pode adorar o Corpo de Cristo na Hóstia Consagrada e depreciar a presença de seu corpo na Igreja. 
O Senhor te abençoe e te guarde
O Senhor te faça brilhar o seu rosto e tenha misericordia de ti.
O Senhor volva seu olhar carinhoso e te de a PAZ.

Frei Mariosvaldo Florentino, Capuchinho.

SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO