quinta-feira, 13 de março de 2014

VAMOS COMEÇAR A CATEQUESE DO ANO! MAS, COMO???

Pois é, passou o carnaval e começamos o "ano"... Não adianta, o Brasil é o país que começa depois do carnaval mesmo! E isso se reflete, infelizmente, na nossa Igreja. Parece que as pessoas tiram férias da Igreja antes do natal e voltam só na quarta-feira de cinzas!

Enfim! Cá estamos nós! E perdidos...



E tenho visto muitos catequistas e coordenadores meio perdidos buscando “o que fazer” neste começo de ano catequético. Normal até que a gente busque ajuda e sugestões para nossa catequese num grupo de catequistas... Mas, orientações e sugestões para INCREMENTAR nosso itinerário de conteúdos, não para criá-los a nível paroquial! 

E mais, onde está o “planejamento” de vocês? Como se começa alguma coisa sem planejar antes?



Citando Lucas 14, 27-30:

“Quem de vós, querendo fazer uma construção, antes não se senta para calcular os gastos que são necessários, a fim de ver se tem com que acabá-la? Para que, depois que tiver lançado os alicerces e não puder acabá-la, todos os que o virem não comecem a zombar dele, dizendo: Este homem principiou a edificar, mas não pode terminar.”

Então, para quem está encarando essa nobre missão, só agora ou ainda é novo "no pedaço", tenho duas citações do DNC que acho absolutamente "da hora" para vocês:

- "A organização da pastoral catequética tem como ponto de referência o BISPO e a DIOCESE. O secretariado diocesano ou a Comissão/coordenação diocesana de catequese é o órgão através do qual o Bispo, animador da comunidade e mestre da doutrina, dirige e preside a atividade catequética realizada na sua diocese." (Capítulo sétimo, pg 141, Item 232);

- "Para frutificar, a catequese necessita de organização, planejamento e recursos. para que o ministério catequético na diocese seja frutuoso, ele precisa apoiar-se sobre os demais agentes, não necessariamente catequistas diretos, os quais apóiam e sustentam a atividade catequética, realizando tarefas que são imprescindíveis, tais como: elaboração de material, formação, organização e planejamento. Cabe à diocese, através de seus organismos e coordenações, dar condições para que a ação catequética perpasse a ação evangelizadora da igreja, com ênfase na catequese com adultos. Há também a necessidade de prover os catequistas de recursos, tanto para a tarefa catequética propriamente, como para a sua formação permanente. Catequistas são sabidamente generosos, oferecem seus serviços e seu tempo em espírito de gratuidade. Mas muitos são pobres e cooperam penosamente no sustento da família. A comunidade que aceita seu trabalho e precisa tanto deles deve ter sensibilidade para pôr à disposição da catequese livros, material pedagógico, cobertura financeira para cursos, encontros, reuniões dos quais os catequistas devam participar." (item 236, pg 143).

Em minha modesta opinião, estes dois itens nos dão a dimensão exata de que, AO CATEQUISTA, cabe cumprir e realizar a missão; às lideranças, começando pelo nosso pároco, cabe dos dar as orientações para que se realize esta missão. E, com estas orientações, é que se faz o “planejamento” do ano – de preferência, bem antes do carnaval!
E olha que os dois itens do DNC - Diretório Nacional de Catequese (que TODO catequista deveria conhecer e ter em mãos para consulta) foi inteiramente baseado no DGC - Diretório Geral para a Catequese, documento da SÉ APOSTOLICA, criado com o objetivo de direcionar a catequese EM TODA A IGREJA CATOLICA.

Não dá, então, para conceber que AINDA EXISTEM CATEQUISTAS que NÃO CONHEÇAM ou não tenham ouvido falar destes DIRETÓRIOS! O DGG (diretório em nível mundial) existe deste 1997 e substituiu o DCG de 1971, criado a pedido do Concílio Vaticano II. O Nosso diretório, o NACIONAL, feito para o Brasil, existe desde 2006, e antes dele teve o Documento Catequese Renovada - CNBB, de 1983, que orientava a catequese. Vocês hão de convir comigo que é absurdo, que mais de 30 anos depois do Brasil ter criado um documento para a catequese, ainda se viva sem conhecê-lo. O DNC ainda é "jovem", tem só oito anos, mas foi amplamente reforçado, também, pelo Documento da Conferência de Aparecida em 2007. De lá pra cá, não se concebe ação evangelizadora (leia-se aí "catequese" também) no Brasil e na América Latina sem ele, o DAp.

Mais absurdo ainda, é a gente observar que muitas paróquias ainda usam os tradicionais CATECISMOS de perguntas e respostas ou então baseiam a catequese exclusivamente na Doutrina... E uma doutrina bem ultrapassada, já que, DUVIDO, usem como base o CIC (Catecismo da Igreja Católica) promulgado pela carta Fidei Depositum, do papa João Paulo II em 1992.

Agora vocês podem até dizer pra mim que estes documentos que citei podem ser lindos e maravilhosos no papel, mas não se aplicam a realidade de vocês. Podem sim! Mas só se for por "vontade" das lideranças de vocês (coordenadores, padres, bispo). NUNCA por DESCONHECIMENTO da existência deles.

Ninguém deve sair de sua casa em direção a Igreja, ou ferver a caraminhola um dia antes, pensando ali com seus botões: "O que será que eu podia falar  aos meus catequizandos?" Se o catequista tem consciência da amplitude da sua missão, deve, com certeza se preocupar com aquilo que está fazendo (Não um dia antes, claro!). E esta preocupação se reflete no "conteúdo" e nos "métodos" que está usando para a catequese. Ele não tem que tirar "da sua cabeça" ou da sua "experiência de vida", muito menos da sua "boa vontade" e "achismo", os conteúdos necessários à Evangelização na Igreja Católica. Para isso existe a organização da Igreja local: o pároco, os responsáveis pelos os setores, foranias, decanatos (que nome for) e depois as Dioceses.

Certamente que se pode pensar também que só falar de Jesus e ler a Bíblia, resolve a catequese. Com certeza resolve muito. A Bíblia e os Evangelhos, são a base do conteúdo catequético. Mas, não vamos esquecer que o nosso CREDO CATÓLICO, coloca depois das pessoas da Trindade Santa, o "creio na Igreja Católica" e tudo que advém desta crença: história, tradição, mandamentos, sacramentos, etc. 

E quais são os SETE PEDRAS fundamentais do processo de catequese e do amadurecimento do cristão?


Credo        Sacramentos      Mandamentos/Bem aventuranças   
Pai Nosso     Antigo testamento     Vida de Jesus        História da Igreja.

(conforme DNC 130 e DGC 128, 130).

E isso tudo gente, precisa estar muito bem estruturado num processo catequético gradual e progressivo: idades, etapas, cronogramas, planejamento.

"(...) por ser educação orgânica e sistemática da fé, a catequese se concentra naquilo que é comum para o cristão, educa para a vida de comunidade, celebra e testemunha o compromisso com Jesus. Ela exerce, portanto, ao mesmo tempo, as tarefas de iniciação, educação e instrução (cf. DGC 68). É um processo de educação gradual e progressivo, respeitando os ritmos de crescimento de cada um." (DNC 41).

Então, como fazer isso? Comece perguntando aos seus coordenadores paroquiais; estes, se não souberem, vão ao pároco; o pároco, se não souber, vá ao seu bispo. Com certeza, alguém tem as respostas. O que acontece muitas vezes, é que ninguém pergunta...



Você pode achar interessante este link:

SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO