sábado, 1 de agosto de 2015

DIA DE CATEQUESE: CAIXA DOS TESOUROS...


Caixa dos Tesouros da minha filha, que já fez Crisma...
Ela tem desde o 1º ano da catequese.
Hoje, mostrei á minha turminha de 3º ano, minha “caixa de tesouros”.

Mas, aquela ali, uma caixa de camisa, era só uma parte. Em casa estavam outras três. Tenho “caixa de tesouros” há vinte e três anos. Já não cabe tudo no mesmo lugar.
Mostrei então meus tesouros que estavam ali: uma chave, um espelho, um pacotinho de semente, uma vela, a cruz, um buquezinho de flores, uma bala, uma borracha, uma garrafinha de água, meu livrinho de orações, minha bíblia, um terço e várias dezeninhas (pequenos terços de dedo).

E fomos ali discutindo porque cada coisa era um tesouro.

Eles iam sugerindo e eu confirmando...
- Um espelho serve pra gente se olhar, mas tem que se enxergar por dentro também, saber se lá tá tudo bonito também. Um espelho é uma lembrança para nos fazer mais bonitos para o outro: mais bondosos, mais fraternos, mais irmãos;
- Uma chave abre portas, quantas portas a gente ainda pode abrir na vida. Quantas portas podemos encontrar fechadas... E a porta do nosso coração? Que chave será que abre? E a porta da alegria, da felicidade? Como é que a gente pode abrir? Sempre é bom ter uma chave no meio dos nossos tesouros...
- As sementes lembram o que a gente pode plantar e dar frutos. Esperar e saber cuidar, este é o segredo da vida;
- A borracha apaga os erros e os erros só se pagam quando a gente pede perdão;
- A vela ilumina nossos caminhos, nos dá direção, mostra o caminho, acaba com a escuridão. Quem seria luz para nossa escuridão?
- As flores lembram as coisas bonitas da vida.
- A bala adoça a vida e deixa-a cheia de graça.
- A água mata minha sede e me fortalece. Lava-me das impurezas e como no batismo, me faz cristão, um novo ser;
- A Cruz me lembra minha fé, me lembra o quanto Jesus sofreu por mim. E muitas vezes na vida vamos também “carregar” cruzes, sofrer como Jesus sofreu, mas vamos lembrar que Ele está sempre conosco, em todas as nossas dores;
- A Bíblia é nosso guia, nosso “mapa do caminho”. Aprendendo a história do povo de Deus e lendo os ensinamentos de Jesus podemos buscar o Reino de Deus
- O livro de orações e o terço lembram que preciso agradecer a Deus todas as coisas boas e rezar todos os dias.

Então eles (que não são bobos nem nada!), me perguntaram se minhas outras caixas de tesouro eram assim também. Que só tinha “coisa importante”...

Não, aquela era da “catequese”. As outras eram um pouco diferentes. Tinha cartões, bilhetes e lembrancinhas que ganhara de meus alunos, amigos, catequizandos e dos meus filhos. Tinha meus diários da adolescência. Uma moeda bem antiga. Um sapatinho de bebê, um casaquinho.  Pétalas de rosas que ganhei.  Tinha cartas antigas que recebi de namorado. E seu marido não tem ciúme? Perguntou a Gabriela. E você acha que ele sabe? Respondi. Tinha o umbigo dos meus quatro filhos... Nossa, minha mãe também guarda isso! (contou uma das meninas). Eca! Os meninos acharam isso absolutamente nojento (e é mesmo! Vai saber por que a gente guarda essas coisas!). Enfim, coisas que tinham algum significado especial para mim.

Sugeri que cada um fizesse uma caixa de tesouro daquele ano que íamos passar juntos. Para guardar as coisas especiais. No final do ano a gente abre e lembra o que aquilo significou para nós. Por fim, presenteei a todos com as pequenas dezeninhas da minha caixa de tesouros. Se eles achassem que era realmente especial, era um bom tesouro para inaugurar caixa.

Ângela Rocha

SEGUIDORES DO CATEQUISTAS EM FORMAÇÃO