segunda-feira, 4 de setembro de 2017

DE CATEQUISTA PARA CATEQUISTA...


Meu nome é Lucinete Cassaro, mais conhecida como Nete. Moro em Conceição do Castelo (ES) e pertenço a Paróquia Nossa Senhora da Conceição. Sou catequista há 12 anos. Sempre com a catequese de Eucaristia e trabalho como secretária na minha paróquia.

Um certo dia, mais precisamente em um quinta-feira de 2004, fui à missa da saúde na igreja matriz da Paróquia Nossa Senhora da Conceição. Após a missa uma senhora que coordenava a Crisma na paróquia se aproximou de mim e fez o convite para ser catequista da turma de crisma na matriz. Aquele convite ardeu em meu peito, mas adolescentes não era o meu foco.

Fiquei de pensar e dar a resposta depois. Fui para casa e pensei, pensei e foi aí que uma amiga me disse por que você não pega uma turma de catequese de Eucaristia? No dia seguinte, fui à casa da coordenadora da catequese da comunidade e me coloquei a disposição, ela foi logo dizendo: “ótimo, tenho uma turma de terceira etapa sem catequista. A turma é sua”. Mesmo sem ter experiência, não disse nada, fiquei muda e simplesmente disse “SIM”. 

Na mesma semana fui para a catequese e apresentada para a turma. Eram 17 crianças/adolescentes bem agitados. Alguns com pouca participação na vida de comunidade e vinham de famílias desestruturadas. Crianças carentes de afeto, revoltadas com Deus.

Muitas vezes perdi a paciência e gritei, briguei, coloquei pra fora da sala onde eram realizados os encontros. Quantos desafios, me sentia só, despreparada e questionava a Deus se realmente eu precisava estar ali. Quantas conversas individuais com alguns catequizandos revoltados e que não aceitavam a separação dos pais. Recordo-me de um que tumultuava o encontro e me culpava pela separação dos pais. Mas, venci e a turma no ano seguinte fez a primeira Eucaristia.

Foram muitas turmas até que um dia precisei me afastar da catequese para fazer minha pós-graduação, pois os horários coincidiam. Fiquei afastada por cerca de um ano. Estava decidida a não voltar mais, e foi nesse momento, que fui convidada para ser catequista novamente, ou melhor, voltar a fazer parte do grupo.

Acho que nem pedi um tempo pra pensar. Respondi “SIM” e lá estava eu novamente com uma turma de terceira etapa. Como se não bastasse, em uma formação oferecida pela paróquia a coordenadora paroquial disse que a diocese estava montando uma escola catequética e tinha disponibilizado duas vagas por paróquia e que até no final do encontro precisava do ''sim'' de dois catequistas.

Quando o encontro encerrou, fiquei juntamente com uma colega, ajudando ela a organizar o espaço e peguei as fichas de inscrição e mencionei que ninguém havia se colocado a disposição para a formação que seria de dois anos aos finais de semana. E ela sorriu e disse: “Claro que não, pois as duas pessoas que Deus está convidando são vocês.” Ficamos de dar a resposta e adivinha qual foi? Com toda certeza, “SIM”. 

Conclui a formação com muita dificuldade, tive ajuda de colegas da paróquia vizinha que me deram carona. Durante a formação recebi o convite para ser coordenadora paroquial e após pensar por um dia... SIM

Estou há três anos como coordenadora. Quanta dificuldade, quantos desafios e vontade de desistir. Mas, Deus tem me aparando, iluminado, cuidado e me capacitado a cada dia. E assim vou seguindo e evangelizando. 

Por Lucinete Cassaro.


FONTE:
Revista Digital "Sou Catequista" - http://soucatequista.com.br/edicao-21.html


A Nete cassaro faz parte do Grupo Catequistas em Formação, e foi convidada a dar o seu depoimento à revista SOU CATEQUISTA, revista digital do grupo Minha Paróquia.

SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO