sábado, 23 de agosto de 2014

HOMILIA DO DOMINGO - 21º Domingo do tempo Comum

“Quem dizem os homens ser o Filho do Homem?” 

Jesus perguntou aos discípulos e pergunta a cada um de nós. Pedro disse: “Tu é o messias!” E nós, que respostas daremos? “Você é meu amigo, Você é aquele que me ajuda no momento de dor, Você é o meu alento, Você é aquele que me perdoa, aquele que está presente na Eucaristia”. 

São muitas respostas, porque Jesus é diferente em cada situação de nossa vida. O importante é que nossa resposta não saia pronta porque memorizamos uma fórmula do catecismo, mas a partir de nossa experiência. 

É no dia a dia, que descobrimos qual o significado da pessoa de Jesus. Pedro respondeu corretamente, a catequista daria parabéns a ele. Mas qual era a experiência que ele tinha de Messias? Um homem que veio para governar com poder e força, ou seja, Pedro não entendia o que estava dizendo. Isso porque Jesus não se enquadrava nesta imagem de Messias. Por isso, veremos na sequência do Evangelho, que Pedro teve que aprender quem era Jesus, verdadeiramente.

Também nós podemos ter um Jesus ao nosso gosto, longe do Jesus que se apresenta no Evangelho. É preciso que acolhamos este homem verdadeiro que amou e ama a ponto de dar a vida… 

Quem é Jesus para nós? Neste fim de semana, em todas as comunidades do Santuário São José, teremos a entrega do Credo. Os catequizandos da terceira etapa professarão a sua fé e receberão o pergaminho com a fórmula antiga que remonta a Igreja dos primeiros séculos. Para que tal gesto signifique é preciso que nossas comunidades sejam fervorosas em sua fé. A fé se transmite por “contagio”. Não como um vírus, mas como uma coisa boa que edifica a vida. Não queremos que nossos catequizandos saibam dizer quem é Jesus porque decoraram uma frase da Bíblia ou de um livro. 

Queremos que eles tenham no coração o amor de Jesus e creiam que só Ele é a razão da vida. 

Pe. Roberto Nentwig
Santuário São José - Arquidiocese de Curitiba - PR.


SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO